JOSUÉ

0
7
DEUTERONÔMIO
JUIZES

JOSUÉ

I. Conquista da Terra Prometida

1. PREPARATIVOS

1 Convite a passar à Terra Prometida1Depois da morte de Moisés, servo de Iahweh, Iahweh falou a Josué, filho de Nun, ministro de Moisés,4 e lhe disse: 2“Moisés, meu servo, morreu; agora, levanta-te! Atravessa este Jordão, tu e todo este povo, para a terra que lhes dou (aos filhos de Israel). 3Todo lugar que a planta dos vossos pés pisar eu vo-lo dou, como disse a Moisés. 4Desde o deserto e o Líbano até o grande rio, o Eufrates (toda a terra dos heteus), e até o Grande Mar, no poente do sol, será o vosso território. 5Ninguém te poderá resistir durante toda a tua vida; assim como estive com Moisés, estarei contigo: jamais te abandonarei, nem te desampararei.

Fidelidade à Lei, condição da ajuda divina6“Sê firme e corajoso, porque farás este povo herdar a terra que a seus pais jurei dar-lhes. 7Tão- somente sê de fato firme e corajoso, para teres o cuidado de agir segundo toda a Lei que te ordenou Moisés, meu servo. Não te apartes dela, nem para a direita nem para a esquerda, para que triunfes em todas as tuas realizações. 8Que o livro desta Lei esteja sempre nos teus lábios: medita nele dia e noite, para que tenhas o cuidado de agir de acordo com tudo que está escrito nele. Assim serás bem sucedido nas tuas realizações e alcançarás êxito. 9Não te ordenei: Sê firme e corajoso? Não temas e não te apavores, porque Iahweh teu Deus está contigo por onde quer que andes.”

Reunião das tribos além do Jordão10Então Josué ordenou aos oficiais do povo: 11“Passai pelo meio do acampamento e dai esta ordem ao povo: Tomai provisões porque, dentro de três dias, atravessareis este Jordão, para ocupardes a terra cuja posse Iahweh vosso Deus vos dá.” 12Aos rubenitas, aos gaditas e à meia tribo de Manassés, Josué disse: 13“Lembrai-vos da palavra que vos ordenou Moisés, servo de Iahweh, dizendo: Iahweh vosso Deus concede repouso e vos dá esta terra. 14As vossas mulheres, as vossas crianças e os vossos rebanhos permanecerão na terra que Moisés vos deu aquém do Jordão; vós, porém, todos os homens de guerra, passareis armados adiante dos vossos irmãos e os auxiliareis, 15até que Iahweh conceda descanso aos vossos irmãos, como a vós, e também eles tomem posse da terra que Iahweh vosso Deus lhes dá. Então podereis voltar para a terra que vos pertence e tomareis posse dela, terra que vos deu Moisés, servo de Iahweh, aquém do Jordão, do lado do oriente.” 16Eles responderam a Josué, dizendo: “Tudo o que nos ordenaste, nós o faremos e, para onde quer que nos enviares, iremos. 17Assim como em tudo obedecemos a Moisés, da mesma forma obedeceremos a ti; basta que Iahweh teu Deus esteja contigo, assim como esteve com Moisés. 18Todo aquele que se rebelar contra a tua ordem e não obedecer às tuas palavras, em tudo quanto lhe ordenares, será morto. Tão-somente, sê firme e corajoso.”

2 Espiões de Josué em Jericó 1Josué, filho de Nun, enviou de Setim, secretamente, dois homens como espiões, dizendo: “Ide, examinai a terra de Jericó.” Foram, pois, e entraram na casa de uma prostituta chamada Raab e hospedaram-se ali. 2E anunciou-se ao rei de Jericó: “Eis que alguns dos filhos de Israel vieram aqui esta noite, para espionar a terra.” 3Então o rei de Jericó mandou dizer a Raab: “Faze sair os homens que vieram a ti e que entraram na tua casa, porque vieram para espionar toda a terra.” 4Mas a mulher tomou os dois homens e os escondeu. Disse então: “De fato, esses homens vieram a mim e eu não sabia de onde eram. 5E, havendo de fechar-se a porta da cidade, à noite, esses homens saíram e não sei para onde foram. Persegui-os rapidamente e os alcançareis.” 6Ela, porém, os fizera subir ao terraço e os escondera entre as canas de linho que havia disposto em ordem no terraço. 7E os homens saíram em perseguição deles pelo caminho dos vaus do Jordão; e fechou-se a porta após a saída dos que os perseguiam.

O pacto entre Raab e os espiões8E antes que os espiões se deitassem, Raab subiu ao terraço 9e disse-lhes: “Sei que Iahweh vos deu esta terra e caiu sobre nós o vosso terror, e todos os habitantes da terra estão tomados de pânico diante de vós. 10Porque temos ouvido como Iahweh secou as águas do mar dos Juncos diante de vós, quando saístes do Egito, e o que fizestes aos dois reis dos amorreus, do outro lado do Jordão, a Seon e a Og, que destruístes totalmente. 11Ao ouvirmos isso o nosso coração desfaleceu e não restou mais ânimo em ninguém, por causa da vossa presença; porque, Iahweh, o vosso Deus, é Deus tanto em cima nos céus como embaixo na terra. 12Agora, pois, jurai-me por Iahweh que, assim como eu tive misericórdia de vós, de igual modo tratareis com misericórdia a casa de meu pai e me dareis um sinal verdadeiro 13de que preservareis a vida de meu pai e de minha mãe, de meus irmãos e irmãs e de todos os que lhes pertencem, e de que nos livrareis da morte.” 14E os homens disseram-lhe: “A nossa vida responderá pela vossa, se não denunciardes a nossa missão; e quando Iahweh nos der a terra, usaremos de misericórdia e de fidelidade para contigo.” 15Então ela os fez descer por uma corda pela janela, pois a sua casa estava construída na muralha, visto que morava ali. 16E disse-lhes: “Ide à montanha para que os vossos perseguidores não vos encontrem. Escondei-vos lá durante três dias, até que voltem aqueles que vos perseguem, e depois segui o vosso caminho.” 17Disseram-lhe os homens: “Estaremos livres do juramento quê nos fizeste prestar 18se, à nossa chegada à terra, não atares este cordão de fio escarlate à janela pela qual nos fizeste descer e não reunires contigo, na tua casa, teu pai, tua mãe, teus irmãos e toda a família de teu pai. 19Qualquer pessoa que sair para fora das portas da tua casa, o seu sangue cairá sobre sua cabeça, e nós seremos inocentes; mas o sangue daquele que estiver contigo na casa cairá sobre nossas cabeças, se alguém puser a mão sobre ele. 20Mas se denunciares esta nossa missão, estaremos livres do juramento que nos fizeste prestar.” 21Ela respondeu: “Que assim seja, de acordo com as vossas palavras.” Ela os despediu e eles partiram; e ela atou o cordão escarlate à janela.

Volta dos espiões22Partiram, pois, e foram à montanha e lá permaneceram três dias, até o regresso dos perseguidores, que os procuraram por todo o caminho e não os encontraram. 23Então os dois homens desceram da montanha, passaram o Jordão e vieram a Josué, filho de Nun, a quem contaram tudo que lhes havia acontecido. 24Disseram a Josué: “Realmente Iahweh nos dá toda esta terra em nossas mãos; e os seus habitantes estão apavorados diante de nós.” 2 A PASSAGEM DO JORDÃO

3 Preliminares da passagem1Josué levantou-se de madrugada e partiu de Setim com todos os filhos de Israel; vieram até o Jordão e ali pousaram, antes de atravessar. 2Ao fim de três dias, os oficiais percorram o acampamento3e ordenaram ao povo: “Quando virdes a Arca da Aliança de Iahweh vosso Deus sendo carregada pelos sacerdotes levitas, vós também partireis do vosso lugar e a seguireis, 4ba fim de conhecerdes o caminho que haveis de tomar, pois nunca passastes por este caminho.4aConservai, contudo, entre vós e a Arca, a distância aproximada de dois mil côvados; não vos aproximeis dela.” Josué disse ao povo: “Santificai-vos, porque amanhã Iahweh fará maravilhas no meio de vós.” 5Depois Josué disse aos sacerdotes: “Levantai a Arca da Aliança e passai adiante do povo.” Eles levantaram a Arca da Aliança e foram adiante do povo.

Últimas instruções7Iahweh disse a Josué: “Hoje começarei a engrandecer-te aos olhos de todo o Israel, para que saibam que assim como estive com Moisés estarei contigo. 8E tu ordenarás aos sacerdotes que levam a Arca da Aliança, dizendo: ‘Quando chegardes á borda das águas do Jordão, parareis no próprio Jordão.’ ” 9Disse então Josué aos filhos de Israel: “Aproximai-vos e ouvi as palavras de Iahweh vosso Deus.” 10Acrescentou Josué: “Nisto reconhecereis que o Deus vivo está no meio de vós e que certamente expulsará da vossa presença os cananeus, os heteus, os heveus, os ferezeus, os gergeseus, os amorreus e os jebuseus. 11Eis que a Arca da Aliança do Senhor de toda a terra vai passar o Jordão diante de vós. 12Agora, pois, tomai doze homens das tribos de Israel, um homem de cada tribo. 13E quando as plantas dos pés dos sacerdotes que transportam a Arca de Iahweh, Senhor de toda a terra, pousarem nas águas do Jordão, as águas do Jordão serão cortadas; as águas que descem de cima pararão, amontoando-se.”

