LEVÍTICO

0
19
ÊXODO
NUMEROS

LEVÍTICO

I. Ritual dos sacrifícios

1 Os holocaustos1Iahweh chamou Moisés e da Tenda da Reunião falou-lhe, dizendo: 2Fala aos filhos de Israel; tu lhes dirás: Quando um de vós apresentar uma oferenda a Iahweh, podereis fazer essa oferenda com animal grande ou pequeno. 3Se a sua oferenda consistir em holocausto de animal grande, oferecerá um macho sem defeito; oferecê-lo-á à entrada da Tenda da Reunião, para que seja aceito perante Iahweh. 4Porá a mão sobre a cabeça da vítima e esta será aceita para que se faça por ele o rito de expiação. 5Em seguida imolará o novilho diante de Iahweh, e os filhos de Aarão, os sacerdotes, oferecerão o sangue. Eles o derramarão ao redor sobre o altar que se encontra à entrada da Tenda da Reunião. 6Em seguida esfolará a vítima e a dividirá em quartos, 7e os filhos de Aarão, os sacerdotes, porão fogo sobre o altar e colocarão, a lenha em ordem sobre o fogo. 8Depois os filhos de Aarão, os sacerdotes, colocarão os quartos, a cabeça e a gordura em cima da lenha que está sobre o fogo do altar. 9O homem lavará com água as entranhas e as patas, e o sacerdote queimará tudo sobre o altar. Este holocausto será uma oferenda queimada de agradável odor a Iahweh.10Se a sua oferenda consistir em animal pequeno, cordeiro ou cabrito oferecido em holocausto, então oferecerá um macho sem defeito. 11Imolá-lo-á sobre o lado norte do altar, diante de Iahweh, e os filhos de Aarão, os sacerdotes, derramarão o sangue por cima e ao redor do altar. 12Depois ele a dividirá em quartos e o sacerdote colocará essas partes, assim como a cabeça e a gordura, sobre a lenha colocada sobre o fogo do altar. 13O homem lavará as entranhas com água, bem como as patas, e o sacerdote oferecerá tudo e o queimará sobre o altar. Este holocausto será uma oferenda queimada em agradável odor a Iahweh. 14Se a sua oferenda a Iahweh consistir em holocausto de ave, oferecerá uma rola ou um pombinho. 15O sacerdote a oferecerá sobre o altar e, apertando-lhe o pescoço, deslocará a cabeça e a queimará sobre o altar; e fará o seu sangue correr sobre a parede do altar. 16Tirar-lhe-á, então, o papo e as penas; lançá-los-á ao lado oriental do altar, no lugar das cinzas gordurosas. 17Dividirá o animal em duas metades, uma asa de cada lado, mas sem as separar. O sacerdote queimará o animal no altar, em cima da lenha posta sobre o fogo. Este holocausto será uma oferenda queimada de agradável odor a Iahweh.

2 A oblação1Se alguém oferecer a Iahweh uma oblação, a sua oferenda consistirá em flor de farinha, sobre a qual derramará azeite e colocará incenso. 2E a trará aos filhos de Aarão, os sacerdotes; tomará dela um punhado de flor de farinha e de azeite e todo o incenso, e o sacerdote os queimará sobre o altar como memorial, oferenda queimada de agradável odor a Iahweh. 3A parte restante da oblação pertencerá a Aarão e a seus filhos, parte santíssima dos manjares de Iahweh. 4Quando ofereceres uma oblação de massa cozida no forno, a flor de farinha será preparada em bolos ázimos amassados com azeite, ou em fogaças ázimas untadas com azeite. 5Se a tua oferenda for uma oblação cozida na assadeira, a flor de farinha amassada com azeite será ázima. 6Tu a partirás em pedaços e derramarás azeite em cima. É uma oblação. 7Se a tua oferenda for uma oblação cozida na panela, a flor de farinha será preparada com azeite. 8Levarás a Iahweh a oblação que assim for preparada. Será apresentada ao sacerdote, que a aproximará do altar. 9Da oblação o sacerdote separará o memorial, que queimará no altar como oferenda queimada de agradável odor a Iahweh. 10A parte restante da oblação pertencerá a Aarão e a seus filhos, parte santíssima dos manjares de Iahweh. 11Nenhuma das oblações que oferecerdes a Iahweh será preparada com fermento, pois jamais queimareis fermento ou mel como oferta queimada a Iahweh. 12Podereis oferecê-los a Iahweh como oferenda das primícias, mas não os colocareis sobre o altar como perfume de agradável odor, 13Salgarás toda a oblação que ofereceres e não deixarás de pôr na tua oblação o sal da aliança de teu Deus; a toda oferenda juntarás uma oferenda de sal a teu Deus. 14Se ofereceres a Iahweh uma oblação de primícias, será sob a forma de espigas tostadas ao fogo ou de pão cozido com grãos moídos que farás esta oblação de primícias. 15Sobre ela acrescentarás azeite e lhe porás incenso, pois é uma oblação; 16e o sacerdote queimará o memorial com uma parte do pão e do azeite (com todo o incenso) como oferenda queimada a Iahweh.

3 O sacrifício de comunhão 1Se o seu sacrifício for um sacrifício de comunhão e se oferecer animal grande, macho ou fêmea, será animal sem defeito que oferecerá perante Iahweh. 2Colocará a mão sobre a cabeça da vítima e a imolará à entrada da Tenda da Reunião. Em seguida os filhos de Aarão, os sacerdotes, derramarão o sangue sobre o altar, em redor. 3Oferecerá uma parte deste sacrifício de comunhão como oferenda queimada a Iahweh: a gordura que cobre as entranhas, toda a gordura que está sobre as entranhas, 4os dois rins, a gordura aderente a eles e junto aos lombos, e a massa gordurosa que tirará do fígado e dos rins. 5Os filhos de Aarão queimarão esta parte no altar, em cima do holocausto, em cima da lenha colocada sobre o fogo. Será oferenda queimada em perfume de agradável odor a Iahweh. 6Se for animal pequeno que alguém oferecer como sacrifício de comunhão a Iahweh, deverá oferecer um macho ou uma fêmea sem defeito. 7Se oferecer um carneiro, oferecê-lo-á perante Iahweh, 8e porá a mão sobre a cabeça da vítima e a imolará diante da Tenda da Reunião, e em seguida os filhos de Aarão derramarão o sangue sobre o altar em redor. 9Deste sacrifício de comunhão oferecerá a gordura como oferenda queimada a Iahweh: a cauda inteira, que será cortada rente à espinha dorsal, a gordura que cobre as entranhas, toda a gordura que está sobre as entranhas, 10os dois rins, a gordura aderente a eles e aos lombos, e a massa gordurosa que destacará do fígado e dos rins. 11O sacerdote queimará esta parte sobre o altar como alimento, como oferenda queimada a Iahweh. 12Se a sua oferenda consistir em uma cabra, a oferecerá perante Iahweh, 13porá a mão sobre a sua cabeça e a imolará diante da Tenda da Reunião, e os filhos de Aarão derramarão o sangue sobre o altar, em redor. 14E isto é o que oferecerá em seguida como oferenda queimada para Iahweh: a gordura que cobre as entranhas, toda a gordura que está sobre as entranhas, 15os dois rins, a gordura aderente a eles e aos lombos, e a massa gordurosa que destacará do fígado e dos rins. 16O sacerdote queimará estes pedaços sobre o altar como alimento, como oferenda queimada de agradável odor. Toda gordura pertence a Iahweh. 17É para todos os vossos descendentes uma lei perpétua, em qualquer lugar onde habitardes: não comereis gordura nem sangue.

4 O sacrifício pelo pecado: a) do sumo sacerdote 1Iahweh falou a Moisés e disse: 2Fala aos filhos de Israel e dize-lhes: Se alguém pecar por inadvertência contra qualquer um dos mandamentos de Iahweh e cometer uma destas ações que não são permitidas, 3se for o sacerdote consagrado pela unção que pecar e tornar assim o povo culpado oferecerá a Iahweh, pelo pecado que cometeu, um novilho, animal grande, sem defeito, como sacrifício pelo pecado. 4Levará o novilho diante de Iahweh, à entrada da Tenda da Reunião, porá a mão sobre a cabeça dele e o imolará diante de Iahweh. 5Depois o sacerdote consagrado pela unção tomará um pouco do sangue deste novilho e o levará à Tenda da Reunião. 6E molhará o dedo no sangue e fará sete aspersões diante do véu do santuário, diante de Iahweh. 7O sacerdote colocará então um pouco deste sangue sobre os chifres do altar do incenso que é queimado diante de Iahweh na Tenda da Reunião, e derramará todo o sangue do novilho na base do altar dos holocaustos que se encontra na entrada da Tenda da Reunião. 8De toda a gordura deste novilho oferecido em sacrifício pelo pecado eis o que ele reservará: a gordura que cobre as entranhas, toda a gordura que está sobre as entranhas, 9os dois rins, a gordura aderente a eles e aos lombos, e a massa gordurosa que destacará do fígado e dos rins — 10tudo conforme a parte reservada no sacrifício de comunhão —, e o sacerdote queimará esses pedaços sobre o altar dos holocaustos. 11O couro do novilho e toda a sua carne, sua cabeça, suas patas, suas entranhas e o seu excremento, 12isto é, o touro todo será levado para fora do acampamento, para um lugar puro, lugar do resíduo das cinzas gordurosas. Ali o queimará sobre um fogo de lenha; é no lugar do resíduo das cinzas gordurosas que o novilho será queimado.

b) da Assembléia de Israel13Se for toda a comunidade de Israel que pecar por inadvertência e cometer uma das coisas não permitidas pelos mandamentos de Iahweh, sem que a comunidade esteja apercebida do fato, 14 a comunidade oferecerá em sacrifício pelo pecado um novilho, animal grande, sem defeito, logo que for conhecido o pecado do qual é responsável. Será levado diante da Tenda da Reunião; 15diante de Iahweh os anciãos da comunidade colocarão as mãos sobre a cabeça do novilho, e será imolado diante de Iahweh. 16Em seguida o sacerdote consagrado pela unção levará à Tenda da Reunião um pouco do sangue do novilho. 17Molhará o dedo no sangue e fará sete aspersões diante do véu, perante Iahweh. 18Depositará então um pouco do sangue sobre os chifres do altar que se encontra diante de Iahweh na Tenda da Reunião, e depois derramará todo o sangue na base do aliai dos holocaustos que está na entrada da Tenda da Reunião. 19Tirará então do animal toda a gordura e a queimará no altar. 20Fará com este novilho como fez com o novilho do sacrifício pelo pecado. Assim se fará com ele, e, tendo o sacerdote feito o rito de expiação pelos membros da comunidade, serão eles perdoados. 21Mandará levar o novilho para fora do acampamento e o queimará como queimou o novilho anterior. Este é o sacrifício pelo pecado da comunidade.

c) de um chefe22Supondo-se que um chefe peque e faça por inadvertência alguma coisa proibida pelos mandamentos de Iahweh seu Deus e se torne assim culpado, 23(ou se for advertido a respeito do pecado cometido), trará como oferenda um bode, macho, sem defeito. 24Colocará a mão sobre a cabeça do bode e o imolará no lugar onde se imolam os holocaustos diante de Iahweh. É um sacrifício pelo pecado: 25o sacerdote tomará com o dedo um pouco do sangue da vítima e o depositará nos chifres do altar dos holocaustos. Depois derramará o sangue na base do altar dos holocaustos 26e fará queimar toda a gordura no altar, como a gordura do sacrifício de comunhão. O sacerdote fará assim o rito de expiação pelo chefe, para livrá-lo do seu pecado, e ser-lhe-á perdoado.

d) de um homem do povo27Se for um homem do povo da terra que pecar por inadvertência e se tornar culpado ao praticar algumas das coisas proibidas pelos mandamentos de Iahweh, 28(ou se alguém o advertir do pecado cometido), levará, como oferenda pelo pecado que cometeu, uma cabra, fêmea, sem defeito. 29Porá a mão sobre a cabeça da vítima e a imolará no lugar onde se imolam os holocaustos. 30O sacerdote tomará com o dedo um pouco do sangue dela e o depositará nos chifres do altar dos holocaustos. Depois derramará todo o sangue na base do altar. 31Em seguida tirará toda a gordura, como se tira a gordura de um sacrifício de comunhão, e o sacerdote a queimará no altar em odor agradável a Iahweh. O sacerdote fará assim o rito de expiação para esse homem, e ele será perdoado. 32Se for uma ovelha que desejar trazer como oferenda para o sacrifício, trará uma fêmea sem defeito. 33Porá a mão sobre a cabeça da vítima e a imolará em sacrifício pelo pecado, no lugar onde se imolam os holocaustos. 34O sacerdote tomará com o dedo um pouco do sangue do sacrifício e o depositará nos chifres do altar dos holocaustos. Depois derramará todo o sangue na base do altar. 35Tirará toda a gordura, como se tira a do carneiro de um sacrifício de comunhão, e o sacerdote queimará esses pedaços no altar, em cima das oferendas queimadas para Iahweh. O sacerdote fará assim, o rito de expiação pelo homem, pelo pecado que cometeu, e lhe será perdoado.

5 Casos diversos de sacrifício pelo pecado 1Se alguém pecar em um dos casos seguintes: Após ter ouvido a fórmula de imprecação tinha o dever de dar testemunho, pois que viu ou soube, mas nada declarou e leva o peso da sua falta; 2ou ainda se alguém tocar uma coisa impura, qualquer que seja, cadáver de animal selvagem impuro, de animal doméstico impuro, de réptil impuro, e sem o seu conhecimento se tornar impuro e responsável; 3ou se tocar a impureza humana, qualquer que seja, cujo contato torna impuro; e se não tomar conhecimento dela, vindo depois a saber, torna-se responsável; 4ou se um indivíduo faz um juramento desfavorável ou favorável, em  qualquer assunto a respeito do qual o homem pode jurar inadvertidamente; e se dele não se aperceber, vindo depois a tomar conhecimento, tornar-se-á responsável; 5se for responsável em um desses casos, confessará o pecado cometido, 6levará a Iahweh, como sacrifício de reparação pelo pecado cometido, uma fêmea de gado miúdo (cordeira ou cabrita) em sacrifício pelo pecado; e o sacerdote fará por ele o rito de expiação, que o livrará do seu pecado.

Sacrifício pelo pecado do homem do povo (continuação)7Se ele não tiver recursos para oferecer uma rês de gado miúdo, trará a Iahweh, em sacrifício de reparação pelo pecado que cometeu, duas rolas ou dois pombinhos, um deles para sacrifício pelo pecado e o outro para holocausto. 8Ele os trará ao sacerdote, que oferecerá em primeiro lugar o que for destinado ao sacrifício pelo pecado. E o sacerdote, apertando-lhe o pescoço, lhe deslocará a nuca, sem separar a cabeça. 9Com o sangue da vítima aspergirá a parede do altar, e em seguida fará correr o resto do sangue na base do altar. É um sacrifício pelo pecado. 10Quanto à outra ave, fará um holocausto segundo a regra. O sacerdote assim fará pelo homem o rito de expiação pelo pecado que cometeu, e lhe será perdoado. 11Se ele não tiver recursos para oferecer duas rolas ou dois pombinhos, trará como oferenda pelo pecado cometido um décimo de medida de flor de farinha; não porá nela azeite nem incenso, pois é um sacrifício pelo pecado. 12Levá-la-á ao sacerdote, que tomará um punhado em memorial, para ser queimado no altar em cima das oferendas queimadas a Iahweh. É um sacrifício pelo pecado. 13O sacerdote fará assim, pelo homem, o rito de expiação pelo pecado que cometeu em um desses casos, e ele será perdoado. O sacerdote tem neste caso os mesmos direitos que na oblação.