A passagem do rio 14Ora, quando o povo deixou suas tendas para passar o Jordão, os sacerdotes que levavam a Arca da Aliança estavam à frente do povo. 15Assim que os transportadores da Arca chegaram ao Jordão e que os pés dos sacerdotes que transportavam a Arca se molharam nas bordas das águas — pois o Jordão transborda pelas suas margens durante toda a ceifam —,16as águas que vinham de cima pararam e formaram uma só massa a uma grande distância, em Adam, cidade que fica ao lado de Sartã; ao passo que as águas que desciam em direção ao mar da Arabá, o mar Salgado, ficaram inteiramente separadas. O povo atravessou defronte de Jericó. 17Os sacerdotes que transportavam a Arca da Aliança de Iahweh detiveram-se no seco, no meio do Jordão, enquanto todo o Israel passava pelo seco, até que toda a nação acabou de atravessar o Jordão.

4 As doze pedras comemorativas 1Quando todo o povo acabou de atravessar o Jordão, Iahweh falou a Josué e lhe disse: 2“Escolhei doze homens dentre o povo, um homem de cada tribo, 3e ordenai-lhes: ‘Tomai daqui do meio do Jordão, do lugar onde os sacerdotes, parados, pousaram os seus pés, doze pedras e carregai-as convosco e depositai-as no lugar onde acampareis esta noite.’ ” 4Então Josué chamou doze homens que escolheu dentre os filhos de Israel, um homem de cada tribo, 5e lhes disse Josué: “Passai adiante da Arca de Iahweh, vosso Deus, até o meio do Jordão; e cada um levante sobre o seu ombro uma pedra, de acordo com o número das tribos dos filhos de Israel, 6para que seja um sinal no meio de vós. Quando amanhã vossos filhos vos perguntarem: ‘Que significam para vós estas pedras?’, 7então lhes direis: ‘É que as águas do Jordão dividiram-se diante da Arca da Aliança de Iahweh; à sua passagem cindiram-se as águas do Jordão. Estas pedras serão, para sempre, um memorial para os filhos de Israel.’ ” 8E os filhos de Israel fizeram como Josué ordenara: tomaram doze pedras do meio do rio Jordão, segundo o número das tribos dos filhos de Israel, como Iahweh havia determinado a Josué, e as transportaram ao acampamento e ali as depositaram. 9E Josué erigiu doze pedras no meio do Jordão, no lugar onde os sacerdotes que transportavam a Arca da Aliança pousaram os pés; e elas estão ali até o dia de hoje.

Final da passagem10Os sacerdotes que transportavam a Arca permaneceram em pé no meio do Jordão, até que se cumpriu tudo o que Iahweh havia ordenado a Josué dizer ao povo, (conforme tudo o que Moisés havia ordenado a Josué); e o povo apressou-se a atravessar. 11Quando todo o povo terminou a travessia, a Arca de Iahweh e os sacerdotes passaram à frente do povo. 12Os filhos de Rúben, os filhos de Gad e a meia tribo de Manassés passaram armados à frente dos filhos de Israel, conforme Moisés lhes havia dito. 13Cerca de quarenta mil guerreiros em armas, prontos para a batalha, passaram diante de Iahweh, rumo às planícies de Jericó. 14Naquele dia, Iahweh enalteceu Josué à vista de todo o Israel; e respeitaram-no como haviam respeitado a Moisés, todos os dias da sua vida. 15Iahweh disse a Josué: 16“Ordena aos sacerdotes que carregam a Arca do Testemunho que subam do Jordão.” 17Então Josué ordenou aos sacerdotes: “Subi do Jordão!” 18E, ao subirem os sacerdotes que transportavam a Arca da Aliança de Iahweh do meio do Jordão, assim que as plantas dos pés dos sacerdotes tocaram a terra seca, as águas do Jordão voltaram ao seu leito e corriam como antes, em todas as suas margens.

Chegada a Guilgal19O povo subiu do Jordão no décimo dia do primeiro mês e acampou em Guilgal, no confim oriental de Jericó. 20E aquelas doze pedras que tiraram do Jordão, Josué as erigiu em Guilgal. 21Disse então aos filhos de Israel: “Quando, no futuro, vossos filhos perguntarem a seus pais: ‘Que significam estas pedras?’, 22explicareis a vossos filhos: ‘Israel atravessou este Jordão em terra seca, 23pois Iahweh vosso Deus fez secar as águas do Jordão diante de vós, até que passásseis, assim como Iahweh vosso Deus havia feito com o mar dos Juncos, que secou diante de nós, até que o atravessássemos, 24para que saibam todos os povos da terra quão poderosa é a mão de Iahweh, a fim de que temam a Iahweh vosso Deus para sempre.’ ”

5 Terror das populações a oeste do Jordão1Sucedeu que, ao ouvirem todos os reis dos amorreus que habitavam além do Jordão, ao ocidente, e todos os reis dos cananeus que habitavam junto ao mar, que Iahweh havia secado as águas do Jordão diante dos filhos de Israel até que tivessem passado, desfaleceu-se-lhes o coração e não houve mais alento neles diante dos filhos de Israel.

A circuncisão dos hebreus em Guilgal2Nesse tempo Iahweh disse a Josué: “Faze facas de pedra e circuncida de novo os filhos de Israel (uma segunda vez).”3Josué fez então facas de pedra e circuncidou os filhos de Israel na colina dos Prepúcios. 4Esta é a razão por que Josué os circuncidou: todo o povo que saiu do Egito, os homens, todos os homens de guerra, morreram no deserto, no caminho, depois da sua saída do Egito. 5Ora, todo o povo que saíra havia sido circuncidado; mas todo o povo que nascera no deserto, no caminho depois da sua saída do Egito, não havia sido circuncidado; 6porque os filhos de Israel andaram durante quarenta anos no deserto, até que pereceu toda a nação, os homens de guerra que saíram do Egito; visto que não obedeceram à voz de Iahweh, jurou-lhes Iahweh que não veriam a terra que aos seus pais havia jurado dar-nos, terra que mana leite e mel. 7Quanto a seus filhos, estabeleceu-os em seu lugar; a estes Josué circuncidou, visto que não haviam sido circuncidados no caminho. 8E quando toda a nação foi circuncidada, repousaram no seu lugar, no acampamento, até que sararam. 9Iahweh disse a Josué: “Hoje tirei de vós o opróbrio do Egito.” Aquele lugar foi chamado Guilgal, até hoje.

Celebração da Páscoa10Enquanto os filhos de Israel estavam acampados em Guilgal, celebraram a Páscoa, no décimo quarto dia do mês, à tarde, nas planícies de Jerico. 11No dia seguinte à Páscoa, comeram do produto do país, pão sem fermento e trigo tostado, naquele mesmo dia. 12Ao comerem o fruto da terra, no dia seguinte, cessou o maná. E os filhos de Israel não tiveram mais o maná, mas comeram do fruto da terra de Canaã, naquele ano.

3. A CONQUISTA DE JERICÓ

Prelúdio: teofania13Encontrando-se Josué perto de Jericó, levantou os olhos e viu um homem que se achava diante dele, com uma espada desembainhada na mão. Josué aproximou-se dele e disse-lhe: “És tu dos nossos ou dos nossos inimigos?” 14Ele respondeu: “Não! Mas sou chefe do exército de Iahweh e acabo de chegar.” Josué prostrou-se com o rosto em terra, adorou-o e disse-lhe: “Que tem a dizer o meu Senhor a seu servo?” 15O chefe do exército de Iahweh respondeu a Josué: “Descalça as sandálias dos teus pés, porque o lugar em que pisas é santo.” E assim fez Josué.

6 Tomada de Jericó1Ora, Jericó estava fechada e trancada com ferrolhos (contra os filhos de Israel): ninguém podia sair nem entrar. 2Iahweh disse então a Josué: “Vê! Entrego nas tuas mãos Jericó, o seu rei e os seus homens de guerra. 3Vós, todos os combatentes, dai volta ao redor da cidade (cercando-a uma vez; e assim fareis durante seis dias. 4Sete sacerdotes levarão diante da Arca sete trombetas de chifre de carneiro. No sétimo dia rodeareis a cidade sete vezes, e os sacerdotes tocarão as trombetas). 5E quando tocarem com fragor o chifre de carneiro (assim que ouvirdes o som da trombeta), todo o povo prorromperá em forte grito de guerra, e as muralhas da cidade cairão e o povo subirá, cada um no lugar à sua frente.” 6Josué, filho de Nun, chamou os sacerdotes e disse-lhes: “Tomai a Arca da Aliança, e sete sacerdotes tomem sete trombetas de chifre de carneiro e precedam a arca de Iahweh.” 7Depois disse ao povo: “Passai e dai volta à cidade, e os guerreiros marchem diante da Arca de Iahweh.” 8(Foi feito como Josué havia dito ao povo.) Sete sacerdotes, levando as sete trombetas de chifre de carneiro diante de Iahweh, passaram e tocaram as trombetas; e a Arca da Aliança de Iahweh vinha atrás deles. 9Os guerreiros iam na frente dos sacerdotes que tocavam as trombetas, e a retaguarda seguia atrás da Arca; e, marchando, tocavam as trombetas. 10Josué, porém, havia dado ao povo a seguinte ordem: “Não griteis, nem façais ouvir a vossa voz (e não saia da vossa boca palavra alguma), até o dia em que eu vos disser: ‘Gritai!’ Então gritareis.” 11Assim, a Arca de Iahweh rodeou a cidade (contornando-a uma vez), e depois voltaram ao acampamento onde passaram a noite. 12Josué levantou-se muito cedo, e os sacerdotes tomaram a Arca de Iahweh. 13Os sete sacerdotes, munidos de sete trombetas de chifre de carneiro e marchando na frente da Arca de Iahweh, tocavam a trombeta durante a marcha; os homens de guerra iam adiante deles e a retaguarda seguia a Arca de Iahweh; enquanto marchavam, as trombetas soavam continuamente. 14(No segundo dia) rodearam uma vez a cidade e voltaram ao acampamento. E assim fizeram durante seis dias. 15No sétimo dia, levantaram-se ao romper da aurora, e (de igual maneira) rodearam a cidade sete vezes: (somente naquele dia rodearam a cidade sete vezes). 16Na sétima vez, os sacerdotes soaram as trombetas e Josué disse ao povo: “Gritai, pois Iahweh vos entregou a cidade!”