Sacrifício de reparação14Iahweh falou a Moisés e disse: 15Se alguém cometer uma ofensa e pecar por inadvertência reduzindo os direitos sagrados de Iahweh, trará a Iahweh, em sacrifício de reparação, um carneiro sem defeito, do seu rebanho, avaliando-o em siclos de prata, segundo o valor do siclo do santuário. 16Assim restituirá aquilo que o seu pecado reduziu no direito sagrado, acrescentando-lhe o valor de um quinto, e o remeterá ao sacerdote. Este fará por ele o rito de expiação com o carneiro do sacrifício de reparação, e ser-lhe-á perdoado. 17Se alguém pecar e fizer, sem o saber, alguma das coisas interditas pelos mandamentos de Iahweh, será responsável e levará o peso da sua faliu 18Levará ao sacerdote, como sacrifício de reparação, um carneiro sem de feito, do seu rebanho, e sujeito a avaliação. O sacerdote fará por ele o rito de expiação, pela inadvertência cometida sem saber, e ele será perdoado 19É um sacrifício de reparação e esse homem é, sem dúvida, responsável perante Iahweh. 20Iahweh falou a Moisés e disse: 21Se alguém pecar e cometer uma ofensa contra Iahweh, negando a seu compatriota o depósito que lhe foi dado em guarda, ou um penhor, ou que defraude a seu compatriota, 22ou se encontrar um objeto perdido e o negar, ou se fizer um falso juramento a respeito de qualquer pecado que um homem possa cometer, 23se pecar e se tornar assim responsável, deverá restituir aquilo que extorquiu ou que exigiu em demasia: o depósito que lhe foi confiado, o objeto perdido que achou, 24ou todo o objeto ou assunto a respeito do qual prestou um falso juramento. Fará um acréscimo de um quinto e devolverá o valor ao proprietário do objeto, no dia em que se tornou responsável. 25Depois trará a Iahweh, como sacrifício de reparação, um carneiro sem defeito, do seu rebanho; será avaliado segundo o valor estabelecido pelo sacerdote para um sacrifício de reparação. 26O sacerdote fará por ele o rito de expiação diante de Iahweh, e ele será perdoado, qualquer que seja a ação que ocasionou a sua culpa.

6 O sacerdócio e os sacrifícios — A. O holocausto1Iahweh falou a Moisés e disse: 2Ordena a Aarão e a seus filhos o seguinte: Este é o ritual do holocausto. (É o holocausto que se encontra sobre o braseiro do altar, durante a noite até à manhã e que o fogo do altar deve consumir.) 3O sacerdote vestirá sua túnica de linho e com um calção de linho cobrirá o seu corpo. Depois retirará a cinza gordurosa do holocausto queimado pelo fogo sobre o altar e a depositará ao lado do altar. 4Retirará, então, as suas vestes; vestirá outras e transportará esta cinza gordurosa para um lugar puro, fora do acampamento. 5O fogo que consome o holocausto sobre o altar não se apagará jamais. Cada manhã o sacerdote lhe acrescentará mais lenha. Sobre ele disporá o holocausto e nele queimará as gorduras dos sacrifícios de comunhão. 6Um logo perpétuo arderá sobre o altar, sem jamais apagar-se.

B. A oblação7Este é o ritual da oblação: Após haver um dos filhos de Aarão trazido a oblação diante do altar, na presença de Iahweh, 8e separado um punhado de flor de farinha (com azeite e todo o incenso que a ela se acrescentou), e após ter queimado no altar o memorial de perfume de agradável odor a Iahweh, 9Aarão e seus filhos comerão a parte restante, em forma de pães sem levedura. Comê-la-ão em um lugar puro, no átrio da Tenda da Reunião. 10Não se cozerá com levedo a porção das minhas oferendas queimadas que lhes dou. É uma porção santíssima, como o sacrifício pelo pecado e o sacrifício de reparação. 11Todo varão dentre os filhos de Aarão poderá comer dessa porção das oferendas queimadas de Iahweh (é uma lei perpétua para todos os vossos descendentes), e todo o que nela tocar será sagrado. 12Iahweh falou a Moisés e disse-lhe: 13Esta é a oferenda que Aarão e seus filhos farão a Iahweh, no dia da sua unção: um décimo de medida de flor de farinha como oblação perpétua, metade de manhã e metade de tarde. 14Será preparada na assadeira, com azeite, bem mexida; trarás a massa na forma de oblação, em diversos pedaços que oferecerás em perfume de agradável odor a Iahweh. 15O sacerdote que entre seus filhos receber a unção procederá do mesmo modo. É uma lei perpétua. Esta oblação será queimada inteiramente para Iahweh. 16Toda oblação feita por um sacerdote deve ser um sacrifício completo; dela não se comerá.

C. O sacrifício pelo pecado17Iahweh falou a Moisés e disse: 18Fala a Aarão e a seus filhos e dize-lhes: O ritual do sacrifício pelo pecado é o seguinte: A vítima será imolada diante de Iahweh, no mesmo lugar onde se imola o holocausto. É coisa santíssima. 19O sacerdote que oferecer este sacrifício a comerá. Comê-la-á em um lugar sagrado, no átrio da Tenda da Reunião. 20Todo aquele que tocar a carne da vítima será sagrado e, se o sangue salpicar as vestes, a mancha será lavada em um lugar sagrado. 21O vaso de argila em que a carne for cozida será quebrado e, se for cozida em um vaso de bronze, este será esfregado e bem lavado na água. 22Todo varão entre os sacerdotes poderá comer dela; é coisa santíssima; 23mas não se comerá nenhuma das vítimas oferecidas pelo pecado, cujo sangue tenha sido levado à Tenda da Reunião para fazer expiação no santuário: serão queimadas no fogo.

7 D. O sacrifício de reparação1O ritual do sacrifício de reparação é o seguinte: É coisa santíssima. 2Imolar-se-á a vítima onde se imolam os holocaustos, e o sacerdote derramará o sangue dela sobre o altar, em redor. 3Oferecer-se-á dela toda a gordura: a cauda, a gordura que cobre as entranhas, 4os dois rins, a gordura aderente a eles e aos lombos, e a massa gordurosa que será retirada do fígado e dos rins. 5O sacerdote queimará esses pedaços no altar, como oferenda queimada para Iahweh. É um sacrifício de reparação: 6todo varão entre os sacerdotes poderá comer dele. Comer-se-á em um lugar sagrado; é uma coisa santíssima.

Direitos dos sacerdotes7Como o sacrifício pelo pecado, assim será o sacrifício de reparação: haverá para ambos o mesmo ritual. Ao sacerdote pertencerá a oferenda com a qual tiver feito o rito de expiação. 8O couro da vítima que alguém apresentar a um sacerdote para ser oferecida em holocausto pertencerá a esse sacerdote. 9Toda oblação cozida no forno, toda oblação preparada em uma panela ou em assadeira pertencerá ao sacerdote que a tiver oferecido. 10Toda oblação amassada com azeite, ou seca, pertencerá a todos os filhos de Aarão, indistintamente.

E. O sacrifício de comunhão: a) sacrifício com louvor11Este é o ritual do sacrifício de comunhão que se oferecerá a Iahweh: 12Se se acrescentar algo a um sacrifício com louvor, ajuntar-se-á a este uma oferenda de bolos sem levedo amassados com azeite, de fogaças sem levedo untadas com azeite e de flor de farinha bem amassada na forma de bolos amassados com azeite. 13Ajuntar-se-á, portanto, esta oferenda aos bolos de pão fermentado e ao sacrifício de comunhão com louvor. 14Apresentar-se-á um dos bolos desta oferenda como tributo a Iahweh; ele pertencerá ao sacerdote que espargir o sangue do sacrifício de comunhão. 15A carne da vítima será comida no mesmo dia em que se fizer a oferenda, sem nada deixar dela para o dia seguinte.

b) sacrifícios votivos ou voluntários16Se a vítima for oferecida como sacrifício votivo ou voluntário, será comida no dia em que for oferecida, bem como no dia seguinte, 17mas queimar-se-á no fogo, no terceiro dia, o que restar da carne da vítima.

Regras gerais18Se ao terceiro dia se comer da carne oferecida em sacrifício de comunhão, aquele que a ofereceu não será aceito. Não lhe será atribuído o sacrifício, pois é carne estragada, e a pessoa que dela comer levará o peso da sua falta. 19A carne que tocar qualquer coisa impura não poderá ser comida; será jogada ao fogo. Todo aquele que estiver puro poderá comer da carne; 20mas se alguém se encontrar em estado de impureza e comer da carne de um sacrifício de comunhão oferecido a Iahweh, será exterminado do meio do seu povo.  21Se alguém tocar uma impureza qualquer, de homem, de animal, ou qualquer coisa imunda, e comer em seguida a carne de um sacrifício de comunhão oferecido a Iahweh, será exterminado do meio do seu povo. 22Iahweh falou a Moisés e disse: 23Fala aos filhos de Israel e dize-lhes: Não comereis gordura de boi, de carneiro ou de cabra. 24A gordura do animal morto ou dilacerado poderá servir para qualquer uso, mas de maneira alguma a comereis. 25Todo aquele que comer a gordura de animal do qual se faz uma oferenda queimada a Iahweh, tal pessoa será eliminada do meio do seu povo. 26Onde quer que habiteis, não comereis sangue, quer se trate de ave ou de gado. 27Todo aquele que comer qualquer sangue será eliminado do seu povo.

Parte dos sacerdotes28Iahweh falou a Moisés e disse: 29Fala aos filhos de Israel e dize-lhes: Quem oferecer um sacrifício de comunhão a Iahweh trará como oferenda a Iahweh uma parte do seu sacrifício. 30Com suas próprias mãos trará a Iahweh as oferendas queimadas, isto é, a gordura que adere ao peito. Trará também o peito, com o qual fará o gesto de apresentação perante Iahweh. 31O sacerdote queimará a gordura no altar, e o peito pertencerá a Aarão e seus filhos. 32Como tributo dos vossos sacrifícios de comunhão dareis ao sacerdote a coxa direita. 33Essa coxa direita será a parte do filho de Aarão que tiver oferecido o sangue e a gordura do sacrifício de comunhão. 34Porque, na verdade, eu tomo dos filhos de Israel, dos seus sacrifícios de comunhão, o peito a ser oferecido e a coxa do tributo; dou-os a Aarão, o sacerdote, e a seus filhos: é uma lei perpétua para os filhos de Israel.

Conclusão35Esta foi a parte de Aarão nas oferendas queimadas a Iahweh, e também de seus filhos, no dia em que os apresentou a Iahweh, para que fossem seus sacerdotes. 36Foi isso que Iahweh ordenou aos filhos de Israel que lhes dessem, no dia da sua unção: lei perpétua para todos os seus descendentes. 37Este é o ritual referente ao holocausto, à oblação, ao sacrifício pelo pecado, aos sacrifícios de reparação, de investidura e de comunhão. 38Isto foi o que Iahweh ordenou a Moisés no monte Sinai, no dia em que ordenou aos filhos de Israel que apresentassem as suas oferendas a Iahweh no deserto do Sinai.

II. A investidura dos sacerdotes

8 Ritos de consagração1Iahweh falou a Moisés e disse: 2Toma a Aarão e seus filhos, as vestes, o óleo da unção, o novilho do sacrifício pelo pecado, os dois carneiros e o cesto dos ázimos. 3Em segui-la convoca toda a comunidade à entrada da Tenda da Reunião. 4Fez Moisés como Iahweh lhe ordenou, e toda a comunidade se  à entrada da Tenda da Reunião. 5Disse-lhes Moisés: “Eis o que Iahweh ordenou que se faça;” 6E mandou Aarão e seus filhos se aproximarem e os lavou com água 7Colocou-lhe a túnica, cingiu-o com o cinto, revestiu-o com o manto e pôs sobre este o efod. Depois cingiu-o com a faixa do efod e a fixou em Aarão. 8Colocou-lhe o peitoral, no qual pôs o Urim e o Tummim. 9Colocou-lhe sobre a cabeça o turbante e, na parte dianteira do turbante, a flor de ouro: este é o sinal da santa consagração, como Iahweh ordenou a Moisés. 10Moisés tomou então o óleo da unção e ungiu a fim de os consagrar, a Habitação e tudo o que nela havia. 11Fez sete aspersões sobre o altar e ungiu, a fim de os consagrar, o altar e os seus acessórios, a bacia e a sua base. 12Depois derramou o óleo da unção sobre a cabeça de Aarão e o ungiu, a fim de o consagrar. 13Em seguida mandou os filhos de Aarão se aproximarem, revestiu-os com túnicas, cingiu-os com os cintos e atou-lhes os barretes, conforme Iahweh ordenou a Moisés. 14Depois mandou trazer o novilho do sacrifício pelo pecado. Aarão e seus filhos colocaram as mãos sobre a cabeça da vítima, 15e Moisés a imolou. Tomou então do sangue e, com o dedo, o colocou nos chifres do altar em redor, para purificá-lo. Em seguida derramou o sangue na base do altar e o consagrou, fazendo por ele o rito de expiação. 16Tomou ainda toda a gordura que envolve as entranhas, a massa de gordura que sai do fígado, os dois rins e a gordura deles e os queimou sobre o altar. 17Quanto à pele do novilho, à sua carne e seus excrementos, queimou-os fora do acampamento, conforme Iahweh ordenou a Moisés. 18Mandou então trazer o carneiro do holocausto. Aarão e seus filhos puseram as mãos sobre a cabeça do carneiro, 19e Moisés o imolou. E fez correr o sangue sobre o altar, em redor. 20Em seguida esquartejou o carneiro e queimou a cabeça, os quartos e a gordura. 21Lavou com água as entranhas e as patas e queimou, no altar, todo o carneiro. Foi um holocausto de perfume de agradável odor, uma oferenda queimada a Iahweh, conforme havia Iahweh ordenado a Moisés. 22Mandou então trazer o segundo carneiro, o carneiro do sacrifício de investidura. Aarão e seus filhos puseram as mãos sobre a cabeça do carneiro, 23e Moisés o imolou. E tomou do sangue e o colocou no lóbulo da orelha direita de Aarão, no polegar da sua mão direita e no polegar do seu pé direito. 24Depois mandou os filhos de Aarão se aproximarem e pôs do mesmo sangue no lóbulo das suas orelhas direitas, nos polegares das suas mãos direitas e nos polegares dos seus pés direitos. Em seguida Moisés derramou o sangue sobre o altar, em redor; 25tomou as partes gordas: a cauda, toda a gordura que adere às entranhas, a massa gordurosa que sai do fígado, os dois rins e a gordura deles, e a coxa direita. 26Do cesto dos ázimos que estava diante de Iahweh, tomou um bolo ázimo, um bolo de pão azeitado, e uma fogaça que juntou às gorduras e à coxa direita. 27Colocou tudo nas mãos de Aarão e dos seus filhos e fez o gesto de apresentação diante de Iahweh. 28Moisés tomou tudo das mãos deles e o queimou no altar, em cima do holocausto. Foi o sacrifício de investidura em perfume de agradável odor, uma oferenda queimada a Iahweh; 29Moisés tomou também o peito e fez o gesto de apresentação diante de Iahweh. Esta foi a parte do carneiro da investidura que pertencia a Moisés, conforme Iahweh ordenou a Moisés. 30Em seguida tomou Moisés do óleo da unção e do sangue que estava sobre o altar e os aspergiu sobre Aarão e suas vestes, assim como sobre seus filhos e as vestes deles. Com isto consagrou a Aarão e suas vestes, assim como aos seus filhos e as vestes deles. 31Disse então Moisés a Aarão e a seus filhos: “Cozei a carne na entrada da Tenda da Reunião; ali a comereis, com o pão que está no cesto do sacrifício da investidura, conforme ordenei, dizendo: ‘Aarão e seus filhos o comerão.’ 32O que restar da carne e do pão queimá-lo-eis. 33Durante sete dias, não deixareis a entrada da Tenda da Reunião, até que se cumpra o tempo da vossa investidura, pois são necessários sete dias para a vossa investidura. 34Iahweh ordenou proceder como se fez hoje, a fim de realizar por vós o rito de expiação, 35e durante sete dias, dia e noite, permanecereis à entrada da Tenda da Reunião, observando o ritual de Iahweh para que não morrais. Pois esta é a ordem que recebi.” 36Aarão e seus filhos fizeram tudo que Iahweh ordenara por intermédio de Moisés.