Jericó consagrada como anátema17“A cidade será consagrada como anátema a Iahweh, com tudo o que nela existe. Somente Raab, a prostituta, viverá e todos aqueles que estiverem com ela na sua casa, porque ocultou os mensageiros que enviamos. 18Mas vós, guardai-vos do anátema, para que não tomeis alguma coisa do que é anátema, movidos pela cobiça, pois isso tornaria anátema o acampamento de Israel e traria sobre ele confusão. 19Toda prata e todo ouro, todos os objetos de bronze e de ferro serão consagrados a Iahweh; entrarão no seu tesouro.” 20O povo gritou com força e tocaram-se as trombetas. Quando o povo ouviu o som da trombeta, gritou com força e a muralha ruiu por terra, e o povo subiu à cidade, cada qual no lugar à sua frente, e se apossaram da cidade. 21Então consagraram como anátema tudo que havia na cidade: homens e mulheres, crianças e velhos, assim como os bois, ovelhas e jumentos, passando-os ao fio da espada.

A casa de Raab é preservada22Josué disse aos dois homens que haviam espionado a terra: “Entrai na casa da meretriz e fazei essa mulher sair de lá com tudo que lhe pertence, conforme lhe jurastes.” 23Foram os jovens, os espiões, e fizeram sair Raab, seu pai, sua mãe, seus irmãos e tudo o que lhe pertencia. Fizeram sair também toda a sua parentela e os colocaram em lugar seguro, fora do acampamento de Israel. 24Queimaram a cidade e tudo o que nela havia, exceto a prata, o ouro e os objetos de bronze e de ferro, que foram entregues ao tesouro da casa de Iahweh. 25Mas Raab, a meretriz, bem como a casa de seu pai e todos os que lhe pertenciam, Josué os salvou com vida. E ela habitou no meio de Israel até hoje, porque escondera os mensageiros que Josué enviara para espionar Jericó.

Maldição sobre quem reconstruir Jericó26Naquela ocasião, Josué fez pronunciar este juramento: “Maldito seja, diante de Iahweh, o homem que se levantar para reconstruir esta cidade (Jericó)! Lançará seus fundamentos sobre o seu primogênito, e colocará as suas portas sobre o seu filho mais novo!” 27E Iahweh esteve com Josué, cuja fama se divulgou por toda a terra.

7 Violação do anátema1Mas os filhos de Israel tornaram-se culpados de violação do anátema: Acã, filho de Carmi, filho de Zabdi, filho de Zaré, da tribo de Judá, apoderou-se de coisas que estavam sob anátema; e a ira de Iahweh inflamou-se contra os filhos de Israel.

Derrota diante de Hai, sanção do sacrilégio2Ora, Josué enviou de Jericó alguns homens em direção a Hai’ (que fica perto de Bet-Áven), ao oriente de Betel, e disse-lhes: “Subi e explorai o país.” Eles subiram para explorar Hai. 3Retornando a Josué, disseram-lhe: “Não é necessário que suba todo o povo, mas apenas dois ou três mil homens subam para atacar Hai. Nem se fatigue todo o povo, pois os seus habitantes não são numerosos.” 4Subiram para lá, do povo, cerca de três mil homens, que se puseram em fuga diante dos habitantes de Hai. 5Os habitantes de Hai mataram cerca de trinta e seis dos homens deles e os perseguiram desde a porta até, Saba- rim, e na descida os derrotaram. Então o coração do povo desmaiou e a sua coragem se derreteu.

Súplica de Josué6Josué então rasgou suas vestes, prostrou-se com a face em terra diante da Arca de Iahweh até à tarde, tanto ele como os anciãos de Israel, e lançaram pó sobre suas cabeças. 7Disse Josué: “Ah! Senhor Iahweh, por que fizeste este povo passar o Jordão se era para nos entregar nas mãos dos amorreus e destruir-nos? Ah! se tivéssemos podido nos estabelecer do outro lado do Jordão! 8Perdoa-me, Senhor! Que direi, agora que Israel voltou as costas diante dos seus inimigos? 9Os cananeus ficarão sabendo, bem como todos os moradores da terra, e se reunirão contra nós para fazer desaparecer nosso nome da terra. Que farás, então, pelo teu grande nome?”

Resposta de Iahweh10Iahweh disse a Josué: “Levanta-te! Por que permaneces assim prostrado sobre teu rosto? 11Israel pecou, violou a Aliança que eu lhe ordenara: Sim! tomou do que era anátema, e até o furtou, e também o dissimulou e ainda o colocou entre as suas bagagens. 12Por isso os filhos de Israel não poderão resistir aos seus inimigos, e voltarão as costas diante dos seus inimigos porque se tornaram anátemas. Se não fizerdes desaparecer do meio de vós o objeto do anátema, não estarei mais convosco. 13Levanta-te, santifica o povo e dirás: Santificai-vos para amanhã, pois assim diz Iahweh, o Deus de Israel: O anátema está no meio de ti, Israel; não poderás enfrentar teus inimigos até que não tenhais eliminado o anátema do vosso meio. 14Portanto, vós vos apresentareis amanhã cedo, por tribos, e a tribo que Iahweh houver designado pela sorte se apresentará por clãs, e o clã que Iahweh houver designado pela sorte se apresentará por famílias, e a família que Iahweh houver designado pela sorte se apresentará homem por homem. 15Enfim, aquele que for designado pela sorte naquilo a que se refere o anátema será queimado, ele e tudo o que lhe pertence, por haver transgredido a Aliança com Iahweh e haver cometido uma infâmia em Israel.”

Descoberta e castigo do culpado16Josué levantou-se bem cedo; e mandou Israel se aproximar por tribos, e a tribo de Judá foi designada pela sorte. 17Mandou então aproximarem-se os clãs de Judá, e o clã de Zaré foi designado pela sorte. Fez achegar-se o clã de Zaré por famílias, e Zabdi foi designado pela sorte.18Josué fez aproximar-se a família de Zabdi, homem por homem, e Acã, filho de Carmi, filho de Zabdi, filho de Zaré, da tribo de Judá, foi designado pela sorte. 19Josué então disse a Acã: “Meu filho, dá glória a Iahweh, Deus de Israel, e a ele rende louvores; declara-me o que fizeste e nada me ocultes.” 20Acã respondeu a Josué: “Verdadeiramente, fui eu que pequei contra Iahweh, Deus de Israel, e eis o que fiz: 21Vi entre os despojos um belo manto de Senaar e duzentos siclos de prata e uma barra de ouro pesando cinqüenta siclos; cobicei-os e os tomei. Estão escondidos na terra, no meio da minha tenda, e a prata está embaixo.” 22Josué enviou mensageiros que correram à tenda, e realmente o manto estava escondido na tenda e a prata embaixo. 23Tomaram tudo do meio da tenda e o trouxeram a Josué e a todos os filhos de Israel e o depositaram diante de Iahweh. 24Então Josué tomou Acã, filho de Zaré, e o fez subir ao vale de Acor, com a prata, o manto e a barra de ouro, com seus filhos, suas filhas, seu boi, seu jumento, suas ovelhas, sua tenda e tudo o que lhe pertencia. Todo Israel o acompanhou. 25Disse Josué: “Por que trouxeste desgraça sobre nós? Que Iahweh, neste dia, traga desgraça sobre ti!” E todo Israel o apedrejou (e os queimou e os cobriu de pedras.) 26E levantaram sobre ele um grande monte de pedras, que existe ainda hoje. Aplacou-se então Iahweh da sua ardente ira. Por esse motivo se deu àquele lugar o nome de vale de Acor, até hoje.

4. A TOMADA DE HAI

8 Ordem dada a Josué 1Iahweh disse então a Josué: “Não temas e não desanimes! Toma contigo todos os combatentes. Levanta-te! Sobe contra Hai. Vê: eu entrego em tuas mãos o rei de Hai, seu povo, sua cidade e sua terra. 2Tratarás Hai e seu rei como trataste Jericó e seu rei. Nada tomareis como presa senão os despojos e o gado. Arma uma emboscada contra a cidade, por detrás dela.”

Manobra de Josué3Levantou-se Josué, com todos os combatentes, para subir contra Hai. Josué escolheu trinta mil homens valentes e os fez partir de noite, 4dando-lhes esta ordem: “Atenção! Armareis uma emboscada contra a cidade, por detrás dela, sem vos distanciardes muito da cidade, e ficai de prontidão. 5Eu, porém, e toda a gente que me acompanha nos aproximaremos da cidade e, quando o povo de Hai sair contra nós, como da primeira vez, fugiremos diante deles. 6Então eles nos seguirão e nós os atrairemos para longe da cidade, pois dirão: ‘Fogem diante de nós como da primeira vez.’ 7Saireis então da emboscada para tomar posse da cidade: Iahweh vosso Deus a entregará nas vossas mãos. 8Tomada a cidade a incendiareis, agindo de acordo com a palavra de Iahweh. Vede que eu vos dei uma ordem.” 9E tendo-os enviado Josué, foram eles ao lugar da emboscada, e se colocaram entre Betel e Hai, ao ocidente de Hai. Josué, contudo, passou aquela noite no meio do povo 10e, no dia seguinte, tendo se levantado de madrugada, passou em revista o povo e, com os anciãos de Israel, subiu contra Hai, à frente do povo. 11Todos os guerreiros que estavam com ele subiram também, aproximaram-se da frente da cidade e acamparam ao norte de Hai, ficando o vale entre eles e a cidade. 12Josué tomou cerca de cinco mil homens e os colocou em emboscada entre Betel e Hai, ao ocidente da cidade. 13O povo dispôs-se no maior acampamento, que estava ao norte da cidade, e sua emboscada ao ocidente dela. Josué avançou, aquela noite, até ao meio da planície.

Tomada de Hai14Ao ver isto, o rei de Hai e o povo da cidade apressaram-se em se levantar e sair, para que ele e todo o seu povo fossem ao encontro de Israel a fim de combatê-lo na descida que está diante da Arabá; mas não sabia que havia uma emboscada armada contra ele, atrás da cidade. 15Josué e todo Israel fingiram-se derrotados por eles e fugiram pelo caminho do deserto. 16Todo o povo que se achava na cidade saiu em perseguição deles, com grandes brados. Assim, ao perseguirem Josué, afastaram-se da cidade. 17Não ficou nem um só homem em Hai (nem em Betel) que não saísse em perseguição de Israel: deixaram a cidade aberta e perseguiram Israel. 18Iahweh disse então a Josué: “Estende a lança que tens na mão contra Hai, pois vou entregá-la em tuas mãos”. Então Josué estendeu contra a cidade a lança que tinha na mão. 19E ao estender ele a mão, os homens da emboscada saíram às pressas do seu lugar e, correndo, entraram na cidade, tomaram-na e apressaram-se em incendiá-la. 20Os homens de Hai voltaram-se para trás e viram: eis que a fumaça da cidade subia ao céu. Nenhum dentre eles sentiu-se com coragem de fugir para um lado ou para outro, porque o próprio povo que fugia para o deser- to se voltou contra os que o perseguiam. 21Vendo que os homens da emboscada haviam tomado a cidade e que a fumaça subia da cidade, Josué e todo Israel voltaram-se e atacaram os homens de Hai. 22Contra estes saíram os outros da cidade, de sorte que os homens de Hai ficaram no meio dos filhos de Israel, estando uns de um lado e outros de outro lado. E estes os desbarataram de modo tal que não restou nenhum sobrevivente nem fugitivo. 23Porém, ao rei de Hai, prenderam-no vivo e o trouxeram a Josué 24Depois que Israel acabou de matar todos os habitantes de Hai, no campo e no deserto, onde os haviam perseguido, e que todos, até ao último, caíram ao fio da espada, todo Israel voltou a Hai e passou a população ao fio da espada. 25 A totalidade dos que morreram naquele dia, tanto homens como mulheres, foi de doze mil, todos habitantes de Hai.

O anátema e a ruína26Josué não retirou a mão que estendera com a lança até que tivesse dedicado ao anátema todos os habitantes de Hai. 27E Israel não tomou por presa senão o gado e os despojos daquela cidade, segundo a ordem que Iahweh havia dado a Josué. 28Josué queimou Hai e a reduziu a ruína para sempre, um lugar desolado até hoje. 29Quanto ao rei de Hai, enforcou-o numa árvore, e ali ficou até à tarde; ao pôr-do-sol, Josué ordenou que tirassem da árvore o seu cadáver. Lançaram-no, em seguida, à entrada da porta da cidade e levantaram sobre ele um grande monte de pedras que permanece até hoje.

5. SACRIFÍCIO E LEITURA DA LEI SOBRE O MONTE EBAL

O altar de pedras brutas30Josué então edificou um altar a Iahweh, Deus de Israel, sobre o monte Ebal, 31como Moisés, servo de Iahweh, havia ordenado aos filhos de Israel, segundo o que está escrito na Lei de Moisés: um altar de pedras brutas não trabalhadas pelo ferro. E nele ofereceram holocaustos a Iahweh e imolaram vítimas de comunhão.

Leitura da Lei32Ali Josué escreveu sobre as pedras uma cópia da Lei de Moisés, que este havia escrito diante dos filhos de Israel. 33Todo Israel, com seus anciãos, seus escribas e seus juízes, estava de pé, de um e do outro lado da Arca, diante dos sacerdotes levitas que transportavam a Arca da Aliança de Iahweh, tanto os estrangeiros como os nativos, metade deles diante do monte Garizim e outra metade diante do monte Ebal, como havia ordenado Moisés, servo de Iahweh, para dar em primeiro lugar a bênção ao povo de Israel. 34Depois Josué leu todas as palavras da Lei — a bênção e a maldição — segundo tudo o que está escrito no livro da Lei. 35Palavra alguma de tudo o que Moisés havia ordenado deixou de ser lida por Josué, na presença de toda a assembléia de Israel, inclusive as mulheres, as crianças e os estrangeiros que habitavam no meio deles.

6. TRATADO ENTRE ISRAEL E OS GABAONITAS

9 Coalizão contra Israel1Ao ouvirem tais coisas, todos os reis que estavam aquém do Jordão, na montanha, nas baixadas e em toda a costa do Grande Mar diante do Líbano, heteus, amorreus, cananeus, ferezeus, heveus e jebuseus, 2coligaram-se para combater, de comum acordo, contra Josué e contra Israel.

Astúcia dos gabaonitas3Os habitantes de Gabaon ouviram falar da maneira pela qual Josué havia tratado Jericó e Hai, 4e por isso recorreram à astúcia. Dispuseram-se a fazer provisões, e carregaram os seus jumentos com sacos velhos e velhos odres de vinho, rotos e recosidos. 5Usavam nos pés velhas sandálias remendadas, e sobre si roupas velhas. Todo o pão que traziam para sua alimentação estava endurecido e reduzido a migalhas. 6Foram ter com Josué, no acampamento de Guilgal, e disseram-lhe, bem como aos homens de Israel: “Viemos de um país distante; fazei, pois, aliança conosco.” 7Os homens de Israel responderam aos heveus: “Porventura não habitais entre nós? Como, então, podemos fazer aliança convosco?” 8Responderam a Josué: “Somos teus servos.” — “Mas quem sois,” perguntou-lhes Josué, “e donde vindes?” 9Responderam: “Teus servos vêm de um país muito distante, devido à fama de Iahweh teu Deus, pois que ouvimos falar dele, de tudo o que fez no Egito 10e de tudo o que fez aos dois reis dos amorreus que estavam além do Jordão, Seon, rei de Hesebon, e Og, rei de Basã, que habitava em Astarot. 11Então os nossos anciãos e todos os habitantes do nosso país nos disseram: ‘Tomai provisões para a viagem, ide ao encontro deles e dizei-lhes: Somos teus servos, fazei, pois, aliança conosco!’ 12Eis o nosso pão: estava quente quando o tomamos como provisão nas nossas casas, no dia em que partimos para vos encontrar, e agora eis que está endurecido e reduzido a migalhas. 13Estes odres de vinho eram inteiramente novos quando os enchemos, e eis que estão rotos. As nossas sandálias e as nossas roupas, eis que estão desgastadas devido a uma longa jornada.” 14Os principais tomaram então das provisões deles e não consultaram o oráculo de Iahweh. 15Josué fez com eles a paz e selou com eles aliança, para que tivessem a vida salva, e os principais da comunidade prestaram-lhes juramento. 16Aconteceu que, três dias depois de fazerem aliança com eles, descobriram que eram um povo vizinho, que vivia no meio de Israel. 17Os filhos, de Israel partiram do acampamento e chegaram às suas cidades ao terceiro dia. As suas cidades eram: Gabaon, Cafira, Berot e Cariat-Iarim. 18Os filhos de Israel não os atacaram, visto que os principais da comunidade prestaram-lhes juramento por Iahweh, Deus de Israel; porém, toda a comunidade murmurou contra os principais.

Estatuto dos gabaonitas19Então, todos os principais disseram a toda a comunidade: “Nós lhes juramos por Iahweh, Deus de Israel, e portanto, não podemos tocar neles. 20Isto é o que lhes faremos: Deixar-lhes a vida salva para que não venha sobre nós a Ira devido ao juramento que lhes prestamos.” 21Os principais disseram: “Que vivam, mas que sejam rachadores de lenha e carregadores de água para toda a comunidade.” Falaram-lhes, pois, assim os principais. 22Josué convocou os gabaonitas e disse-lhes: “Por que nos enganastes dizendo: ‘Estamos muito distantes de vós’, quando habitais em nosso meio? 23Agora, pois, sois malditos e jamais cessareis de ser servos como rachadores de lenha e carregadores de água na casa do meu Deus.”24Responderam a Josué: “É que se anunciou com certeza aos teus servos a ordem dada por Iahweh teu Deus a Moisés, seu servo, de vos entregar toda esta terra e de exterminar diante de vós todos os seus habitantes. Por isso com a vossa aproximação fomos tomados de grande medo pelas nossas vidas. Eis por que agimos assim. 25Agora pois, estamos nas tuas mãos: faze-nos aquilo que te parece bom e justo.” 26E assim os tratou: livrou-os da mão dos filhos de Israel que não os mataram. 27Naquele dia, Josué os colocou como rachadores de lenha e carregadores de água para o serviço da comunidade e do altar de Iahweh, até o dia de hoje, no lugar que ele escolhesse.