9 Entrada dos sacerdotes em função1Ao oitavo dia, Moisés chamou Aarão e seus filhos e os anciãos de Israel; 2disse a Aarão: “Toma um bezerro para sacrifício pelo pecado e um carneiro para holocausto, ambos sem defeito, e traze-os perante Iahweh.” 3Em seguida dirás aos filhos de Israel: “Tomai um bode para sacrifício pelo pecado, um bezerro e um cordeiro de um ano (ambos sem defeito), para holocausto, 4um novilho e um carneiro para sacrifício de comunhão, para serem imolados diante de Iahweh, e também uma oblação amassada com azeite. Hoje, na verdade, Iahweh vos aparecerá.” 5Trouxeram diante da Tenda da Reunião tudo o que Moisés ordenara, e toda a comunidade aproximou-se e permaneceu de pé diante de Iahweh. 6Disse Moisés: “Isto é o que Iahweh vos ordenou que fizésseis, para que a sua glória vos apareça.” 7Disse então Moisés a Aarão: “Aproxima-te do altar, oferece teu sacrifício pelo pecado e teu holocausto, e faze assim o rito de expiação por ti e pela tua família. Apresenta então a oferenda do povo e faze por ele o rito de expiação conforme Iahweh ordenou.” 8Aarão aproximou-se do altar, imolou o bezerro do sacrifício pelo seu próprio pecado. 9Em seguida os filhos de Aarão apresentaram-lhe o sangue; molhou nele o dedo e o aplicou nos chifres do altar e derramou o sangue na base do altar. 10A gordura do sacrifício pelo pecado, os rins e a massa de gordura que sai do fígado, queimou-os no altar, conforme Iahweh ordenou a Moisés; 11a carne e a pele, queimou-as fora do acampamento. 12Depois imolou o holocausto, cujo sangue os filhos de Aarão lhe apresentaram; ele derramou-o sobre o altar, em redor. 13Também lhe entregaram a vítima dividida em quartos, e a cabeça, e ele os queimou no altar. 14Lavou as entranhas e as patas, e as queimou no altar, em cima do holocausto. 15Apresentou então a oferenda do povo: tomou o bode do sacrifício pelo pecado do povo, imolou-o e ofereceu-o em sacrifício pelo pecado, da mesma maneira como fez com o primeiro. 16Mandou trazer também o holocausto e procedeu de acordo com o rito. 17Em seguida, tendo feito aproximar a oblação, tomou dela um punhado que queimou no altar, além do holocausto da manhã. 18Por fim imolou o novilho e o carneiro em sacrifício de comunhão pelo povo. Os filhos de Aarão entregaram-lhe o sangue, e ele o derramou sobre o altar, em redor. 19As gorduras deste novilho e deste carneiro, a cauda, a gordura que envolve as entranhas, os rins e a massa de gordura que sai do fígado, 20ele os colocou” sobre os peitos e queimou tudo no altar. 21Aarão fez o gesto de apresentação diante de Iahweh, com os peitos e a coxa direita, conforme Iahweh ordenou a Moisés. 22Aarão levantou as suas mãos em direção ao povo e o abençoou. Havendo assim realizado o sacrifício pelo pecado, o holocausto e o sacrifício de comunhão, desceu 23e, com Moisés, entrou na Tenda da Reunião. Em seguida saíram ambos para abençoar o povo. A glória de Iahweh apareceu a todo o povo; 24uma chama fulgurou de diante de Iahweh e devorou o holocausto e as gorduras que estavam sobre o altar. Diante do que via, todo o povo soltou brados de júbilo e todos prostraram-se com a face por terra.

10 Regulamentação complementar. A. Gravidade das irregularidades. Nadab e Abiú1Os filhos de Aarão, Nadab e Abiú, tomaram cada um o seu incensório. Puseram neles fogo sobre o qual colocaram incenso, e apresentaram perante Iahweh um fogo irregular, o que não lhes havia sido determinado. 2Saiu então, de diante de Iahweh, uma chama que os devorou, e pereceram na presença de Iahweh. 3Disse então Moisés a Aarão: “Foi isso que Iahweh declarou, quando disse: Àqueles que se aproximam de mim, mostro a minha santidade, e diante de todo o povo mostro a minha glória.”Aarão permaneceu calado.

B. Retirada dos corpos4Moisés chamou Misael e Elisafã, filhos de Oziel, tio de Aarão, e disse-lhes: “Aproximai-vos e levai vossos irmãos para longe do santuário, para fora do acampamento.” 5Eles aproximaram-se e os levaram nas suas próprias túnicas, para fora do acampamento, conforme Moisés havia dito.

C. Regras especiais de luto para os sacerdotes6Disse Moisés a Aarão e a seus filhos, Eleazar e Itamar: “Não desgrenheis os vossos cabelos e não rasgueis as vossas vestes, para que não morrais. É contra toda a comunidade que ele está irritado, e portanto toda a casa de Israel deverá chorar vossos irmãos, vítimas do fogo de Iahweh. 7Não deixeis a entrada da Tenda da Reunião para que não morrais, visto que tendes em vós o óleo da unção de Iahweh.” E eles obedeceram às palavras de Moisés.

D. Proibição do uso de vinho8Iahweh falou a Aarão e disse: 9“Quando vierdes à Tenda da Reunião, tu e os teus filhos contigo, não bebais vinho nem bebida fermentada: isto para que não morrais. É uma lei perpétua para todos os vossos descendentes. 10E isto sempre que tiverdes de separar o sagrado e o profano, o impuro e o puro, 11e quando ensinardes aos filhos de Israel todos os preceitos que Iahweh estabeleceu para vós, por intermédio de Moisés.”

E. A parte dos sacerdotes nas oferendas12Moisés disse a Aarão e a seus filhos sobreviventes, Eleazar e Itamar: “Tomai a oblação que resta das oferendas queimadas a Iahweh. Comei-a sem fermento junto do altar, pois é coisa santíssima. 13Comê-la-eis no lugar sagrado: é a parte estabelecida para li e para teus filhos das oferendas queimadas a Iahweh; assim, pois, me foi ordenado. 14“O peito de apresentação e a coxa de tributo, comê-los-eis em um lugar puro, tu, teus filhos e tuas filhas contigo; é a parte estabelecida, para ti e teus filhos, aquela que te é dada dos sacrifícios de comunhão dos filhos de Israel. 15A coxa de tributo e o peito de apresentação que acompanham as gorduras queimadas te pertencem, a ti e a teus filhos contigo, depois de lerem sido oferecidos em gesto de apresentação diante de Iahweh; isto em vista da lei perpétua, conforme Iahweh ordenou.”

F. Regra especial referente ao sacrifício pelo pecado16Moisés inquiriu diligentemente a respeito do bode oferecido em sacrifício pelo pecado, e eis que tinha sido queimado! Irritou-se contra Eleazar e Itamar, os filhos sobreviventes de Aarão. 17“Por que, disse ele, não comestes a vítima no lugar sagrado? Pois é coisa santíssima que vos foi dada para remover a culpa da comunidade, fazendo sobre ela o rito de expiação diante de Iahweh. 18Visto que o sangue dela não foi levado para o interior do santuário, ali devíeis comer a carne conforme ordenei.” 19Aarão disse a Moisés: “Eis que eles ofereceram hoje o seu sacrifício pelo pecado e o seu holocausto diante de Iahweh! Com o que me aconteceu, se eu tivesse comido hoje da vítima pelo pecado, seria isso agradável a Iahweh?” 20Moisés ouviu isso e lhe pareceu razoável.

III. Regras referentes ao puro e ao impuro

11 Animais puros e impuros. A. Animais terrestres1Iahweh falou a Moisés e a Aarão, e disse-lhes: 2“Falai aos filhos de Israel e dizei-lhes: Estes são os quadrúpedes que podereis comer, dentre todos os animais terrestres: 3Todo animal que tem o casco fendido, partido em duas unhas, e que rumina, podereis comê-lo. 4São as seguintes as espécies que não podereis comer, dentre aqueles que ruminam ou que têm o casco fendido: Tereis como impuro o camelo porque, embora sendo ruminante não tem o casco fendido; 5tereis como impuro o coelho porque, embora sendo ruminante, não tem o casco fendido; 6tereis como impura a lebre porque, embora sendo ruminante, não tem o casco fendido; 7tereis como impuro o porco porque, apesar de ter o casco fendido, partido em duas unhas, não rumina. 8Não comereis da carne deles nem tocareis o seu cadáver, e vós os tereis como impuros.

A Animais aquáticos9Dentre tudo aquilo que vive na água, podereis comer o seguinte: Tudo o que tem barbatanas e escamas e vive na água dos mares e dos rios, podereis comer. 10Mas tudo o que não tem barbatanas e escamas, nos mares ou nos rios, todos os animaizinhos que infestam as águas e todos os seres viventes que nela se encontram, tê-los-eis como imundos. 11Serão para vós imundos, não comereis a sua carne de modo algum e abominareis os seus cadáveres. 12Tudo o que vive na água sem ter barbatanas e escamas será para vós imundo.

B Aves13Dentre as aves, tereis por imundas, e não se comerão, pois que são imundas, as seguintes: o abutre, o gipaeto, o xofrango, 14o milhafre negro, as diferentes espécies de milhafre vermelho, 15todas as espécies de corvo, 16o avestruz, a coruja, a gaivota e as diferentes espécies de gavião, 17o mocho, o alcatraz, o íbis, 18o grão-duque, o pelicano, o abutre branco, 19a cegonha e as diferentes espécies de garça, a poupa e o morcego.

D Insetos alados20Todos os insetos alados que caminham sobre quatro pés serão para vós imundos. 21De todos os insetos alados que caminham sobre quatro pés, não podereis comer a não ser os seguintes: aqueles que têm patas além dos pés, para saltarem sobre a terra. 22Dentre eles podereis comer os seguintes: as diferentes espécies de locustídeos, de gafanhotos, de acrídios e de grilos. 23Contudo, todos os insetos alados de quatro pés, tê-los-eis como imundos.

O contato com animais impuros24Contraireis impureza deles; todo aquele que tocar o seu cadáver ficará impuro até à tarde. 25Todo aquele que transportar o seu cadáver deverá lavar as suas vestes e ficará impuro até à tarde. 26Quanto aos animais que têm casco, porém não dividido, e que não ruminam, considerá-los-eis impuros; todo aquele que os tocar fiará impuro. 27Todos os animais de quatro patas que caminham sobre a planta dos pés serão para vós impuros; todo aquele que tocar o seu cadáver ficará impuro até à tarde, 28e todo aquele que transportar o seu cadáver deverá lavar as suas vestes e ficará impuro até à tarde. Eles serão impuros para vós.

E. Animais que vivem na terra29Dentre os animais que rastejam pela leira, são os seguintes os que considerareis impuros: a toupeira, o rato e as diferentes espécies de lagartos: 30geco, crocodilo da terra, lagarto, lagarto da areia e camaleão.

Outras regras sobre os contatos impuros31Dentre todos os répteis, estes são aqueles que considerareis impuros. Todo aquele que os tocar quando estiverem mortos ficará impuro até à tarde. 32Todo objeto sobre o qual cair um deles, estando morto, se torna impuro: todo utensílio de madeira, veste, couro, saco, enfim, qualquer utensílio. Será lavado em água e ficará impuro até à tarde; depois ficará puro. 33Todo vaso de argila no qual cair um deles será quebrado; o seu conteúdo é impuro. 34Todo alimento que se come será impuro, ainda que seja só umedecido com água; e toda bebida que se bebe será impura, qualquer que seja o recipiente. 35Tudo aquilo sobre o que cair um dos seus cadáveres será impuro; forno e estufa serão destruídos, pois se tornam impuros e serão impuros para vós 36(contudo, fontes, cisternas e lagos permanecerão puros); todo aquele que tocar nos seus cadáveres ficará impuro. 37Se algum dos seus cadáveres cair sobre uma semente qualquer, permanecerá pura; 38porém, se o grão foi umedecido com água e um dos seus cadáveres cair sobre ele, tê-lo-eis por impuro. 39Se morrer um dos animais que vos servem de alimento, quem tocar o seu cadáver ficará impuro até à tarde; 40quem comer da sua carne deverá lavar as suas vestes e ficará impuro até à tarde; quem transportar o seu cadáver deverá lavar as suas vestes e ficará impuro até à tarde.

Considerações doutrinais41Todo réptil que anda de rasto sobre a terra é imundo; hão se comerá. 42Tudo que se arrasta sobre o ventre, tudo que caminha sobre quatro ou mais patas, enfim, todos os répteis que se arrastam sobre a terra, não comereis deles, pois que são imundos. 43Não vos torneis, vós mesmos, imundos, com todos estes répteis que andam de rasto, não vos contamineis com eles e não sejais contaminados por eles. 44Pois sou eu, Iahweh, o vosso Deus. Fostes santificados e vos tornastes santos, pois que eu sou santo; não vos torneis, portanto, impuros com todos esses répteis que rastejam sobre a terra. 45Sou eu, Iahweh, que vos fiz subir da terra do Egito para ser o vosso Deus: sereis santos, porque eu sou santo

Conclusão46Essa é a lei referente aos animais, às aves, a todo ser vivente que se move na água e a todo ser que rasteja sobre a terra. 47Tem por finalidade separar o puro e o impuro, os animais que se podem comer e aqueles que não se devem comer.

12 Purificação da mulher depois do parto1Iahweh falou a Moisés e disse: 2Fala aos filhos de Israel e dize-lhes: Se uma mulher conceber e der à luz um menino, ficará impura durante sete dias, como por ocasião da impureza das suas regras. 3No oitavo dia, circuncidar-se-á o prepúcio do menino 4e, durante trinta e três dias, ela ficará ainda purificando-se do seu sangue. Não tocará coisa alguma consagrada e não irá ao santuário, até que se cumpra o tempo da sua purificação. 5Se der à luz uma menina, ficará impura durante duas semanas, como durante as suas regras, e ficará mais sessenta e seis dias purificando-se do seu sangue. 6Quando tiver cumprido o período da sua purificação, quer seja por um menino, quer seja por uma menina, levará ao sacerdote, à entrada da Tenda da Reunião, um cordeiro de um ano para holocausto e um pombinho ou uma rola em sacrifício pelo pecado. 7O sacerdote os oferecerá diante de Iahweh, realizará por ela o rito de expiação e ela ficará purificada do seu fluxo de sangue. Essa é a lei referente à mulher que dá à luz um menino ou uma menina. 8Se ela não tiver possibilidade de conseguir a soma necessária para um cordeiro, tomará duas rolas ou dois pombinhos, um para o holocausto e o outro em sacrifício pelo pecado. O sacerdote fará por ela o rito de expiação e ela ficará purificada.