7. COALIZÃO DOS CINCO REIS AMORREUS. CONQUISTA DA PALESTINA MERIDIONAL

10 Cinco reis fazem guerra a Gabaon1Ora, aconteceu que Adonisedec, rei de Jerusalém, soube que Josué havia tomado Hai e a havia consagrado ao anátema, tratando Hai e o seu rei como havia tratado Jericó e o seu rei, e que os habitantes de Gabaon haviam feito a paz com Israel e permaneciam no meio deles. 2Ele ficou apavorado, pois Gabaon era uma cidade tão grande como as cidades reais (era maior do que Hai), e todos os seus homens eram guerreiros. 3Então Adonisedec, rei de Jerusalém, mandou dizer a Hoam, rei de Hebron, a Faram, rei de Jarmut, a Jáfia, rei de Laquis, e a Dabir, rei de Eglon: 4“Subi a mim e ajudai-me a destruir Gabaon, porque ela fez a paz com Josué e os filhos de Israel!’ 5Os cinco reis dos amorreus, tendo-se reunido, subiram, eles e todos os seus exércitos, a saber: o rei de Jerusalém, o rei de Hebron, o rei de Jarmut, o rei de Laquis e o rei de Eglon; sitiaram Gabaon e a atacaram.

Josué socorre Gabaon6Os homens de Gabaon mandaram dizer a Josué, no acampamento de Guilgal: “Não abandones os teus servos; apressa- te em subir até nós para nos salvar e nos socorrer, pois todos os reis amorreus que habitam as montanhas coligaram-se contra nós.” 7Josué subiu de Guilgal, ele, todos os guerreiros e toda a elite do exército. 8Iahweh disse a Josué: “Não os temas: eu os entreguei nas tuas mãos e nenhum dentre eles te resistirá.” 9Josué os atacou de repente, depois de haver marchado toda a noite, desde Guilgal.

O socorro do céu10Iahweh os desbaratou na presença de Israel e infligiu-lhes, em Gabaon, grande derrota; perseguiu-os até o caminho da subida de Bet-Horon e os derrotou até Azeca (e até Maceda). 11Ora, enquanto fugiam diante de Israel, na descida de Bet-Horon, Iahweh lançou sobre eles, do céu, enormes pedras, até Azeca, e morreram. Foram mais os que morreram pelo granizo do que pela espada dos filhos de Israel. 12Foi então que Josué falou a Iahweh, no dia em que Iahweh entregou os amorreus aos filhos de Israel. Disse Josué na presença de Israel: “Sol, detém-te em Gabaon, e tu, lua, no vale de Aialon!” 13E o sol se deteve e a lua ficou imóvel até que o povo se vingou dos seus inimigos. Não está isso escrito no livro do Justo? O sol ficou imóvel no meio do céu e atrasou o seu ocaso de quase um dia inteiro. 14Nunca houve dia semelhante, nem antes, nem depois, quando Iahweh obedeceu à voz de um homem. É que Iahweh combatia por Israel. 15Voltou Josué, e com ele todo Israel, ao acampamento de Guilgal.

Os cinco reis na caverna de Maceda16Aqueles cinco reis fugiram e se esconderam na caverna de Maceda. 17Anunciou-se então a Josué: “Os cinco reis,” disseram-lhe, “foram descobertos escondidos na caverna de Maceda.” 18Disse Josué: “Rolai grandes pedras à entrada da caverna e colocai junto a ela homens para guardá-la. 19Vós, porém, não vos detenhais: persegui vossos inimigos, cortai-lhes a retaguarda e não os deixeis entrar nas suas cidades, pois Iahweh vosso Deus os entregou nas vossas mãos.” 20Quando Josué e os filhos de Israel acabaram de lhes infligir uma grande derrota a ponto de exterminá-los, todos os remanescentes vivos entraram nas cidades fortificadas. 21Todo o povo voltou ao acampamento são e salvo, junto a Josué, em Maceda, e ninguém ousou fazer coisa alguma contra os filhos de Israel. 22Disse então Josué: “Abri a entrada da caverna e fazei sair dela os cinco reis e trazei-mos.” 23Fizeram, pois, assim e trouxeram-lhe da caverna os cinco reis: o rei de Jerusalém, o rei de Hebron, o rei de Jarmut, o rei de Laquis e o rei de Eglon. 24Quando fizeram sair esses reis, Josué chamou todos os homens de Israel e disse aos comandantes do exército que o haviam acompanhado: “Aproximai-vos e ponde o pé sobre o pescoço destes reis.” Eles, aproximando-se, puseram o pé sobre o pescoço deles. 25“Não temais e nem vos acovardeis,” disse-lhes Josué, “mas sede fortes e corajosos, pois assim tratará Iahweh todos os inimigos contra os quais tendes de combater.” 26Depois disso, Josué os feriu e os matou, e os fez suspender em cinco árvores, nas quais ficaram suspensos até à tarde. 27Ao pôr-do-sol, por ordem de Josué, tiraram-nos das árvores e lançaram-nos na caverna onde se haviam ocultado. Foram colocadas grandes pedras à entrada da caverna, as quais lá permanecem até o dia de hoje.

Conquista das cidades meridionais de Canaã28No mesmo dia, Josué tomou Maceda e passou-a ao fio da espada, bem como o seu rei: votou-os ao anátema, com tudo o que lá se encontrava de ser vivo, sem deixar sobrevivente, e tratou o rei de Maceda como havia tratado o rei de Jericó. 29Josué, com todo Israel, passou então de Maceda a Lebna e a atacou. 30Iahweh a entregou, com o seu rei, nas mãos de Israel, que a passou ao fio da espada, bem como a todo ser vivo que lá se encontrava; não deixou nem um sobrevivente sequer. Tratou o seu rei como havia tratado o rei de Jericó. 31Então Josué, e todo Israel com ele, passou de Lebna a Laquis, que sitiou e atacou. 32Iahweh entregou Laquis nas mãos de Israel, que a tomou no segundo dia e a passou ao fio da espada, com tudo o que nela havia de ser vivo, como havia feito com Lebna. 33Nesse tempo o rei de Gazer, Horam, subiu para socorrer Laquis; Josué, porém, o derrotou, bem como ao seu povo, sem deixar sobrevivente. 34Josué, com todo Israel, passou de Laquis a Eglon. Sitiaram-na e atacaram-na. 35E no mesmo dia a tomaram e passaram-na ao fio da espada. Ainda no mesmo dia consagrou ao anátema tudo o que nela havia de ser vivo, assim como havia feito com Laquis. 36De Eglon Josué subiu, com todo Israel, a Hebron, e atacaram-na. 37Tomaram-na e a passaram ao fio da espada, bem como o seu rei, todas as cidades dela dependentes e tudo o que nelas se achou de ser vivo. Não deixou nenhum sobrevivente, do mesmo modo como fizera com Eglon. Consagrou-a ao anátema, bem como tudo o que nela se encontrou de ser vivo. 38Então Josué, com todo Israel, voltou a Dabir e a atacou. 39Tomou- a, com o seu rei e com todas as cidades dela dependentes; passaram-nas ao fio da espada e votaram ao anátema tudo o que nelas se achou de ser vivo; não deixou nenhum sobrevivente. Como havia feito a Hebron, assim fez Josué a Dabir e ao seu rei, tudo como havia feito a Lebna e ao seu rei.

Recapitulação das conquistas do sul40Assim Josué conquistou toda a terra, a saber: a montanha, o Negueb, a planície e as encostas, com todos os seus reis. Não deixou nenhum sobrevivente e votou todo ser vivo ao anátema, conforme havia ordenado Iahweh, o Deus de Israel; 41Josué os destruiu desde Cades Barne até Gaza, e toda a terra de Gósen até Gabaon. 42Todos esses reis, com suas terras, Josué os tomou de uma só vez, porquanto Iahweh, Deus de Israel, combatia por Israel. 43Finalmente Josué, com todo Israel, voltou ao acampamento de Guilgal.

8. A CONQUISTA DO NORTE

11 Coalizão dos reis do norte1Quando Jabin, rei de Hasor, ouviu isso, enviou mensageiros a Jobab, rei de Merom, ao rei de Semeron, ao rei de Acsaf 2e aos reis que habitavam a montanha ao norte, a planície ao sul de Quineret, as terras da planície e as encostas de Dor a oeste. 3Os cananeus achavam-se ao oriente e ao ocidente, os amorreus, os heteus, os ferezeus e os jebuseus na montanha, e os heveus ao pé do Hermon, na terra de Masfa. 4Partiram, tendo com eles todos os seus exércitos, um povo numeroso como a areia na praia do mar, com uma enorme quantidade de cavalos e de carros.

Vitória de Merom5Todos esses reis, havendo-se ajuntado, vieram e acamparam junto às águas de Merom, para combater Israel. 6Iahweh disse então a Josué: “Não temas diante deles, pois amanhã, a esta mesma hora, eu os entregarei todos, traspassados, a Israel; cortarás os jarretes de seus cavalos e queimarás os seus carros.” 7Josué, com todos os seus guerreiros, os atacou de surpresa perto das águas de Merom e caiu sobre eles. 8Iahweh os entregou nas mãos de Israel que os derrotou e os perseguiu até Sidônia-a-grande e até Maserefot ao ocidente e até o vale de Masfa ao oriente. Ele os feriu a ponto de não deixar deles nenhum sobrevivente. 9Josué os tratou como Iahweh lhe havia dito: cortou os jarretes dos seus cavalos e queimou os seus carros.

Tomada de Hasor e de outras cidades do norte10Nesse mesmo tempo, Josué voltou e tomou Hasor, cujo rei matou a espada. Hasor era outrora a capital de todos esses reinos. 11Passou também ao fio da espada todo ser vivo que nela se achou, devido ao anátema. Não deixou nela nenhum sobrevivente, e Hasor foi queimada. 12Todas as cidades desses reis, bem como todos os seus reis, Josué os tomou e os passou ao fio da espada em virtude do anátema, como havia ordenado Moisés, servo de Iahweh. 13Todavia, todas as cidades que estavam erigidas sobre suas colinas de ruínas, Israel não as incendiou, salvo Hasor que Josué incendiou. 14E todos os despojos dessas cidades, inclusive o gado, os filhos de Israel os tomaram como presa de guerra. Todos os seres humanos, porém, passaram-nos ao fio da espada, até exterminá-los. Não deixaram nelas nenhum sobrevivente.

A ordem de Moisés executada por Josué15Como Iahweh ordenara a seu servo Moisés, assim ordenou Moisés a Josué, e Josué o executou sem omitir uma só palavra daquilo que Iahweh ordenara a Moisés. 16Assim Josué conquistou toda esta terra: a montanha, todo o Negueb e toda a terra de Gósen, as terras da planície, a Arabá, a montanha de Israel e sua planície. 17Desde o monte Escarpado que sobe em direção de Seir, até Baal-Gad, no vale do Líbano, ao pé do monte Hermon, capturou todos os seus reis e os matou. 18Durante longo tempo, Josué fez guerra contra todos esses reis; 19nenhuma cidade fez a paz com os filhos de Israel, salvo os heveus que habitavam em Gabaon: foi por meio da guerra que tomaram todas as outras. 20Iahweh havia, pois, decidido endurecer o coração desses povos para que combatessem Israel, para que fossem anátemas, e para que não houvesse para eles remissão, mas fossem extirpados, como Iahweh ordenara a Moisés.

Extermínio dos enacim21Naquele tempo, veio Josué e exterminou os enacim da montanha, de Hebron, de Dabir, de Anab, de todas as montanhas de Judá e de todas as montanhas de Israel: votou-os, com as suas cidades, ao anátema. 22Assim, pois, não restou nenhum dos enacim na terra dos filhos de Israel, salvo em Gaza, em Gat e em Azoto. 23Josué tomou toda a terra, exatamente como Iahweh havia dito a Moisés, e a deu por herança a Israel, segundo a sua divisão em tribos. E a terra descansou da guerra.

9 RECAPITULAÇÃO

12 Reis vencidos a leste do Jordão 1Estes são os reis da terra, aos quais os filhos de Israel feriram e cujo território tomaram, além do Jordão, ao oriente, desde o ribeiro Arnon até ao monte Hermon, com toda a Arabá ao oriente: 2Seon, rei dos amorreus, que habitava em Hesebon, dominava desde Aroer, na margem do vale do Arnon, compreendendo o fundo do vale, a metade de Galaad e até o Jaboc, o ribeiro que é a fronteira dos filhos de Amon; 3a Arabá até ao mar de Quineret ao oriente, e até ao mar da Arabá, o mar Salgado, ao oriente, em direção de Bet-Jesimot, e ao sul os contrafortes das encostas do Fasga. 4Og, rei de Basã, um dos últimos rafaim, que habitava em Astarot e em Edrai, 5dominava o monte Hermon e Saleca, todo o Basã até à fronteira dos gessuritas e dos maacatitas, e a metade de Galaad, até às fronteiras de Seon, rei de Hesebon. 6Moisés, servo de Iahweh, e os filhos de Israel derrotaram-nos, e Moisés, servo de Iahweh, deu a posse de sua terra aos rubenitas, aos gaditas e à meia tribo de Manassés.

Reis vencidos a oeste do Jordão7Estes sãos os reis da terra que Josué e os filhos de Israel venceram, além do Jordão, ao ocidente, desde Baal-Gad, no vale do Líbano, até o monte Escarpado, que se eleva em direção a Seir, e cujas terras Josué distribuiu por herança às tribos de Israel, segundo as suas divisões: 8na montanha e nas planícies, na Arabá e nas encostas, no deserto e no Negueb, entre os heteus, os amorreus, os cananeus os ferezeus, os heveus e os jebuseus: 9O rei de Jericó, um; o rei de Hai perto de Betel, um; 10o rei de Jerusalém, um; o rei de Hebron, um; 11o rei de Jarmut, um; o rei de Laquis, um; 12o rei de Eglon, um; o rei de Gazer um; 13o rei de Dabir, um; o rei de Gader, um; 14o rei de Horma, um; o rei de Arad, um; 15o rei de Lebna, um; o rei de Odolam, um; 16o rei de Maceda, um; o rei de Betel, um; 17o rei de Tafua, um; o rei de Ofer, um; 18o rei de Afec, um; o rei de Saron, um; 19o rei de Merom, um; o rei de Hasor, um; 20o rei de Semeron Meron, um; o rei de Acsaf, um; 21o rei de Tanac, um; o rei de Meguido, um; 22o rei de Cedes, um; o rei de Jecnaam no Carmelo, um; 23o rei de Dor, nas encostas de Dor, um; o rei das nações na Galiléia, um; 24o rei de Tersa, um; ao todo trinta e um reis.

II. Partilha das terras entre as tribos

13 Terras ainda não conquistadas 1Ora, Josué se tornou idoso e de idade avançada. Iahweh lhe disse: “Eis que estás velho, em idade avançada, e ainda resta muita terra para conquistar. 2Esta é a terra que ainda resta: Todas as províncias dos filisteus e toda a terra dos gessuritas; 3desde o Sior que está defronte do Egito até à fronteira de Acaron ao norte, é considerada como cananéia. Os cinco príncipes dos filisteus são: o de Gaza, o de Azoto, o de Ascalon, o de Gat e o de Acaron; os aveus 4estão ao sul Toda a terra dos cananeus e Maara, que é dos sidônios, até Afeca e até à fronteira dos amorreus; 5a terra do jiblita com todo o Líbano ao oriente, desde Baal-Gad, ao pé do monte Hermon, até à Entrada de Emat. 6Todos os habitantes da montanha desde o Líbano até Maserefot ao ocidente, todos os sidônios, eu mesmo expulsarei diante dos filhos de Israel. Tu somente tens que distribuir a terra por herança aos filhos de Israel, conforme te ordenei. 7Agora, pois, divide a terra por herança entre as nove tribos e a meia tribo de Manassés: desde o Jordão até ao Grande Mar ao ocidente, tu lhes darás; o Grande Mar será o seu limite.”

1. DESCRIÇÃO DAS TRIBOS TRANSJORDÂNICAS

Esboço de conjunto 8Quanto à outra meia tribo de Manassés, juntamente com os rubenitas e os gaditas, havia já recebido sua herança, aquilo que Moisés lhes havia dado, além do Jordão, ao oriente, conforme Moisés, servo de Iahweh, lhes havia então dado: 9a partir de Aroer que está na margem do vale do Arnon, com a cidade que está no fundo do vale e todo o planalto desde Medaba até Dibon; 10todas as cidades de Seon, rei dos amorreus, que havia reinado em Hesebon, até à fronteira dos filhos de Amon. 11E Galaad e o território dos gessuritas e dos maacatitas, com toda a montanha do Hermon e todo o Basã, até Saleca; 12e no Basã, todo o reino de Og que havia reinado em Astarot e em Edrai, e foi o último sobrevivente dos rafaim. Moisés venceu e expulsou esses dois reis. 13Os filhos de Israel, porém, não expulsaram os gessuritas nem os maacatitas, e Gessur e Maaca estão ainda hoje no meio de Israel. 14 A tribo de Levi foi a única a que não se deu herança: Iahweh, Deus de Israel, foi a sua herança, conforme ele mesmo lhe havia dito.

A tribo de Rúben15Moisés deu à tribo dos filhos de Rúben uma parte segundo as suas famílias. 16Portanto tiveram por território desde Aroer que está na margem do vale do Arnon, com a cidade que está no fundo do vale, todo o planalto até Medaba, 17Hesebon com todas as cidades que estão no planalto; Dibon, Bamot-Baal, Bet-Baal-Meon, 18Jasa, Cedimot, Mefaat, 19Cariataim, Sábama e, na montanha da Arabá, Sarat-Asaar; 20Bet-Fegor, as encostas do Fasga, Bet-Jesimot, 21todas as cidades do planalto e todo o reino de Seon, rei dos amorreus, que reinou em Hesebon; foi derrotado por Moisés, bem como os príncipes de Madiã, Evi, Recém, Sur, Hur e Rebe, vassalos de Seon, que habitavam a terra. 22Quanto a Balaão, filho de Beor, o adivinho, os filhos de Israel o passaram ao fio da espada juntamente com aqueles que haviam matado. 23Assim, a fronteira dos filhos de Rúben foi o Jordão e seu território. Essa foi a herança dos filhos de Rúben segundo suas famílias, com as cidades e suas aldeias.