13 A lepra humana: A. Tumor, dartro e mancha1Iahweh falou a Moisés e a Aarão e disse: 2Se se formar sobre a pele de um homem um tumor, um dartro ou uma mancha, pode tratar-se de um caso de lepra da pele. Será conduzido a Aarão, o sacerdote, ou a um dos sacerdotes seus filhos. 3O sacerdote examinará a enfermidade sobre a pele. Se no lugar enfermo o pêlo se tornou branco e a enfermidade se tornou mais profunda na epiderme, é caso de lepra; depois da observação o sacerdote o declarará impuro. 4Mas se sobre a pele há uma mancha branca, sem depressão visível da pele, e o pêlo não se tornou branco, o sacerdote isolará o enfermo durante sete dias. 5No sétimo dia o examinará. Se verificar com seus próprios olhos que a enfermidade permanece, sem se alastrar sobre a pele, o isolará durante mais sete dias 6e o examinará novamente no sétimo dia. Se verificar que a enfermidade e tornou baça e não se desenvolveu sobre a pele, o sacerdote declarará o homem puro, pois trata-se de dartro. Depois de haver lavado as suas vestes, ficará puro. 7Contudo, se o dartro se alastrou sobre a pele, depois que o enfermo foi examinado pelo sacerdote e declarado puro, apresentar-se-á de novo ao sacerdote. 8Depois de o ter examinado e ter constatado o desenvolvimento do dartro sobre a pele, o sacerdote o declarará impuro: trata-se de lepra.

B. Lepra inveterada 9Quando aparecer em um homem uma enfermidade do gênero da lepra, será levado ao sacerdote. 10O sacerdote o examinará e se constatar sobre a pele um tumor esbranquiçado, pêlos que se tornaram brancos e o aparecimento de uma úlcera, 11é lepra inveterada sobre a pele. O sacerdote o declarará impuro. Não o isolará, pois que, sem dúvida alguma, está impuro. 12Mas se a lepra se alastrar sobre a pele, se a enfermidade a recobrir totalmente e se estender da cabeça aos pés, até onde pode observar o sacerdote, 13este examinará o enfermo e, verificando que a lepra recobre todo o seu corpo, declarará puro o enfermo. Visto que tudo se tornou branco, está puro. 14Contudo, no dia em que aparecer nele uma úlcera, ficará impuro. 15Após o exame da úlcera, o sacerdote o declarará impuro: a úlcera é coisa impura, é proveniente da lepra. 16Mas se a úlcera se tornar branca, o homem procurará o sacerdote, 17este o examinará e, se verificar que a enfermidade se tornou branca, declarará puro o enfermo: está puro.

C Úlcera18Quando alguém tiver na pele uma úlcera de que já foi curado, 19se se formar no lugar da úlcera um tumor esbranquiçado ou uma mancha branca-avermelhada, esse homem se apresentará ao sacerdote. 20Este o examinará; se verificar um aprofundamento visível da pele e embranquecimento do pêlo, o sacerdote o declarará impuro: é caso de lepra que se manifesta na úlcera. 21Se, ao examiná-lo, o sacerdote não constatar pêlos brancos nem aprofundamento da pele, mas um embranquecimento da enfermidade, então isolará o enfermo durante sete dias. 22Declará-lo-á impuro se a enfermidade se desenvolver sobre a pele: é um caso de lepra. 23Mas se a mancha permanecer estacionária, sem estender-se, é a cicatriz da úlcera; o sacerdote declarará o homem puro.

D Queimadura24Quando se der na pele de alguém uma queimadura, se se formar na queimadura um abscesso, uma mancha branco-avermelhada ou esbranquiçada, 25o sacerdote a examinará. Se constatar que o pêlo se tornou branco ou que houve um aprofundamento visível da mancha na pele, é a lepra que se desenvolve na queimadura. O sacerdote declarará o homem impuro: é caso de lepra. 26Se, ao contrário, o sacerdote não constatar, em seu exame, pêlos brancos na mancha nem aprofundamento da pele, mas que a mancha se tornou esbranquiçada, o sacerdote o isolará por sete dias. 27No sétimo dia o examinará e, se a enfermidade se tiver propagado na pele, declará-lo-á impuro: é caso de lepra. 28Se a mancha permaneceu estacionária, sem se propagar na pele, mas pelo contrário tornou-se pálida, nada mais é do que um tumor da queimadura. O sacerdote declarará o homem puro, pois é cicatriz da queimadura.

E Afecções do couro cabeludo29Se um homem ou uma mulher apresentar uma chaga na cabeça ou no queixo, 30o sacerdote examinará a chaga e, se constatar uma depressão visível da pele, com pêlo amarelado e fino, declarará o enfermo impuro. É tinha, isto é, lepra da cabeça ou do queixo. 31Se, ao examinar este caso de tinha, o sacerdote constatar que não há depressão visível da pele, nem pêlo amarelado, isolará por sete dias o tinhoso. 32No sétimo dia examinará a enfermidade e, se constatar que a tinha não se desenvolveu, que o pêlo nela não é amarelado, que não há de pressão visível da pele, 33o enfermo rapará os pêlos, exceto na parte tinhosa, e o sacerdote o isolará segunda vez durante sete dias. 34No sétimo dia examinará a enfermidade e, se constatar que não se desenvolveu sobre a pele, que não há depressão visível da pele, o sacerdote declarará puro o enfermo. Depois de ter lavado as suas vestes, ficará puro. 35Contudo, se após a purificação a tinha se desenvolver sobre a pele, 36o sacerdote o examinará: se constatar um desenvolvimento da tinha sobre a pele, é porque o enfermo está impuro, e não se verificará se o pêlo está amarelado. 37Mas se a tinha parece estacionária e o pêlo preto cresceu nela, é porque a enfermidade está curada. O enfermo está puro e o sacerdote o declarará puro.

F Exantema38Se surgirem manchas sobre a pele de um homem ou de uma mulher e se estas manchas forem brancas, 39o sacerdote as examinará. Se verificar que estas manchas sobre a pele são de um branco-embaciado, trata-se de exantema que se desenvolveu sobre a pele: o enfermo está puro.

G Calvície40Se um homem perde os cabelos da cabeça, trata-se de calvície da cabeça e está puro. 41Se é na parte da frente da cabeça que perde os cabelos, trata-se de calvície da fronte e está puro. 42Mas se houver na cabeça ou na parte da frente uma enfermidade branco-avermelhada, é uma lepra que se desenvolveu na cabeça ou na fronte de tal homem. 43O sacerdote o examinará e, se constatar na cabeça ou na fronte um tumor branco-avermelhado, com o mesmo aspecto da lepra da pele, 44então o homem está leproso; é impuro. O sacerdote deverá declará-lo impuro, pois está enfermo de lepra na cabeça.

Lei sobre o leproso45O leproso portador desta enfermidade trará suas vestes rasgadas e seus cabelos desgrenhados; cobrirá o bigode e clamará: “Impuro! Impuro!” 46Enquanto durar a sua enfermidade, ficará impuro e, estando impuro, morará à parte: sua habitação será fora do acampamento.

Lepra das vestes47Quando em uma veste houver lepra, seja ela uma veste de lã ou de linho, 48um tecido ou uma coberta de lã ou de linho, de couro ou uma peça qualquer de couro, 49e se a mancha da veste, ou do couro, ou do tecido, ou da coberta ou do objeto de couro for esverdeada ou avermelhada, é caso de lepra e deve-se mostrar ao sacerdote. 50O sacerdote examinará a enfermidade e isolará o objeto durante sete dias. 51No sétimo dia, se observar que a enfermidade se desenvolveu sobre a veste, o tecido, a coberta, o couro ou o objeto feito de couro, qualquer que seja, é caso de lepra contagiosa: o objeto atacado está impuro. 52Queimar-se-á a veste, o tecido, a coberta de lã ou de linho, o objeto de couro, qualquer que seja, sobre o qual se apresentou a enfermidade, pois que é lepra contagiosa que deve ser destruída pelo fogo. 53Contudo se, ao examinar, o sacerdote verificar que a enfermidade não se desenvolveu sobre a veste, o tecido, a coberta, ou sobre o objeto de couro, qualquer que seja, 54então determinará que se lave o objeto atingido e o isolará segunda vez, durante sete dias. 55Após a lavagem, examinará a enfermidade e, se verificar que não mudou de aspecto, nem se desenvolveu, o objeto está impuro. Queimá-lo-ás no fogo: há corrosão no direito e no avesso. 56Mas se, ao examinar, o sacerdote verificar que após a lavagem a enfermidade ficou embaçada, então a rasgará da veste, do couro, do tecido ou da coberta. 57Contudo, se a enfermidade se propagar sobre a veste, o tecido, a coberta ou o objeto de couro, qualquer que seja, é porque a enfermidade está ativa, e então queimarás no fogo aquilo que foi por ela atacado. 58A veste, o tecido, a coberta e qualquer objeto de couro do qual desapareceu a enfermidade após a lavagem ficará puro depois de lavado uma segunda vez. 59Essa é a lei para o caso de lepra na veste de lã ou de linho, no tecido, na coberta ou no objeto de couro, qualquer que seja, quando se trata de declará-los puros ou impuros. 10No oitavo dia tomará dois cordeiros sem defeito, uma cordeira sem defeito, e três décimos de flor de farinha amassada com azeite, para oblação, e um quartilho de azeite. 11O sacerdote que realiza a purificação colocará o homem a ser purificado, juntamente com as suas oferendas, à entrada da Tenda da Reunião, diante de Iahweh. 12Em seguida tomará dos cordeiros e o oferecerá em sacrifício de reparação, juntamente com o quartilho de azeite. Fará com eles o gesto de apresentação diante de Iahweh. 13Imolará o cordeiro no lugar santo, onde se imolam as vítimas do  sacrifício pelo pecado e do holocausto. Esta vítima de reparação pertencerá ao sacerdote como um sacrifício pelo pecado, pois é coisa santíssima 14Tomará o sacerdote do sangue do sacrifício e o porá sobre o lóbulo da orelha direita daquele que se purifica, sobre o polegar da sua mão direita e sobre o polegar do seu pé direito. 15Tomará em seguida o quartilho de azeite e derramará um pouco na palma da sua mão esquerda. 16Molhará o dedo da mão direita no azeite que está na palma da mão esquerda, e com este azeite fará com o dedo sete aspersões diante de Iahweh. 17Em seguida, porá um pouco do azeite que lhe resta na palma da mão sobre o lóbulo da orelha direita daquele que se purifica, sobre o polegar da mão direita e sobre o polegar do pé direito, em cima do sangue do sacrifício de reparação. 18A parte restante do azeite que tem na palma da mão, pô-la-á na cabeça daquele que se purifica. Assim terá feito sobre ele o rito de expiação diante de Iahweh. 19O sacerdote fará então o sacrifício pelo pecado, e realizará sobre aquele que se purifica o rito de expiação de sua impureza. Depois disso, imolará o holocausto 20e oferecerá no altar o holocausto e a oblação. Tendo o sacerdote assim realizado sobre este homem o rito de expiação, ele ficará puro. 21Se for pobre e desprovido de recursos suficientes, tomará um só cordeiro, o do sacrifício de reparação, e o oferecerá conforme o gesto de apresentação, a fim de realizar pelo homem o rito de expiação. Tomará apenas um décimo de flor de farinha amassada com azeite, para oblação, e o quartilho de azeite, 22duas rolas ou dois pombinhos — segundo as suas possibilidades —, dos quais um será destinado ao sacrifício pelo pecado e o outro ao holocausto. 23No oitavo dia, para sua purificação, ele os trará ao sacerdote, à entrada da Tenda da Reunião, diante de Iahweh. 24O sacerdote tomará o cordeiro do sacrifício de reparação e o quartilho de azeite. Oferecê-los-á com o gesto de apresentação diante de Iahweh. 25Depois, tendo imolado o cordeiro do sacrifício de reparação, tomará do seu sangue e o colocará sobre o lóbulo da orelha direita daquele que se purifica, sobre o polegar da sua mão direita e sobre o polegar do seu pé direito. 26Derramará do azeite na palma da sua mão esquerda 27e, com este azeite que está na palma da mão esquerda, fará com seu dedo sete aspersões diante de Iahweh. 28Pô-lo-á sobre o lóbulo da orelha direita daquele que se purifica, sobre o polegar da sua mão direita, sobre o polegar do seu pé direito, no lugar onde foi posto o sangue do sacrifício de reparação. 29A parte restante do azeite que está na palma da sua mão, colocá-la-á na cabeça daquele que se purifica, fazendo por ele o rito da expiação diante de Iahweh. 30Com uma das rolas ou com um dos pombinhos — com aquilo que está nas suas possibilidades — fará 31um sacrifício pelo pecado e, com o outro, um holocausto acompanhado de oblação — com aquilo que teve possibilidade de oferecer. O sacerdote terá feito assim o rito de expiação diante de Iahweh, sobre aquele que se purifica. 12Essa é a lei referente ao leproso que não tem o recurso devido à sua purificação.

Lepra das casas33Iahweh falou a Moisés e a Aarão e disse: 34Quando tiverdes entrado na terra de Canaã, que vos dou por possessão, e eu ferir de lepra uma casa da terra que possuireis, 35o seu proprietário avisará o sacerdote e dirá: “Parece-me que há algo como lepra na casa.” 36O sacerdote ordenará que desocupem a casa, antes de vir examinar a enfermidade; assim ninguém se tornará impuro com aquilo que lá se encontra. Depois disso o sacerdote virá observar a casa 37e se, depois do exame, constatar nas paredes da casa cavidades esverdeadas ou avermelhadas encravadas na parede, 38sairá o sacerdote da casa e, à porta, a fará fechar por sete dias. 39Voltará ao sétimo dia e se, após exame, constatar que a enfermidade se desenvolveu nas paredes da casa, 40ordenará que se retirem as pedras atacadas pela enfermidade e que sejam atiradas fora da cidade, em um lugar impuro. 41Depois fará raspar todas as paredes internas da casa e se jogará o pó raspado em um lugar impuro, fora da cidade. 42Tomar-se-ão outras pedras para substituir as primeiras e outra argamassa para rebocar a casa. 43Se a enfermidade se propagar de novo após a mudança das pedras, a raspagem e a rebocadura da casa, 44o sacerdote virá examiná-la; se consular que a enfermidade se desenvolveu, há lepra contagiosa na casa; está impura. 45A casa será demolida e serão transportados para um lugar impuro, fora da cidade, as suas pedras, suas madeiras e todo o seu reboco. 46Todo aquele que entrar na casa, durante o tempo em que permanecer fechada, ficará impuro até à tarde. 47Todo aquele que dormir nela deverá lavar suas vestes. E quem nela comer deverá lavar suas vestes. 48Mas se o sacerdote, quando vier examinar a enfermidade, constatar que ela não progrediu na casa, depois que foi rebocada, declarará a casa pura, visto que a enfermidade está curada. 49Para o sacrifício pelo pecado da casa, tomará duas aves, madeira de cedro, lã escarlate e hissopo. 50Imolará uma das aves em um vaso de argila sobre água corrente. 51Em seguida tomará a madeira de cedro, o hissopo, a lã escarlate e a ave ainda viva, e os mergulhará no sangue da ave imolada e na água corrente. Fará sete aspersões sobre a casa 52e, depois de ter feito o sacrifício pelo pecado da casa com o sangue da ave, a água corrente, a ave viva, a madeira de cedro, o hissopo e a lã escarlate, 53soltará a ave viva fora da cidade, no campo. Feito assim o rito de expiação pela casa, ela ficará pura. 54Essa é a lei referente a todos os casos de lepra e de tinha, 55lepra das vestes e das casas, 56tumores, dartros e manchas. 57Ela estabelece o tempo de impureza e da pureza. Essa é, pois, a lei da lepra.

15 Impurezas sexuais: A. do homem1Iahweh falou a Moisés e a Aarão e disse: 2Falai aos filhos de Israel e lhes direis: Quando um homem tem um fluxo que sai do seu corpo, tal fluxo é impuro. ‘Enquanto tiver a fluxo, a sua impureza consistirá no seguinte: Quer a sua carne deixe sair o fluxo, quer o retenha, ele é impuro. 4Todo leito em que tal homem se deitar ficará impuro, e todo móvel onde se assentar ficará impuro. 5 Aquele que tocar o seu leito deverá lavar as próprias vestes, banhar-se em água, e ficará impuro até à tarde. 6Aquele que se assentar em um móvel onde tal homem se assentou deverá lavar as suas vestes, banhar-se em água, e ficará impuro até à tarde 7E quem tocar o corpo deste homem deverá lavar suas vestes, banhar se em água, e ficará impuro até à tarde. 8E se este homem cuspir sobre uma pessoa pura, esta deverá lavar suas vestes, banhar-se em água, e ficará impura até à tarde. 9Toda sela sobre a qual viajar este homem ficará impura. 10E todos aqueles que tocarem em um objeto qualquer, que tenha estado debaixo dele, ficarão impuros até à tarde. Aquele que transportar tal objeto deverá lavar suas vestes, banhar-se em água, e ficará impuro até à tarde. 11Todos aqueles que forem tocados por este homem, sem que ele tenha lavado as mãos, deverão lavar suas vestes, banhar-se em água, e ficarão impuros até à tarde. 12O vaso de argila tocado por este homem será quebrado, e todo utensílio de madeira deverá ser lavado. 13Quando o homem estiver são, contará sete dias para a sua purificação. Deverá lavar suas vestes, banhar o corpo em água corrente e então ficará puro. 14No oitavo dia tomará duas rolas ou dois pombinhos e viril diante de Iahweh, à entrada da Tenda da Reunião e os entregará ao sacerdote. 15Com um deles fará um sacrifício pelo pecado, e com o outro um holocausto. Assim o sacerdote fará sobre ele, diante de Iahweh, o rito de expiação do seu fluxo. 16Quando um homem tiver emissão seminal, deverá banhar em água todo o corpo, e ficará impuro até à tarde. 17Toda veste e todo couro atingidos pela emissão seminal deverão ser lavados em água e ficarão impuros até à tarde. 18Quando uma mulher tiver coabitado com um homem, deverão ambos lavar-se com água, e ficarão impuros até à tarde.

B. da mulher19Quando uma mulher tiver um fluxo de sangue e que seja fluxo de sangue do seu corpo, permanecerá durante sete dias na impureza das suas regras. Quem a tocar ficará impuro até à tarde. 20Toda cama sobre a qual se deitar com o seu fluxo ficará impura; todo móvel sobre o qual se assentar ficará impuro. 21Todo aquele que tocar o leito dela deverá lavar suas vestes, banhar-se em água e ficará impuro até à tarde. 22Todo aquele que tocar um móvel, qualquer que seja, onde ela se tiver assentado, deverá lavar suas vestes, banhar-se em água, e ficará impuro até à tarde. 23Se algum objeto se encontrar sobre o leito ou sobre o móvel no qual ela está assentada, aquele que o tocar ficará impuro até à tarde. 24Se um homem coabitar com ela, a impureza das suas regras o atingirá. Ficará impuro durante sete dias. Todo leito sobre o qual ele se deitar ficará impuro. 25Quando uma mulher tiver um fluxo de sangue de diversos dias, fora do tempo das suas regras, ou se as suas regras se prolongarem, estará, durante toda a duração do fluxo, no mesmo estado de impureza em que esteve durante o tempo das suas regras. 26Assim será para todo leito sobre o qual ela se deitar, durante todo o tempo de seu fluxo, como o foi para o leito em que se deitou quando das suas regras. Todo móvel sobre o qual se assentar ficará impuro, como quando das suas regras. 27Quem os tocar ficará impuro, deverá lavar suas vestes, banhar-se em água, e ficará impuro até à tarde. 28Quando estiver curada do seu fluxo, contará sete dias, e então estará pura. 29No oitavo dia tomará duas rolas ou dois pombinhos e os trará ao sacerdote, à entrada da Tenda da Reunião. 30O sacerdote oferecerá um deles em sacrifício pelo pecado, e o outro como holocausto. Assim fará o sacerdote sobre ela, diante de Iahweh, o rito de expiação do seu fluxo, que a tornou impura.

Conclusão31Advertireis os filhos de Israel a respeito de suas impurezas, para que não morram por causa delas, contaminando a minha Habitação que se encontra no meio deles. 32Essa é a lei a respeito do homem que tem um fluxo, daquele que se torna impuro devido à emissão seminal, 33da mulher quando da impureza das suas regras, a respeito do homem ou da mulher que tem um fluxo e a respeito do homem que coabita com a mulher impura.

16 O grande Dia das Expiações1Iahweh falou a Moisés depois da morte dos dois filhos de Aarão, que pereceram ao apresentarem diante de Iahweh um fogo irregular. 2Iahweh disse a Moisés: Fala a Aarão teu irmão: que ele não entre em momento algum no santuário, além do véu, diante do propiciatório que está sobre a arca. Poderá morrer, pois apareço sobre o propiciatório, em uma nuvem. 3Entrará no santuário da seguinte maneira: com um novilho destinado no sacrifício pelo pecado e um carneiro para o holocausto. 4Vestirá uma túnica de linho, sagrada, e trará também calções de linho sobre o corpo, cingir-se-á com um cinto de linho e envolverá a cabeça com um turbante de linho. São estas as vestes sagradas que vestirá, depois de ter se banhado em água. 5Receberá da comunidade dos filhos de Israel dois bodes destinados ao sacrifício pelo pecado, e um carneiro para o holocausto. 6Depois de haver oferecido o novilho do sacrifício pelo seu próprio pecado e de ter feito o rito de expiação por si mesmo e pela sua casa, 7Aarão tomará os dois bodes e os colocará diante de Iahweh na entrada de Tenda da Reunião 8ançará a sorte sobre os dois bodes, atribuindo uma sorte a Iahweh e outra a Azazel. 9Aarão oferecerá o bode sobre o qual caiu a sorte “Para Iahweh” e fará com ele um sacrifício pelo pecado. 10Quanto ao bode sobre o qual caiu a sorte “Para Azazel”, será colocado vivo diante de Iahweh, para se fazer com ele o rito de expiação, a fim de ser enviado a Azazel, no deserto. 11Aarão oferecerá o novilho do sacrifício pelo seu próprio pecado, e em seguida fará o rito de expiação por si mesmo e pela sua casa e imolará o novilho. 12Encherá então um incensório com brasas ardentes tiradas do altar, de diante de Iahweh, e tomará dois punhados de incenso aromático pulverizado. Levará tudo para detrás do véu, 13e colocará o incenso sobre o fogo, diante de Iahweh; uma nuvem de incenso recobrirá o propiciatório que está sobre o Testemunho, a fim de que não morra. 14Depois tomará do sangue do novilho e aspergirá com o dedo o lado oriental do propiciatório; diante do propiciatório fará, com o dedo sete aspersões com esse sangue. 15Imolará então o bode destinado ao sacrifício pelo pecado do povo e levará o seu sangue para detrás do véu. Fará com esse sangue o mesmo que fez com o sangue do novilho, aspergindo-o sobre o propiciatório e diante deste. 16Fará assim o rito de expiação pelo santuário, pelas impurezas dos filhos de Israel, pelas suas transgressões e por todos os seus pecados. Assim procederá para com a Tenda da Reunião que permanece com eles, no meio das suas impurezas. 17Ninguém deverá estar na Tenda da Reunião desde o momento em que ele entrar para fazer expiação no santuário até quando sair. Depois que tiver feito expiação por si mesmo, pela sua casa e por toda a comunidade de Israel, 18sairá e irá ao altar que está diante de Iahweh e fará no altar o rito de expiação. Tomará do sangue do novilho e do sangue do bode e o porá nos chifres do altar, ao redor. 19Com o mesmo sangue fará sete aspersões sobre o altar, com o dedo. Assim o purificará e o separará das impurezas dos filhos de Israel. 20Feita a expiação do santuário, da Tenda da Reunião e do altar, fará aproximar o bode ainda vivo. 21 Aarão porá ambas as mãos sobre a cabeça do bode e confessará sobre ele todas as faltas dos filhos de Israel, todas as suas transgressões e todos os seus pecados. E depois de tê-los assim posto sobre a cabeça do bode enviá-lo-á ao deserto, conduzido por um homem preparado para isso, 22e o bode levará sobre si todas as faltas deles para uma região desolada. Quando ele tiver soltado o bode no deserto, 23Aarão entrará na Tenda  da Reunião e retirará as vestes de linho que havia posto para entrar no santuário. Deixá-las-á ali, 24e banhará o seu corpo com água no lugar sagrado. Em seguida tornará a pôr as suas vestes e sairá para oferecer seu holocausto e o do povo; e fará o rito de expiação para si e pelo povo; 25a gordura do sacrifício pelo pecado, queimá-la-á sobre o altar. 26E aquele que tiver levado o bode a Azazel deverá lavar suas vestes e banhar o corpo com água, e depois disso poderá entrar no acampamento. 27O novilho e o bode oferecidos em sacrifício pelo pecado, e cujo sangue foi levado ao santuário para fazer o rito de expiação, serão levados para fora do acampamento e serão queimados com fogo a sua pele, a sua carne e os seus excrementos. 28Aquele que os queimar deverá lavar as vestes, banhar seu corpo com água, e depois disso poderá entrar no acampamento. 29Isto será para vós lei perpétua. No sétimo mês, no décimo dia do mês, jejuareis e não fareis trabalho algum, tanto o cidadão como o estrangeiro que habita no meio de vós. 30Porque nesse dia se fará o rito de expiação por vós, para vos purificar. Ficareis puros de todos os vossos pecados, diante de Iahweh. 31Será para vós um repouso sabático e jejuareis. É uma lei perpétua. 32O sacerdote que tiver recebido a unção e a investidura, para oficiar em lugar de seu pai, fará o rito de expiação. Porá as vestes de linho, vestes agradas; 33fará expiação do santuário sagrado, da Tenda da Reunião e do altar. Fará em seguida o rito da expiação pelos sacerdotes e por todo o povo da comunidade. 34Isto será para vós uma lei perpétua; uma vez por ano se fará o rito de expiação pelos filhos de Israel, por todos os seus pecados. E fez-se como Iahweh havia ordenado a Moisés.

IV. Lei de santidade

17 Imolações e sacrifícios 1Iahweh falou a Moisés e disse: 2Fala a Aarão, a seus filhos e a todos os filhos de Israel. Tu lhes  dirás: Isto é o que ordena Iahweh: 3Todo homem da casa de Israel que, no acampamento ou fora dele, imolar novilho, cordeiro ou cabra, 4sem o trazer à entrada da Tenda da Reunião, para fazer dele uma oferenda a Iahweh, diante do seu tabernáculo, tal homem responderá pelo sangue derramado e será eliminado do meio do seu povo. 5Deste modo os filhos de Israel trarão ao sacerdote, para Iahweh, à entrada da Tenda da Reunião, os sacrifícios que desejarem fazer no campo, e os farão para Iahweh, como sacrifícios de comunhão. 6O sacerdote derramará o sangue sobre o altar de Iahweh que se encontra à entrada da Tenda da Reunião, e queimará a gordura em perfume de agradável odor a Iahweh. 7Não mais oferecerão os seus sacrifícios aos sátiro, com os quais se prostituem. Isto é uma lei perpétua para eles e para os seus descendentes. 8E dir-lhes-ás ainda: Todo homem da casa de Israel, ou todo estrangeiro residente no meio de vós, que oferecer um holocausto ou um sacrifício 9sem o trazer à entrada da Tenda da Reunião, para o oferecer a Iahweh, esse homem será exterminado do seu povo. 10Todo homem da casa de Israel ou todo estrangeiro residente entre vós que comer sangue, qualquer que seja a espécie de sangue, voltar-me-ei contra esse que comeu sangue e o exterminarei do meio do seu povo. 11Porque a vida da carne está no sangue. E este sangue eu vo-lo tenho dado para fazer o rito de expiação sobre o altar, pelas vossas vidas; pois é o sangue que faz expiação pela vida. 12Esta é a razão pela qual eu disse aos filhos de Israel: “Nenhum dentre vós comerá sangue e o estrangeiro que habita no meio de vós também não comerá sangue.” 13Qualquer pessoa, filho de Israel ou estrangeiro residente entre vós, que caçar um animal ou ave que é permitido comer, deverá derramar o seu sangue e recobri-lo com terra. 14Pois a vida de toda carne é o sangue, e eu disse aos filhos de Israel: “Não comereis o sangue de carne alguma, pois a vida de toda carne é o sangue, e todo aquele que o comer será exterminado.” 15Toda pessoa, cidadão ou estrangeiro, que comer um animal morto ou dilacerado, deverá lavar suas vestes e banhar-se com água; ficará impuro até à tarde, e depois ficará puro. 16Mas se ele não as lavar e não banhar o seu corpo, levará o peso da sua falta.

18 Proibições sexuais1Iahweh falou a Moisés e disse: 2Fala aos filhos de Israel; tu lhes dirás: Eu sou Iahweh vosso Deus. 3Não procedereis como se faz na terra do Egito, onde habitastes; não procedereis como se faz na terra de Canaã, para onde vos conduzo. Não seguireis os seus estatutos, 4mas praticareis as minhas normas e guardareis os meus estatutos e por eles vos conduzireis. Eu sou Iahweh vosso Deus. 5Guardareis os meus estatutos e as minhas normas: quem os cumprir encontrará neles a vida. Eu sou Iahweh. 6Nenhum de vós se aproximará de sua parenta próxima para descobrir a sua nudez. Eu sou Iahweh. 7Não descobrirás a nudez do teu pai, nem a nudez da tua mãe. É tua mãe, e tu não descobrirás a sua nudez. 8Não descobrirás a nudez da mulher do teu pai, pois é a própria nudez  de teu pai. 9Não descobrirás a nudez da tua irmã, quer seja filha de teu pai ou filha de tua mãe. Quer seja ela nascida em casa ou fora dela, não descobrirás sua nudez. 10Não descobrirás a nudez da filha do teu filho; nem a nudez da filha da tua filha. Pois a nudez delas é a tua própria nudez. 11Não descobrirás a nudez da filha da mulher de teu pai, nascida de (eu pai. É tua irmã, e não deves descobrir a nudez dela. 12Não descobrirás a nudez da irmã de teu pai, pois que é a carne de teu pai. 13Não descobrirás a nudez da irmã de tua mãe, pois é a própria carne de tua mãe. 14Não descobrirás a nudez do irmão de teu pai; não te aproximarás, pois, de sua esposa, visto que é a mulher de teu tio. 15Não descobrirás a nudez de tua nora. É a mulher de teu filho e não descobrirás a nudez dela. 16Não descobrirás a nudez da mulher de teu irmão, pois é a própria nudez de teu irmão. 17Não descobrirás a nudez de uma mulher e a da sua filha; não tomarás a filha de seu filho, nem a filha de sua filha, para lhes descobrir a nudez. Elas são a tua própria carne: isto seria um incesto. 18Não tomarás para o teu harém uma mulher e, ao mesmo tempo, a irmã dela, descobrindo a nudez desta, durante a vida da sua irmã. Não te 19aproximarás de uma mulher, para descobrir a sua nudez, durante a sua impureza das regras. 20Não darás o teu leito conjugal à mulher do teu compatriota, para que não te tornes impuro com ela. 21Não entregarás os teus filhos para consagrá-los a Moloc, para não profanares o nome de teu Deus. Eu sou Iahweh. 22Não te deitarás com um homem como se deita com uma mulher. É uma abominação. 23Não te deitarás com animal algum; tornar-te-ias impuro. A mulher não se entregará a um animal para se ajuntar com ele. Isto é uma impureza. 24Não vos torneis impuros com nenhuma dessas práticas: foi por elas que se tornaram impuras as nações que expulso de diante de vós. 25 A terra se tornou impura, eu puni a sua falta e ela vomitou os seus habitantes. 26Vós, porém, guardareis meus estatutos e minhas normas e não cometereis nenhuma dessas abominações, nem o cidadão e nem o estrangeiro que habita entre vós. 27Porque todas essas abominações foram cometidas pelos homens que habitaram esta terra antes de vós, e a terra se tornou impura. 28Se vós a tornais impura, não vos vomitará ela como vomitou a nação que vos precedeu? 29Porque todo aquele que cometer uma dessas abominações, qualquer que seja, sim, todos aqueles que as cometerem serão extirpados do seu povo. 30Guardai as minhas observâncias sem praticardes essas leis abomináveis que se praticaram antes de vós; assim elas não vos tornarão impuros. Eu sou Iahweh, vosso Deus.