A tribo de Gad24Moisés deu à tribo de Gad, aos filhos de Gad, uma parte segundo suas famílias. 25Tiveram por território Jazer, todas as cidades de Galaad, a metade do país dos amonitas até Aroer que está em frente de Rabá, 26e desde Hesebon até Ramot-Masfa e Betonim; a partir de Maanaim até o território de Lo-Dabar, 27e no vale: Bet-Aram, Bet-Nemra, Sucot, Safon — a parte restante do reino de Seon, rei de Hesebon —, o Jordão e o território que vai até à extremidade do mar de Quineret, além do Jordão, ao oriente. 28Essa foi a herança dos filhos de Gad, segundo suas famílias, com suas cidades e suas aldeias.

A meia tribo de Manassés29Moisés deu à meia tribo de Manassés uma parte segundo suas famílias. 30Tiveram por território, a partir de Maanaim, todo o Basã, todo o reino de Og, rei de Basã, todas as aldeias de Jair em Basã, sessenta cidades. 31A metade de Galaad, assim como Astarot e Edrai, cidades reais de Og em Basã, foram dadas aos filhos de Maquir, filho de Manassés, a saber, à metade dos filhos de Maquir segundo suas famílias. 32Essas são as heranças que Moisés deu nas planícies de Moab, além do Jordão, diante de Jericó ao oriente. 33À tribo de Levi, contudo, Moisés não deu herança: Iahweh, o Deus de Israel, é a sua herança, como lhe havia dito.

2. DESCRIÇÃO DAS TRÊS GRANDES TRIBOS A OESTE DO JORDÃO

14 Introdução 1Estas são as heranças que os filhos de Israel receberam na terra de Canaã, que lhes deram por herança o sacerdote Eleazar e Josué, filho de Nun, com os chefes de família das tribos dos filhos de Israel. 2Foi por sorte que receberam sua herança, conforme Iahweh havia ordenado por intermédio de Moisés, para as nove tribos e meia. 3Moisés já lhes havia dado herança, às duas tribos e meia, do outro lado do Jordão; mas aos levitas não havia dado herança entre eles. 4Os filhos de José, porém, formavam duas tribos, Manassés e Efraim, e não se deu na terra parte alguma aos levitas, senão cidades para nelas habitarem, com as pastagens para seu gado e a sua manutenção. 5Os filhos de Israel fizeram conforme Iahweh havia ordenado a Moisés, e dividiram a terra.

A parte de Caleb6Os filhos de Judá vieram ter com Josué em Guilgal, e Caleb, filho de Jefoné, o cenezeu, lhe disse: “Bem sabes o que Iahweh disse a Moisés, homem de Deus, a meu e a teu respeito, em Cades Barne. 7Eu tinha quarenta anos quando Moisés, servo de Iahweh, me enviou de Cades Barne para espionar esta terra, e eu lhe fiz um relato sincero. 8Mas os irmãos que haviam subido comigo desencorajaram o povo, ao passo que eu obedeci perfeitamente a Iahweh meu Deus. 9Naquele dia, Moisés fez este juramento: ‘Certamente, a terra em que pisou o teu pé te pertencerá por herança, a ti e aos teus descendentes para sempre, porque obedecestes perfeitamente a Iahweh meu Deus.’ 10Desde então, Iahweh me guardou com vida segundo sua promessa. Faz quarenta e cinco anos que Iahweh fez essa declaração a Moisés, quando Israel andava pelo deserto, e eis que agora estou com oitenta e cinco anos. 11Estou tão robusto hoje como no dia em que Moisés me confiou essa missão, minha força de hoje é como a minha força de então, para combater e para ir e vir. 12Agora, pois, que se me dê esta montanha de que me falou Iahweh naquele dia. Ouviste, naquele dia, que lá estavam os enacim e grandes cidades fortificadas; porém se Iahweh está comigo eu os expulsarei como disse Iahweh.” 13Josué abençoou Caleb, filho de Jefoné, e lhe deu Hebron por herança. 14Assim Hebron permaneceu até hoje como herança de Caleb, filho de Jefoné, o cenezeu, porque seguiu sem desfalecimento Iahweh Deus de Israel. 15Outrora, o nome de Hebron era Cariat-Arbe. Arbe era o maior homem entre os enacim. E a terra descansou da guerra.

15 A tribo de Judá1A sorte da tribo dos filhos de Judá, segundo suas famílias, caiu em direção à fronteira de Edom, desde o deserto de Sin, em direção ao sul, até Cades ao sul. 2Sua fronteira meridional partia da extremidade do mar Salgado, desde a baía que olha para o sul, 3e se dirigia para o sul da subida dos Escorpiões, atravessava Sin e subia ao sul de Cades Barne; passando por Hesron, subia a Adar e voltava em direção a Carca; 4depois a fronteira passava por Asemona e desembocava na torrente do Egito, para terminar no mar. Essa será vossa fronteira meridional. 5Ao oriente, a fronteira era o mar Salgado até a foz do Jordão. A fronteira do lado norte partia da baía, à foz do Jordão. 6A fronteira subia a Bet-Hogla, passava ao norte de Bet-Arabá e subia à Pedra de Boen, filho de Rúben. 7Depois a fronteira subia a Dabir, desde o vale de Acor, e voltava ao norte, em direção ao círculo de pedras que está diante da subida de Adomim, que está ao sul da Torrente. A fronteira passava pelas águas de En-Sames e ia terminar em En-Roguel. 8Daqui ela subia o vale de Ben-Enom que vem do sul, na encosta do jebuseu — que é Jerusalém —; subia ao cume da montanha que fecha o vale de Enom do lado oeste, na extremidade setentrional da planície dos rafaim. 9Do cume da montanha, a fronteira se dobrava em direção à fonte das águas de Neftoa e se dirigia às cidades do monte Efron, para voltar-se em direção a Baala — que é Cariat-Iarim. 10De Baala, a fronteira dava volta ao ocidente, em direção à montanha de Seir, e passando a encosta do monte Jearim em direção ao norte — que é Queslon — descia a Bet-Sames, atravessava Tamna, 11chegava à encosta de Acaron em direção ao norte, voltava em direção de Secron e passava pela montanha de Baala, para chegar a Jebneel. O mar era o terreno da fronteira. 12A fronteira ocidental era formada pelo Grande Mar. Essa fronteira era, nos seus limites, a dos filhos de Judá segundo seus clãs.

Os calebitas ocupam o território de Hebrom13A Caleb, filho de Jefoné, foi dada uma parte no meio dos filhos de Judá, segundo a ordem de Iahweh a Josué: Cariat-Arbe, a cidade do pai de Enac — que é Hebron. 14Caleb expulsou dela os três filhos de Enac: Sesai, Aimã e Tolmai, descendentes de Enac. 15De lá marchou contra os habitantes de Dabir; Dabir se chamava então Cariat-Séfer. 16Disse então Caleb: “Aquele que derrotar Cariat-Séfer e a tomar, dar-lhe-ei por esposa minha filha Acsa.” 17Tomou-a Otoniel, filho de Cenez, irmão de Caleb, e este lhe deu sua filha Acsa por esposa. 18Quando ela chegou perto de seu marido, este lhe sugeriu que pedisse um campo a seu pai. Então ela saltou do jumento e Caleb lhe perguntou: “Que queres?” 19Ela respondeu: “Dá-me um presente. Visto que me destinaste a terra do Negueb, dá-me, pois, fontes de água.” E ele lhe deu as fontes superiores e as fontes inferiores. 20Essa foi a herança dos filhos de Judá, segundo seus clãs.

Nomenclatura das localidades de Judá21Cidades na extremidade da tribo dos filhos de Judá, em direção à fronteira de Edom, no Negueb: Cabseel, Arad, Jagur, 22Cina, Dimona, Aroer, 23Cades, Hasor-Jetnã, 24Zif, Telém, Balot, 25Hasor-Adata, Cariot-Hesron — que é Hasor —, 26Amam, Sama, Molada, 27Haser-Gada, Hasemon, Bet-Félet, 28Hasor-Sual, Bersabéia e seus arredores, 29Baala, Jim, Esem, 30Eltolad, Cesil, Horma, 31Siceleg, Madmana, Sensena, 32Lebaot, Selim, Ain e Remon: ao todo vinte e nove cidades com suas aldeias. 33Nas planícies: Estaol, Saraá, Asena, 34Zanoe, Aen-Ganim, Tafua, Enaim, 35Jarmut, Odolam, Soco, Azeca, 36Saraim, Adaitaim, Gedera e Gederotaim: quatorze cidades com suas aldeias. 37Sanã, Hadasa, Magdol-Gad, 38Deleã, Masfa, Jecetel, 39Laquis, Bascat, Eglon, 40Quebon, Leemas, Cetlis, 41Gederot, Bet-Dagon, Naama e Maceda: dezesseis cidades com suas aldeias. 42Lebna, Eter, Asã, 43Jefta-Esna, Nesib, 44Ceila, Aczib e Maresa: nove cidades com suas aldeias. 45Acaron com suas cidades dependentes e suas aldeias. 46De Acaron até ao mar, tudo o que se encontra do lado de Azoto com suas aldeias. 47Azoto com suas cidades dependentes e suas aldeias, Gaza com suas cidades dependentes e suas aldeias até à Torrente do Egito, sendo o Grande Mar a sua fronteira. 48Na montanha: Saamir, Jeter, Soco, 49Dana, Cariat-Séfer, hoje Dabir, 50Anab, Esterno, Anim, 51Gósen, Holon e Gilo: onze cidades com suas aldeias. 52Arab, Duma, Esaã, 53Janum, Bet-Tafua, Afeca, 54Hamata, Cariat-Arbe, hoje, Hebron, e Sior: nove cidades com suas aldeias. 55Maon, Carmel, Zif, Jota, 56Jezrael, Jucadam, Zanoe, 57Acain, Gabaá e Tamna: dez cidades com suas aldeias. 58Halul, Bet-Sur, Gedor, 59Maret, Bet-Anot e Eltecon: seis cidades com suas aldeias. Técua, Éfrata, hoje Belém, Fegor, Etam, Culon, Tatam, Sores, Carem, Galim, Beter e Manaat: onze cidades com suas aldeias. 60Cariat-Baal — que é Cariat-Iarim — e Areba: duas cidades com suas aldeias. 6‘No deserto: Bet-Arabá, Medin, Sacaca, 62Nebsã, a Cidade do Sal e Engadi: seis cidades com suas aldeias. 63Mas os jebuseus que habitavam em Jerusalém, os filhos de Judá não puderam expulsá-los; assim os jebuseus ainda hoje habitam em Jerusalém, ao lado dos filhos de Judá.