19 Prescrições morais e cultuais1Iahweh falou a Moisés e disse: 2Fala a toda a comunidade dos filhos de Israel. Tu lhes dirás: Sede santos, porque eu, Iahweh vosso Deus, sou santo. 3Cada um de vós respeitará sua mãe e seu pai. Guardai os meus sábados. Eu sou Iahweh vosso Deus. 4Não vos volteis para os ídolos e não mandeis fundir deuses de metal. Eu sou Iahweh vosso Deus. 5Quando oferecerdes um sacrifício de comunhão a Iahweh, oferecei-o de tal modo que sejais aceitos. 6Comer-se-á dele no dia do sacrifício ou no dia seguinte; o que restar no terceiro dia será queimado ao fogo. 7Se se comer dele no terceiro dia, será um manjar estragado e não será aceito. 8Aquele que o comer levará o peso da sua falta, pois que profanou a santidade de Iahweh: tal pessoa será eliminada dentre os seus. 9Quando segardes a messe da vossa terra, não segareis até o limite extremo do campo. Não respigarás a tua messe, 10não rebuscarás a tua vinha nem recolherás os frutos caídos no teu pomar. Tu os deixarás para o pobre e para o estrangeiro. Eu sou Iahweh vosso Deus. 11Ninguém dentre vós cometerá roubo, nem usará de falsidade ou de mentira para com o seu compatriota. 12Não jurareis falsamente pelo meu nome, pois profanarias o nome do teu Deus. Eu sou Iahweh. 13Não oprimirás o teu próximo, nem o roubarás: o salário do operário não ficará contigo até a manhã seguinte. 14Não amaldiçoarás um mudo e não porás obstáculo diante de um cego, mas temerás o teu Deus. Eu sou Iahweh. 15Não cometereis injustiça no julgamento. Não farás acepção de pessoas com relação ao pobre, nem te deixarás levar pela preferência ao grande: segundo a justiça julgarás o teu compatriota. 16Não serás um divulga- dor de maledicências a respeito dos teus e não sujeitarás a julgamento o sangue do teu próximo. Eu sou Iahweh. 17Não terás no teu coração ódio pelo teu irmão. Deves repreender o teu compatriota, e assim não terás a culpa do pecado. 18Não te vingarás e não guardarás rancor contra os filhos do teu povo. Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Eu sou Iahweh. 19Guardareis os meus estatutos. Não jungirás dois animais de espécie diferente, no teu rebanho; não semearás no teu campo duas espécies diferentes de sementes e não usarás veste de duas espécies de tecido. 20Se um homem coabitar com uma mulher que é a serva concubina de outro homem e que não foi resgatada e nem se lhe deu a liberdade, o primeiro está sujeito a uma multa, mas não serão mortos, pois ela não era livre. 21Trará a Iahweh um sacrifício de reparação, à entrada da Tenda da Reunião. Será um carneiro de reparação. 22Com esse carneiro de reparação o sacerdote fará sobre o homem o rito de expiação diante de Iahweh, pelo pecado cometido; e o pecado que cometeu ser-lhe-á perdoado. 23Quando tiverdes entrado na terra e tiverdes plantado alguma árvore frutífera, considerareis os seus frutos como se fossem o seu prepúcio. Durante três anos serão para vós como coisa incircuncisa e não se comerá deles. 24No quarto ano, todos os frutos serão sagrados em uma festa de louvor a Iahweh. 25No quinto ano, podereis comer os seus frutos e recolher para vós mesmos o seu produto. Eu sou Iahweh vosso Deus. 26Não comereis coisa alguma com sangue; não praticareis adivinhações nem encantamentos. 27Não cortareis a extremidade da vossa cabeleira em redondo e não danificarás a extremidade da tua barba. 28Não fareis incisões no corpo por algum morto e não fareis nenhuma tatuagem. Eu sou Iahweh. 29Não profanes a tua filha, fazendo-a prostituir-se; para que a terra não se prostitua e não se torne incestuosa. 30Guardareis os meus sábados, reverenciareis meu santuário. Eu sou Iahweh. 31Não vos voltareis para os necromantes nem consultareis os adivinhos, pois eles vos contaminariam. Eu sou Iahweh vosso Deus. 32Levantar-te-ás diante de uma cabeça encanecida, honrarás a pessoa do ancião e temerás o teu Deus. Eu sou Iahweh. 33Se um estrangeiro habita convosco na vossa terra, não o molestareis. 34O estrangeiro que habita convosco será para vós como um compatriota, e tu o amarás como a ti mesmo, pois fostes estrangeiros na terra do Egito. Eu sou Iahweh vosso Deus. 35Não cometereis injustiça no julgamento, quer se trate de medidas de comprimento, quer de peso ou de capacidade. 36Tereis balanças justas, pesos justos, medida justa e quartilho justo. Eu sou Iahweh vosso Deus que vos fez sair da terra do Egito. 37Guardai, pois, todos os meus estatutos e as minhas normas e praticai os. Eu sou Iahweh.

20 Castigos — A. Faltas cultuais 1Iahweh falou a Moisés e disse: 2Dirás aos filhos de Israel: Todo filho de Israel, ou estrangeiro que habita em Israel, que der um de seus filhos a Moloc, será morto. O povo da terra o apedrejará, 3e eu me voltarei contra esse homem e o exterminarei do meio do seu povo, pois, havendo entregue um dos seus filhos a Moloc, contaminou o meu santuário e profanou meu santo nome. 4Se o povo da terra fechar os olhos a respeito do homem que entregar um dos seus filhos a Moloc e não o matar, 5eu mesmo me voltarei contra esse homem e contra o seu clã. Eu os exterminarei do meio do seu povo, tanto a ele como a todos aqueles que depois dele se prostituírem a Moloc. 6Aquele que recorrer aos necromantes e aos adivinhos para se prostituir com eles, voltar-me-ei contra esse homem e o exterminarei do meio do seu povo. 7Vós, porém, vos santificareis e sereis santos, pois eu sou Iahweh vosso Deus.

B. Faltas contra a família 8Guardareis os meus estatutos e os praticareis, pois sou eu; Iahweh, que vos santifico. 9Portanto: Quem amaldiçoar a seu pai ou a sua mãe deverá morrer. Visto que ele amaldiçoou a seu pai ou a sua mãe, o seu sangue cairá sobre ele mesmo. 10O homem que cometer adultério com a mulher do seu próximo deverá morrer, tanto ele como a sua cúmplice. 11O homem que se deitar com a mulher de seu pai descobriu a nudez de seu pai. Ambos deverão morrer, o seu sangue cairá sobre eles. 12O homem que se deitar com a sua nora será morto juntamente com ela. Estão contaminados, e o seu sangue cairá sobre eles. 13O homem que se deita com outro homem como se fosse uma mulher, ambos cometeram uma abominação, deverão morrer, e o seu sangue cairá sobre eles. 14O homem que toma por esposa uma mulher e a mãe dela comete um incesto. Serão queimados, ele e elas, para que não haja incesto no meio de vós. 15O homem que se deitar com um animal deverá morrer, e matareis o animal. 16A mulher que se aproximar de um animal qualquer, para se unir a ele, será morta, assim como o animal. Deverão morrer, e o seu sangue cairá sobre eles. 17O homem que tomar por esposa sua irmã, a filha de seu pai ou a filha de sua mãe, e vir a nudez dela e ela vir a dele, comete uma ignomínia. Serão exterminados na presença dos membros do seu povo, pois descobriu a nudez de sua irmã, e levará o peso da sua falta. 18O homem que se deitar com uma mulher durante as regras dela e descobrir a sua nudez, põe a descoberto a fonte do seu sangue, e ela mesma descobriu a fonte do seu sangue, serão ambos eliminados do meio do seu povo. 19Não descobrirás a nudez da irmã da tua mãe e nem a nudez da irmã de teu pai. Assim, pôs a descoberto a sua própria carne, e levarão o peso da sua falta. 20O homem que se deitar com a mulher de seu tio paterno descobriu a nudez deste, e levarão o peso da sua falta e morrerão sem filhos. 21O homem que toma por esposa a mulher de seu irmão comete uma torpeza, pois descobriu a nudez de seu irmão, e morrerão sem filhos.

Exortação final22Guardareis todos os meus estatutos, todas as minhas normas e os poreis em prática; assim não vos vomitará a terra à qual vos conduzo para nela habitardes. 23Não seguireis os estatutos das nações que eu expulso de diante de vós, pois elas praticaram todas estas coisas e, por isso, me aborreci delas. 24Também vos tenho dito: Tomareis posse do seu solo, que eu mesmo vos dou por possessão, uma terra que mana leite e mel. Eu, Iahweh, vosso Deus, vos separei desses povos. 25Fareis distinção entre o animal puro e o impuro, entre a ave pura e a impura. Não vos torneis vós mesmos imundos com animais, aves e com tudo o que rasteja sobre a terra, pois eu vos fiz pô-los à parte, como impuros. 26Sereis consagrados a mim, pois eu, Iahweh, sou santo e vos separei de todos os povos para serdes meus. 27O homem ou a mulher que, entre vós, forem necromantes ou adivinhos serão mortos, serão apedrejados, e o seu sangue cairá sobre eles.

21 Santidade do sacerdócio — A. Os sacerdotes1Iahweh disse a Moisés: Fala aos sacerdotes, filhos de Aarão; tu lhes dirás: Nenhum deles se tornará impuro aproximando-se do cadáver de alguém do seu povo, 2a não ser que se trate de parente seu muito chegado: mãe, pai, filho, filha, irmão. 3Também por sua irmã virgem, que permanece sua parenta próxima visto que não pertenceu a nenhum homem, poderá tornar-se impuro; 4por uma mulher casada dentre o seu povo, não se tornará impuro, pois se profanaria. 5Não farão tonsura na cabeça, não raparão a extremidade da barba e nem farão incisões no corpo. 6Serão consagrados a seu Deus e não profanarão o nome do seu Deus, porque são eles que apresentam as oferendas queimadas a Iahweh, o pão do seu Deus, e devem estar em estado de santidade. 7Não tomarão por esposa uma mulher prostituta ou desonrada, nem uma mulher repudiada por seu marido, pois o sacerdote é consagrado a seu Deus. 8Tu o tratarás como santo, pois oferece o pão do teu Deus. Será santo para ti, pois eu sou santo, eu, Iahweh, que vos santifico. 9Se a filha de um homem que é sacerdote se desonra, prostituindo-se, profana também a seu pai e deve ser queimada no fogo.

B O sumo sacerdote10O sumo sacerdote, que tem a preeminência entre seus irmãos, sobre cuja cabeça foi derramado o óleo da unção e que recebeu a investidura ao se revestir das vestimentas sagradas, não desgrenhará os cabelos, não rasgará as suas vestes, 11não se aproximará do cadáver de nenhum morto e não ficará impuro nem por seu pai e nem por sua mãe. 12Não sairá do santuário, a fim de não profanar o santuário de seu Deus, pois leva sobre si mesmo a consagração do óleo da unção de seu Deus. Eu sou Iahweh. 13Tomará por esposa uma mulher ainda virgem. 14A viúva, a mulher repudiada ou desonrada pela prostituição, não as tomará por esposas; somente a uma virgem dentre o seu povo tomará por esposa, 15pois assim não profanará sua descendência, pois sou eu, Iahweh, que a santifico.

C Impedimentos ao sacerdócio16Iahweh falou a Moisés e disse: 17Fala a Aarão e dize-lhe: Nenhum dos teus descendentes, em qualquer geração, se aproximará para oferecer o pão de seu Deus, se tiver algum defeito. 18Pois nenhum homem deve se aproximar, caso tenha algum defeito, quer seja cego, coxo, desfigurado ou deformado, 19homem que tenha o pé ou o braço fraturado, 20ou seja corcunda, anão, ou tenha belida no olho, ou dartro, ou pragas purulentas, ou seja eunuco. 21Nenhum dos descendentes de Aarão, o sacerdote, poderá se aproximar para apresentar oferendas queimadas a Iahweh, se tiver algum defeito; tem defeito, e por isso não se aproximará para oferecer o pão de seu Deus. 22Poderá comer dos alimentos de seu Deus, coisas santíssimas e coisas santas, 23porém não virá até junto do véu e não se aproximará do altar; ele tem um defeito e não deve profanar as minhas coisas sagradas, pois fui eu, Iahweh, que as santifiquei. 24E Moisés disse isso a Aarão, a seus filhos e a todos os filhos de Israel.

22 Santidade na participação das ofertas sagradas — A. Os sacerdotes — 1Iahweh falou a Moisés e disse: 2Dize a Aarão e a seus filhos que se consagrem pelas santas oferendas dos filhos de Israel, para que não profanem meu santo nome, que deve ser santificado por minha causa. Eu sou Iahweh. 3Dize-lhes: Todo homem de vossa descendência, em qualquer geração, que se aproximar em estado de impureza das santas oferendas consagradas a Iahweh pelos filhos de Israel, tal homem será eliminado da minha presença. Eu sou Iahweh. 4Todo homem da descendência de Aarão que for atacado de lepra ou de fluxo não comerá das coisas santas antes de estar purificado. Todo aquele que tocar alguma coisa que um cadáver tornou impura, como aquele que teve emissão do líquido seminal, 5como também aquele que tocar qualquer tipo de réptil e assim se tornar impuro, ou ainda um homem que o contamine com a sua própria impureza, de qualquer tipo, 6enfim, quem quer que tenha tido tais contatos ficará impuro até à tarde e não poderá comer das coisas santas senão depois de banhar o seu corpo com água. 7Depois de posto o sol, estará puro e poderá comer das coisas santas, porque são o seu alimento. 8Não comerá animal morto ou dilacerado, pois se contaminaria com ele. Eu sou Iahweh. 9Guardarão as minhas prescrições, para não incorrerem em pecado; morreriam, se as profanassem, pois fui eu, Iahweh, que os santifiquei.

B. Os estranhos10Nenhum estranho comerá das coisas santas: nem o hóspede do sacerdote e nem o servo assalariado comerão das coisas santas. 11Contudo, se um sacerdote adquire uma pessoa, a dinheiro, esta poderá comer da mesma forma que aquele que nasceu na sua casa; comem, realmente, do seu próprio alimento. 12Se a filha de um sacerdote se casar com um estranho, não poderá comer dos tributos sagrados; 13mas se ela enviuvar, ou for repudiada, e não tiver filhos e voltar à casa de seu pai, como no tempo da sua juventude, comerá então do alimento de seu pai. Nenhum estranho dele comerá: 14se um homem comer, por inadvertência, alguma coisa santa, restituí-la-á ao sacerdote com o acréscimo de um quinto. 15Não profanarão as santas oferendas destinadas pelos filhos de Israel a Iahweh. 16Se as comerem, trariam sobre os filhos de Israel uma falta que exigiria reparação, pois fui eu, Iahweh, que santifiquei estas oferendas.

C. Os animais sacrificados17Iahweh falou a Moisés e disse: 18Fala a Aarão, a seus filhos, a todos os filhos de Israel, e lhes dirás: Qualquer homem da casa de Israel, ou qualquer estrangeiro residente em Israel, que trouxer sua oferenda a título de voto ou de dom voluntário e fizer um holocausto a Iahweh, 19para ser aceito deverá oferecer um macho sem defeito, novilho, carneiro ou cabrito. 20Não oferecereis coisa alguma que tenha defeito, porque não seria aceita em vosso favor. 21Se alguém oferecer a Iahweh um sacrifício de comunhão, para cumprir um voto ou como dom voluntário, de gado graúdo ou miúdo, para ser aceito, o animal não deverá ter defeito; não deverá haver nele defeito algum. 22Não oferecereis a Iahweh animal cego, estropiado, mutilado, ulceroso, com dartros ou purulento. Nenhuma parte de tais animais será colocada sobre o altar como oferenda queimada a Iahweh. 23Poderás oferecer, como dom voluntário, um animal anão ou disforme, de gado graúdo ou miúdo, mas para o cumprimento de um voto não será aceito. 24Não oferecereis a Iahweh animal que tenha os testículos feridos, moídos, arrancados ou cortados. Não fareis isto na vossa terra 25e coisa alguma semelhante a estas aceitareis da mão do estrangeiro para oferecer como alimento ao vosso Deus. A deformidade deles é, na verdade, um defeito, e estas vítimas não seriam aceitas em vosso favor. 26Iahweh falou a Moisés e disse: 27Após o nascimento, o bezerro, o cordeiro ou o cabrito ficará sete dias junto da sua mãe. Do oitavo dia em diante poderá ser apresentado como oferenda queimada a Iahweh. 28Quér seja bezerro ou cordeiro, não imolareis no mesmo dia o animal e a sua cria. 29Se oferecerdes a Iahweh um sacrifício de louvor, fazei-o de maneira que sejais aceitos: 30será comido no mesmo dia, sem deixar nada para o dia seguinte. Eu sou Iahweh.

D. Exortação final31Guardareis os meus mandamentos e os praticareis. Eu sou Iahweh. 32Não profanareis o meu santo nome, a fim de que eu seja santificado no meio dos filhos de Israel, eu, Iahweh, que vos santifico. 33Eu que vos fiz sair da terra do Egito, a fim de ser o vosso Deus, eu sou Iahweh.

23 Ritual das festas do ano:1Iahweh falou a Moisés e disse: 2Fala aos filhos de Israel; dize-lhes: (As solenidades de Iahweh, às quais os convocareis, são as minhas santas assembléias.) Estas são as minhas solenidades:

A. O sábado3Durante seis dias se trabalhará, mas o sétimo dia será dia de repouso completo, dia de santa assembléia, no qual não fareis trabalho algum. Onde quer que habiteis, é sábado para Iahweh. 4Estas são as solenidades de Iahweh, as santas assembléias às quais convocareis os filhos de Israel, no tempo determinado:

B. A Páscoa e os Ázimos5No primeiro mês, no décimo quarto dia do mês, ao crepúsculo, é Páscoa para Iahweh, 6e, no décimo quinto dia desse mês, é a festa dos Ázimos para Iahweh. Durante sete dias comereis pães sem fermento. 7No primeiro dia, tereis santa assembléia; não fareis nenhuma obra servil. 8Durante sete dias apresentareis uma oferenda queimada a Iahweh. No sétimo dia, dia de santa assembléia, não fareis nenhuma obra servil.

C. O primeiro feixe9Iahweh falou a Moisés e disse: 10Fala aos filhos de Israel; tu lhes dirás: Quando tiverdes entrado na terra que vos dou e fizerdes nela a ceifa, trareis ao sacerdote o primeiro feixe de vossa ceifa. 11Ele o oferecerá diante de Iahweh, com gesto de apresentação, para que sejais aceitos. No dia seguinte ao sábado, o sacerdote fará esta apresentação 12e, no dia em que fizerdes esta apresentação, oferecereis a Iahweh o holocausto de um cordeiro de um ano, sem defeito. 13A sua oblação, neste dia, será de dois décimos de flor de farinha amassada com azeite, oferenda queimada para Iahweh, em perfume de agradável odor; a sua libação de vinho será de um quarto de hin. 14Não comereis pão, nem espigas tostadas ou pão cozido antes deste dia, isto é, antes de terdes trazido a oferenda de vosso Deus. É uma lei perpétua para os vossos descendentes, onde quer que habiteis.

D. A festa das Semanas 15A partir do dia seguinte ao sábado, desde o dia em que tiverdes trazido o feixe de apresentação, contareis sete semanas completas. 16Contareis cinqüenta dias até o dia seguinte ao sétimo sábado e oferecereis então a Iahweh uma nova oblação. 17Trareis das vossas habitações o pão para ser oferecido em gesto de apresentação, feito em duas partes, de dois décimos de flor de farinha cozida com fermento, como primícias a Iahweh. 18Oferecereis, além do pão, sete cordeiros de um ano, sem defeito, um novilho e dois carneiros como holocausto a Iahweh, acompanhados de uma oblação e de uma libação, oferendas queimadas em perfume de agradável odor a Iahweh. 19Fareis também com um bode um sacrifício pelo pecado, e com dois cordeiros de um ano um sacrifício de comunhão. 20O sacerdote os oferecerá com gesto de apresentação diante de Iahweh, além do pão das primícias. De igual modo os dois cordeiros, pois são coisas santas a Iahweh e que pertencerão ao sacerdote. 21Nesse mesmo dia, fareis uma convocação; esta será para vós uma assembléia santa e não fareis nenhuma obra servil. É lei perpétua para vossos descendentes, onde quer que habiteis. 22Quando segardes a messe na vossa terra, não segarás até o limite extremo do teu campo e não respigarás a tua messe. Deixarás isso para o pobre e para o estrangeiro. Eu sou Iahweh vosso Deus.

E. O primeiro dia do sétimo mês23Iahweh falou a Moisés e disse: 24Fala aos filhos de Israel e dize-lhes: No sétimo mês, o primeiro dia do mês será para vós dia de repouso, comemoração com som de trombeta, santa assembléia. 25Não fareis nenhuma obra servil e apresentareis oferenda queimada a Iahweh.

F. O dia das Expiações26Iahweh falou a Moisés e disse: 27Mas o décimo dia do sétimo mês é o dia das Expiações. Tereis santa assembléia. Jejuareis e apresentareis oferenda queimada a Iahweh. 28Nesse dia não fareis trabalho algum, pois é o dia das Expiações, quando se fará por vós o rito de expiação diante de Iahweh vosso Deus. 29E toda pessoa que não jejuar nesse dia será eliminada do seu povo; 30e toda pessoa que fizer algum trabalho nesse dia, eu a exterminarei do meio do seu povo. 31Nenhum trabalho fareis; é uma lei perpétua para vossos descendentes, onde quer que habiteis. 32Será para vós um dia de repouso completo. Jejuareis e, à tarde do nono dia do mês, desde essa tarde até à tarde seguinte, cessareis completamente o trabalho.

G. A festa das Tendas33Iahweh falou a Moisés e disse: 34Fala aos filhos de Israel e dize-lhes: No décimo quinto dia deste sétimo mês haverá, durante sete dias, a festa das Tendas para Iahweh. 35No primeiro dia, dia de santa assembléia, não fareis nenhuma obra servil. 36Durante sete dias apresentareis oferenda queimada a Iahweh. No oitavo dia haverá santa assembléia e apresentareis oferenda queimada a Iahweh. É dia de reunião solene, e não fareis nenhuma obra servil.

Conclusão37Estas são as solenidades de Iahweh, para as quais convocareis os filhos de Israel, assembléias santas destinadas a apresentar oferendas queimadas a Iahweh, holocaustos, oblações, sacrifícios, libações, segundo o ritual próprio de cada dia, 38além dos sábados de Iahweh, das dádivas, dos votos e das oferendas voluntárias que fareis a Iahweh.

Continuação sobre a festa das Tendas39Mas no décimo quinto dia do sétimo mês, quando tiverdes colhido os produtos da terra, celebrareis a festa de Iahweh durante sete dias. O primeiro e o oitavo dias serão dias de repouso. 40No primeiro dia tomareis frutos formosos, ramos de palmeiras, ramos de árvores frondosas e de salgueiros das ribeiras, e vos regozijareis durante sete dias na presença de Iahweh vosso Deus. 41Celebrareis assim uma festa para Iahweh, sete dias por ano. É lei perpétua para vossos descendentes. No sétimo mês fareis esta festa. 42Habitareis durante sete dias em cabanas. Todos os naturais de Israel habitarão em cabanas, 43para que os vossos descendentes saibam que eu fiz os filhos de Israel habitar em cabanas, quando os fiz sair da terra do Egito. Eu sou Iahweh vosso Deus. 44E Moisés proclamou aos filhos de Israel as solenidades de Iahweh.

24 Prescrições rituais complementares — A. A chama permanente 1Iahweh falou a Moisés e disse: 2Ordena aos filhos de Israel que te tragam azeite puro de olivas esmagadas, para o candelabro, para que nele haja uma chama permanente. 3Diante do véu do Testemunho, na Tenda da Reunião, Aarão colocará em ordem a chama. Estará neste lugar diante de Iahweh, desde a tarde até à manhã, continuamente. É uma lei perpétua para os vossos descendentes: 4Aarão preparará as lâmpadas sobre o candelabro puro, diante de Iahweh, continuamente.

B. Os pães sobre a mesa de ouro5Tomarás flor de farinha e cozerás doze pães, tendo cada um dois décimos. 6Em seguida os porás em duas fileiras de seis, sobre a mesa pura que está diante de Iahweh. 7Sobre cada fileira porás incenso puro. Isto será alimento oferecido em memorial, uma oferenda queimada a Iahweh. 8Cada dia de sábado serão colocados, permanentemente, diante de Iahweh. Os filhos de Israel os fornecerão como aliança perpétua; 9pertencerão a Aarão e a seus filhos, que os comerão no lugar santo, pois é coisa santíssima para ele das oferendas queimadas a Iahweh. É lei perpétua.

Blasfêmia e lei do talião10O filho de uma israelita, cujo pai era egípcio, saiu da sua casa e, ao se encontrar no meio dos filhos de Israel, no acampamento, contendeu com um homem que era israelita. 11Ora, o filho ‘ In israelita blasfemou o Nome e o amaldiçoou. Levaram-no então a Moisés (o nome da mãe era Salomit, filha de Dabri, da tribo de Dã). 12Puseram-no sob custódia, para que se decidisse somente pela ordem de Iahweh. 13Iahweh falou a Moisés e disse: 14Tira fora do acampamento aquele que pronunciou a maldição. Todos aqueles que o ouviram porão suas mãos sobre a cabeça dele, e toda a comunidade o apedrejará. 15Em seguida falarás aos filhos de Israel o seguinte: Todo homem que amaldiçoar o seu Deus levará o peso do seu pecado. 16Aquele que blasfemar o nome de Iahweh deverá morrer, e toda a comunidade o apedrejará. Quer seja estrangeiro ou natural, morrerá, caso blasfeme o Nome. 17Se um homem golpear um ser humano, quem quer que seja, deverá morrer. 18Quem ferir mortalmente um animal deve dar a compensação por ele: vida por vida. 19Se um homem ferir um compatriota, desfigurando-o, como ele fez assim se lhe fará: 20fratura por fratura, olho por olho, dente por dente. O dano que se causa a alguém, assim também se sofrerá: 21quem matar um animal deverá dar compensação por ele, e quem matar um homem deve morrer. 22A sentença será entre vós a mesma, quer se trate de um natural ou de estrangeiro, pois eu sou Iahweh vosso Deus. 23Havendo Moisés assim falado aos filhos de Israel, tiraram fora do acampamento aquele que havia pronunciado a maldição e o apedrejaram. Cumpriram assim o que Iahweh havia ordenado a Moisés.

25 Os anos santos. A. O ano sabático1Iahweh falou a Moisés no Monte Sinai; disse-lhe: 2Fala aos filhos de Israel e dize-lhes: Quando entrardes na terra que eu vos dou, a terra guardará um sábado para Iahweh. 3Durante seis anos semearás o teu campo; durante seis anos podarás a tua vinha e recolherás os produtos dela. 4Mas no sétimo ano a terra terá seu repouso sabático, um sábado para Iahweh: não semearás o teu campo e não podarás a tua vinha, 5não ceifarás as tuas espigas, que não serão reunidas em feixes, e não vindimarás as tuas uvas das vinhas, que não serão podadas. Será para a terra um ano de repouso. 6O próprio sábado da terra vos nutrirá, a ti, ao teu servo, à tua serva, ao teu empregado, ao teu hóspede, enfim a todos aqueles que residem contigo. 7Também ao teu gado e aos animais da tua terra, todos os seus produtos servirão de alimento.

B. O ano do jubileu8Contarás sete semanas de anos, sete vezes sete anos, isto é, o tempo de sete semanas de anos, quarenta e nove anos. 9No sétimo mês, no décimo dia do mês, farás vibrar o toque da trombeta; no dia das Expiações, fareis soar a trombeta em todo o país. 10Declarareis santo o qüinquagésimo ano e proclamareis a libertação de todos os moradores da terra. Será para vós um jubileu: cada um de vós retornará a seu patrimônio, e cada um de vós voltará ao seu clã. 11O qüinquagésimo ano será para vós um ano jubilar: não semeareis, nem ceifareis as espigas que não forem reunidas em feixe, e não vindimareis as cepas que tiverem brotado livremente. 12O jubileu será para vós coisa santa e comereis o produto dos campos. 13Neste ano do jubileu, tornará cada um à sua possessão. 14Se venderes ao teu compatriota ou dele comprares, que ninguém prejudique a seu irmão! 15Segundo o número dos anos decorridos depois do jubileu, comprarás de teu compatriota e segundo o número dos anos das colheitas, ele te estabelecerá o preço da venda. 16Quanto maior o número de anos, mais aumentarás o preço, e quanto menor o número de anos, mais o reduzirás, pois ele te vende um determinado número de colheitas. 17Ninguém dentre vós oprima seu compatriota, mas tenha o temor de teu Deus, pois eu sou Iahweh vosso Deus.

Garantia divina para o ano sabático18Guardareis os meus estatutos e as minhas normas; guardá-los-eis, pondo-os em prática, e desse modo habitareis na terra em segurança. 19A terra dará o seu fruto: comê-lo-eis com fartura e habitareis em segurança. 20Se disserdes: “Que comeremos neste sétimo ano se não semearmos e não colhermos os nossos produtos?” — 21eu estabeleço a minha bênção no que colherdes no sexto ano, de modo que vos garanta produtos por três anos.22Quando semeardes, no oitavo ano, podereis ainda comer dos produtos antigos, até o nono ano; até que venham os produtos desse ano, comereis dos antigos.