16 A tribo de Efraim1A parte dos filhos de José começava ao oriente do Jordão de Jericó — as águas de Jericó —, que é o deserto que sobe de Jericó para a montanha de Betel; 2em seguida, partia de Betel em direção a Luza e passava em direção da fronteira dos arquitas em Atarot; 3depois descia a oeste em direção à fronteira dos jeflatitas até à fronteira de Bet-Horon Inferior e até Gazer, de onde se dirigia para o mar. 4Essa foi a herança dos filhos de José, Manassés e Efraim. 5Quanto ao território dos filhos de Efraim segundo seus clãs a fronteira de sua herança era Atarot-Arac até Bet-Horon Superior, 6depois a fronteira se dirigia para o mar… o Macmetat ao norte, e a fronteira voltava ao oriente em direção a Tanat-Silo, que atravessava ao oriente em direção de Janoe; 7descia de Janoe a Atarot e a Naarata, tocava Jericó e atingia o Jordão. 8De Tafua, a fronteira ia em direção ao ocidente, à torrente de Caná, e se dirigia para o mar. Essa foi a herança da tribo dos filhos de Efraim, segundo suas famílias, 9além das cidades reservadas aos filhos de Efraim no meio da herança dos filhos de Manassés, todas aquelas cidades com as suas aldeias. 10Os cananeus que habitavam Gazer não foram expulsos e permaneceram no meio de Efraim até o dia de hoje, sujeitos a trabalhos forçados.

17A tribo de Manassés1A parte da tribo de Manassés — ele foi o primogênito de José — foi primeiramente para Maquir, primogênito de Manassés, pai de Galaad, porque era um guerreiro: teve o Galaad e o Basã. 2Depois dele, foi para os outros filhos de Manassés segundo seus clãs: aos filhos de Abiezer, aos filhos de Helec, aos filhos de Esriel, aos filhos de Sequem, aos filhos de Héfer e aos filhos de Semida: esses eram os filhos varões de Manassés, filho de José, conforme seus clãs. 3Salfaad, filho de Héfer, filho de Galaad, filho de Maquir, filho de Manassés, não tinha filhos, mas somente filhas, cujos nomes eram: Maala, Noa, Hegla, Melca e Tersa.4Elas apresentaram-se perante o sacerdote Eleazar, perante Josué filho de Nun, e perante os chefes e disseram: “Iahweh ordenou a Moisés que nos desse uma herança no meio dos nossos irmãos.” Foi-lhes dada então, segundo a ordem de Iahweh, uma herança entre os irmãos de seu pai. 5Assim, pois, couberam a Manassés dez partes além da terra de Galaad e do Basã situado além do Jordão, 6porque as filhas de Manassés obtiveram uma herança entre os filhos dele. Quanto à terra de Galaad, ficou pertencendo aos outros filhos de Manassés. 7A fronteira de Manassés foi, do lado de Aser, o Macmetat que está diante de Siquém, e de lá, à direita, em direção a Jasib que está na fonte de Tafua. 8Manassés possuiu a região de Tafua, porém Tafua, na fronteira de Manassés, era dos filhos de Efraim. 9A fronteira descia para a torrente de Caná; ao sul da torrente estavam as cidades de Efraim, além de outras que possuía Efraim no meio das cidades de Manassés; a fronteira de Manassés estava ao norte da torrente e os seus confins eram o mar. 10O sul pertencia a Efraim e o norte a Manassés, com o mar por limite; confinavam ao norte com Aser, e com Issacar a leste. 11Manassés possuía, com Issacar e com Aser, Betsã e as cidades que dela dependiam, Jeblaam e as cidades que dela dependiam, os habitantes de Dor e das cidades que dela dependiam, os habitantes de Tanac e de Meguido e das cidades que delas dependiam: as três do Outeiro. 12Mas como os filhos de Manassés não puderam tomar posse destas cidades, os cananeus continuaram a habitar na terra. 13Contudo, quando os filhos de Israel se tornaram mais fortes, submeteram os cananeus a trabalho forçado, mas não os expulsaram de todo.

Reclamação dos filhos de José14Os filhos de José se dirigiram a Josué nestes termos: “Por que me deste por herança apenas uma parte, uma só porção, embora seja eu um povo numeroso, tanto me tem abençoado Iahweh?” 15Disse-lhes Josué: “Se tu és um povo numeroso, sobe à flores ta e desmata à vontade a floresta da região dos ferezeus e dos rafaim, visto que a montanha de Efraim é muito estreita para ti.” 16Os filhos de José disseram: “A montanha não nos é suficiente e, além disso, todos os cananeus que habitam a terra da planície têm carros de ferro, bem como os de Betsã e das cidades que dela dependem, como os da planície de Jezrael.” 17Josué disse então à casa de José, de Efraim e de Manassés: “Tu és um povo numeroso e grande é a tua força; tu não terás uma parte apenas, 18mas terás uma montanha; é verdade que é uma floresta, porém tu a desmaiarás e os seus limites te pertencerão. Além disso, expulsarás os cananeus, não obstante possuam carros de ferro e sejam fortes.”

3. DESCRIÇÃO DAS OUTRAS SETE TRIBOS

18 Operação cadastral para as sete tribos1Toda a comunidade dos filhos de Israel se reuniu em Silo, onde se armou a Tenda da Reunião; a terra toda estava submissa diante deles. 2Contudo, restavam entre os filhos de Israel sete tribos que ainda não haviam recebido a sua herança. 3Disse então Josué aos filhos de Israel: “Até quando negligenciareis tomar posse da terra que vos deu Iahweh, Deus de vossos pais? 4Escolhei três homens por tribo, para que eu os envie; irão percorrer a terra e farão uma descrição dela com vistas à herança, após o que voltarão a mim. 5Repartirão a terra em sete partes. Judá permanecerá no seu território ao sul, e os da casa de José permanecerão no seu território ao norte. 6Fareis, portanto, uma descrição da terra em sete partes e ma trareis aqui, para que eu possa lançar sortes por vós, aqui, diante de Iahweh nosso Deus. 7Os levitas, porém, não terão parte alguma no meio de vós: o sacerdócio de Iahweh será sua herança. Quanto a Gad, a Rúben e à meia tribo de Manassés, já receberam a sua herança além do Jordão, ao oriente, aquilo que lhes deu Moisés, servo de Iahweh.” 8Assim esses homens se dispuseram e se foram. Àqueles que iam fazer a descrição da terra Josué deu esta ordem: “Ide, percorrei a terra e descrevei- a, depois voltai a mim e lançarei a sorte por vós, aqui, diante de Iahweh, em Silo.” 9Partiram, pois, esses homens, percorreram a terra e a descreveram pelas cidades, em sete partes, em um livro, e depois voltaram a Josué, no acampamento em Silo. 10Josué lançou sorte por eles, em Silo, diante de Iahweh, e foi ali que Josué repartiu a terra entre os filhos de Israel, segundo as suas partes.

A tribo de Benjamim11Saiu a sorte em primeiro lugar para a tribo dos filhos de Benjamim, segundo seus clãs: o território da sua sorte estava situado entre os filhos de Judá e os filhos de José. 12A sua fronteira do lado norte partia do Jordão, subia pela encosta de Jerico, ao norte, subia a montanha em direção ao ocidente e ia terminar no deserto de Bet-Áven. 13Dali, a fronteira passava em Luza, na encosta de Luza ao sul, hoje Betel; descia a Atarot-Adar na montanha que está ao sul de Bet-Horon-Inferior. 14A fronteira se desviava e voltava, frente ao oeste, em direção ao sul, desde a montanha que está na frente de Bet-Horon ao sul, para ir terminar em direção a Cariat-Baal, hoje Cariat-Iarim, cidade dos filhos de Judá. Esse era o lado ocidental. 15Eis agora o lado sul: desde a extremidade de Cariat-Iarim, a fronteira ia em direção de Gasim e chegava perto da fonte das águas de Neftoa, 16depois descia a extremidade da montanha que está defronte do vale de Ben-Enom, na planície dos rafaim, ao norte descia ao vale de Enoin, em direção à encosta do jebuseu ao sul, e descia a En-Roguel. 17Em seguida, dobrava-se ao norte para chegar a En-Sames, e alcançava o círculo de