Resgate das propriedades23A terra não será vendida perpetuamente, pois que a terra me pertence e vós sois para mim estrangeiros e hóspedes. 24Para toda propriedade que possuirdes, estabelecereis o direito de resgate para a terra. 25Se o teu irmão cair na pobreza e tiver de vender algo do seu patrimônio, o seu parente mais próximo virá a ele, a fim de exercer seus direitos de família sobre aquilo que vende o seu irmão. 26Aquele que não tem ninguém para exercer esse direito, e desde que haja encontrado recursos para fazer o resgate, 27poderá calcular os anos que deverá durar a venda, e assim restituirá ao comprador o montante referente ao tempo que ainda resta e retomará a sua propriedade. 28Se não tiver meios para realizar essa restituição, a propriedade vendida permanecerá com aquele que a comprou, até ao ano do jubileu. No jubileu, o comprador a liberará, para que volte no seu próprio possuidor. 29Quando alguém vender uma casa de moradia em uma cidade com muralhas, terá o direito de resgate, até o final do ano que se segue à venda; o seu direito de resgate durará um ano 30e, se não for feito o resgate no final do ano, a casa na cidade com muralhas será propriedade daquele que a adquiriu e dos seus descendentes, para sempre: não será liberada no jubileu.31Contudo, as casas das aldeias sem muralhas serão consideradas como situadas no campo e haverá para elas direito de resgate e o comprador deverá liberá-las no jubileu. 32Quanto às cidades dos levitas, às casas das cidades de sua possessão, tem eles um direito perpétuo de resgate. 33Se é um levita que sofre o efeito do direito de resgate, no jubileu ele deixará a propriedade vendida para voltar à sua casa na cidade em que ele tem um título de propriedade. As casas das cidades dos levitas são realmente propriedade deles no meio dos filhos de Israel, 34e os campos de cultura ao redor dessas cidades não poderão ser vendidos, pois são propriedades deles para sempre.

Resgate de pessoas35Se o teu irmão que vive contigo achar-se em dificuldade e não tiver com que te pagar, tu o sustentarás como a um estrangeiro ou hóspede, e ele viverá contigo. 36Não tomarás dele nem juros nem usuras, mas terás o temor do teu Deus, e que o teu irmão viva contigo. 37Não lhe emprestarás dinheiro a juros, nem lhe darás alimento para receber usura: 38eu sou Iahweh vosso Deus, que vos tirei da terra do Egito para vos dar a terra de Canaã para ser o vosso Deus. 39Se o teu irmão se tornar pobre, estando contigo, e vender-se a ti, não lhe imporás trabalho de escravo; 40será para ti como um assalariado ou hóspede e trabalhará contigo até o ano do jubileu. 41Então sairá da tua casa, ele e seus filhos, e voltará ao seu clã e à propriedade de seus pais. 42Na verdade, eles são meus servos, pois os fiz sair da terra do Egito, e não devem ser vendidos como se vende um escravo. 43Não o dominarás com tirania, mas terás o temor de teu Deus. 44Os servos e as servas que tiveres deverão vir das nações que vos circundam; delas podereis adquirir servos e servas. 45Também podereis adquiri-los dentre os filhos dos hóspedes que habitam entre vós, bem como das suas famílias que vivem convosco e que nasceram na vossa terra: serão vossa propriedade 46e deixá-los-eis como herança a vossos filhos depois divos, para que os possuam como propriedade perpétua. Tê-los-eis como escravo; mas sobre os vossos irmãos, os filhos de Israel, pessoa alguma exercerá poder de domínio. 47E se o estrangeiro ou o hóspede que vive contigo se enriquecer e teu irmão que vive junto dele se empobrecer e se vender ao estrangeiro ou ao hóspede ou ao descendente da família de alguém que reside entre vós, 48gozará do direito de resgate, mesmo depois de vendido, e um dos seus irmãos poderá resgatá-lo. 49Oseu tio paterno poderá resgatá-lo, ou o seu primo, ou um dos membros da sua família; ou se conseguir recursos, poderá resgatar-se a si mesmo. 50Ajustará com aquele que o comprou e fará a conta dos anos compreendidos entre o ano da venda e o ano do jubileu; o total do preço da venda será calculado segundo o número dos anos, contando-se-lhe os dias como os de um assalariado. 51Se faltarem ainda muitos anos, pagará o valor do seu resgate de acordo com o número dos anos, isto é, uma parte do seu preço de venda. 52Se restarem poucos anos até ao jubileu, será de acordo com a proporção dos anos que calculará o que deve pagar pelo seu resgate, 53como se fosse assalariado contratado por ano. Não o tratarás com dureza, diante de ti. 54Se não for resgatado por nenhuma destas formas, será no ano do jubileu que sairá livre, tanto ele como os seus filhos com ele. 55Pois é de mim que os filhos de Israel são Servos; são servos meus que fiz sair da terra do Egito. Eu sou Iahweh vosso Deus.

26 Resumo. Conclusão1Não fareis ídolos, não levantareis imagem ou estela e não colocareis na vossa terra pedras trabalhadas para vos inclinardes diante delas, pois eu sou Iahweh vosso Deus. 2Guardareis os meus sábados e reverenciáreis meu santuário. Eu sou Iahweh.

Bênçãos3Se vos conduzirdes segundo os meus estatutos, se guardardes meus mandamentos e os praticardes, 4então vos darei as chuvas no seu devido tempo, e a terra dará os seus produtos, e a árvore do campo os seus frutos, 5e a debulha se estenderá até à vindima e esta até à semeadura. Então comereis o vosso pão até vos fartardes e habitareis em segurança na vossa terra. 6Estabelecerei a paz na terra e dormireis sem que ninguém vos perturbe. Farei desaparecer da terra os animais nocivos. A espada não passará pela vossa terra. 7Perseguireis os vossos inimigos, que cairão à espada diante de vós. 8Cinco de vós perseguirão cem, e cem dos vossos perseguirão dez mil, e os vossos inimigos cairão à espada diante de vós. 9Voltar-me-ei para vós e vos farei crescer e multiplicar, e confirmarei a minha aliança convosco. 10Depois de vos terdes alimentado da colheita anterior, tereis ainda de jogar fora a antiga, para dar lugar à nova. 11Estabelecerei a minha habitação no meio de vós e não vos rejeitarei jamais. 12Estarei no meio de vós, serei o vosso Deus e vós sereis o meu povo. 13Pois sou eu, Iahweh vosso Deus, que vos fiz sair da terra do Egito pura que não fôsseis mais os servos deles; quebrei as cangas do vosso jugo e vos fiz andar de cabeça erguida.

Maldições14Mas se não me ouvirdes e não praticardes todos estes mandamentos, 15e rejeitardes os meus estatutos, desprezardes as minhas normas e quebrardes a minha aliança, deixando de praticar todos os meus mandamentos, 16então eu farei o mesmo contra vós. Porei sobre vós o terror, o definhamento e a febre, que consomem os olhos e esgotam a vida. Debalde semeareis a vossa semente, porque os vossos inimigos a comerão. 17Voltar-me-ei contra vós e sereis derrotados pelos vossos inimigos. Vossos adversários vos dominarão e vós fugireis sem que haja alguém a vos perseguir. 18E se, apesar disso, não me ouvirdes, continuarei a castigar-vos sete vezes mais, por causa dos vossos pecados. 19Quebrarei o vosso poder orgulhoso e vos farei o céu como de ferro e a terra como de bronze: 20vossa força se consumirá inutilmente, vossa terra não dará mais os seus produtos, e as árvores do campo não darão mais os seus frutos. 21Se vos opuserdes a mim e não me quiserdes ouvir, agravarei estas praças sobre vós sete vezes mais, por causa dos vossos pecados. 22Soltarei contra vós as feras do campo, que matarão os vossos filhos, reduzirão o vosso gado e vos dizimarão, a ponto de se tornarem desertos os vossos caminhos. 23E se, apesar disso, ainda não vos corrigirdes e vos obstinardes em resistir-me, 24também eu vos serei contrário, e ainda vos ferirei sete vezes mais por causa dos vossos pecados. 25Farei vir contra vós a espada que vingará a minha Aliança. E quando vos refugiardes nas vossas cidades, enviarei a peste no meio de vós e sereis entregues em poder do inimigo. 26E quando eu vos tiver retirado o sustento do pão, dez mulheres poderão cozer o vosso pão num só forno, e vos entregarão este pão medido, e comereis e não vos fartareis. 27E se, apesar disso, ainda não me ouvirdes e continuardes a vos opor a mim, 28eu me oporei a vós com furor, e eu mesmo vos castigarei sete vezes mais pelos vossos pecados. 29Comereis a carne dos vossos filhos e comereis a carne das vossas filhas. 30Destruirei os vossos lugares altos, desfarei os vossos altares de incenso, lançarei os vossos cadáveres sobre os cadáveres dos vossos ídolos e vos rejeitarei. 31Reduzirei as vossas cidades a ruínas, devastarei os vossos santuários e não aspirarei mais os vossos perfumes de agradável odor. 32Eu mesmo devastarei a terra, e se espantarão os vossos inimigos que a vierem habitar! 33Quanto a vós, eu vos dispersarei entre as nações. Desembainharei a espada contra vós e farei da vossa terra um deserto e das vossas cidades, ruínas. 34Então a terra cumprirá os seus sábados, durante todos os dias da sua desolação, enquanto estiverdes na terra dos vossos inimigos. Então a terra repousará e poderá cumprir os seus sábados. 35Repousará durante todos os dias de sua desolação, o que não aconteceu nos vossos dias de sábado, quando nela habitáveis. 36E no meio daqueles que dentre vós sobreviverem, farei vir o terror ao seu coração; quando se encontrarem na terra dos seus inimigos, perseguidos pelo ruído de uma folha seca, fugirão como se foge diante da espada e cairão, ainda que ninguém os persiga. 37Tropeçarão uns nos outros, como se estivessem diante da espada, sem que ninguém os persiga! E não podereis permanecer diante dos vossos inimigos, 38perecereis entre as nações, e a terra dos vossos inimigos vos devorará. 39Aqueles dentre vós que sobreviverem serão consumidos na terra dos seus inimigos, por causa das suas iniqüidades; é também por causa das iniquidades dos seus pais, acrescidas às deles, que virão a perecer. 40E confessarão então as suas iniquidades, bem como as iniquidades dos seus pais, faltas cometidas por infidelidade para comigo e, ainda mais, por oposição a mim. 41E eu também serei contrário a eles e os conduzirei à terra dos seus inimigos. E tão o seu coração incircunciso se humilhará e farão expiação pelas suas faltas. 42Lembrar-me-ei da minha aliança com Jacó, da minha aliança com Isaac e da minha aliança com Abraão, e igualmente me lembrarei da terra. 43E a terra, abandonada por eles, cumprirá os seus sábados, enquanto permanecer desolada com a partida deles. Eles, contudo, deverão expiar a sua iniqüidade, visto que rejeitaram as minhas normas e desprezaram os meus estatutos. 44Contudo, não será apenas isto, pois ainda que estejam na terra dos seus inimigos, eu não os rejeitarei e não os aborrecerei a ponto de romper com eles e de invalidar a minha aliança com eles, pois eu sou Iahweh seu Deus. 45Lembrar-me-ei, em favor deles, da aliança feita com os seus antepassados, que fiz sair da terra do Egito, à vista das nações, a fim de ser o seu Deus, eu mesmo Iahweh. 46São estes os estatutos, as normas e as leis que Iahweh estabeleceu entre si e os filhos de Israel, no monte Sinai, por intermédio de Moisés.

Apêndice

TARIFAS E AVALIAÇÕES

27 A. Pessoas 1Iahweh falou a Moisés e disse: 2Fala aos filhos de Israel e dize-lhes: Se alguém quiser cumprir um voto a Iahweh, relativo ao valor de uma pessoa, 3um homem entre vinte e sessenta anos será avaliado em cinqüenta siclos de prata — siclo do santuário —; 4se for uma mulher, a avaliação será de trinta siclos; 5entre cinco e vinte anos, o homem será avaliado em vinte siclos e a mulher em dez siclos; 6entre um mês e cinco anos, o homem será avaliado em cinco siclos de prata e a mulher em três siclos de prata; 7de sessenta anos para cima, o homem será avaliado em quinze siclos e a mulher em dez siclos. 8Se aquele que fez o voto não tiver condições para atender a esta avaliação, então apresentará a pessoa ao sacerdote. Este fará a avaliação, que será de acordo com os recursos daquele que fez o voto.

B. Animais9Em se tratando de animais, daqueles que se oferecem a Iahweh, todo animal que se oferece a Iahweh será coisa sagrada. 10Não poderá ser trocado nem substituído, quer seja o bom pelo mau, quer o mau pelo bom. Se se substituir um animal por outro, tanto o primeiro como o segundo serão coisas sagradas. 11Em se tratando de animal impuro que se não pode oferecer a Iahweh, qualquer que seja, será levado ao sacerdote 12e este fará a avaliação do animal, declarando-o bom ou mau; e de acordo com a avaliação tal será o seu preço. 13Porém, se se desejar resgatá-lo, acrescentar-se-á à avaliação mais um quinto do seu valor.

C. Casas14Se alguém consagrar sua casa a Iahweh, o sacerdote fará a avaliação dela, se é de alto ou de baixo preço. Segundo a avaliação do sacerdote tal será o seu preço; 15contudo, se o homem que fez voto da casa desejar resgatá-la, acrescentará à avaliação um quinto do seu preço e ela será dele.

D. Campos16Se um homem consagrar a Iahweh um campo do seu patrimônio, a avaliação dele será feita de acordo com o seu produto na proporção de cinqüenta siclos de prata por meio almude de cevada. 17Se consagrar o campo desde o ano do jubileu, permanecerá esta avaliação; 18porém, se o consagrar depois do jubileu, o sacerdote calculará o preço dele de acordo com os anos que ainda restam para chegar ao jubileu, e será feita uma dedução no preço da avaliação. 19Se desejar resgatar o campo, acrescentará à avaliação um quinto do seu preço, e o campo será seu. 20Se não resgatar o campo, mas vendê-lo a outrem, cessará o direito de resgate; 21no ano do jubileu, aquele que adquiriu o campo deverá deixá-lo, e o campo será coisa consagrada a Iahweh, como se fosse votado ao anátema: a posse passará do homem para o sacerdote. 22Se alguém consagrar a Iahweh um campo que adquiriu, mas que não faz parte do seu patrimônio, 23o sacerdote calculará o preço do campo de acordo com o tempo que ainda resta até o ano do jubileu, e aquele que o consagrou pagará a importância no mesmo dia, como coisa consagrada a Iahweh. 24No ano do jubileu, o campo voltará ao que o vendeu, àquele que tem a posse da propriedade na terra. 25Toda avaliação será feita em siclos do santuário, sendo que vinte geras valem um siclo.

Regras particulares para resgate: a) dos primogênitos26Ninguém poderá consagrar o primogênito de um animal, visto que já pertence a Iahweh; quer seja de gado miúdo ou graúdo, já pertence a Iahweh. 27Mas se for de um animal impuro, poder-se-á resgatá-lo pelo preço da avaliação, acrescido de um quinto do seu valor; se não for resgatado, será vendido pelo preço da avaliação.

b) do anátema28Contudo, nada do que alguém consagra a Iahweh, por anátema, pode ser vendido ou resgatado, quer seja homens, animais ou campos do seu patrimônio. Todo anátema é coisa santíssima que pertence a Iahweh. 29Nenhum ser humano votado ao anátema poderá ser resgatado; será morto.

c) dos dízimos30Todos os dízimos da terra, tanto dos produtos da terra como dos frutos das árvores, pertencem a Iahweh; é coisa consagrada a Iahweh. 31Se alguém quiser resgatar uma parte do seu dízimo, acrescentará um quinto do seu valor. 32Em todo dízimo de gado graúdo ou miúdo, a décima parte de tudo que passa sob o cajado do pastor é coisa consagrada a Iahweh. 33Não se deve observar se é bom ou mau e não se fará substituição: se isto se der, tanto o animal consagrado como aquele que o substitui serão coisas consagradas, sem possibilidade de resgate. 34Estas são as ordens que Iahweh deu a Moisés, no monte Sinai, para os filhos de Israel.

ÊXODO
NUMEROS
Ajude a Melhorar Ainda Mais o site, Avalie: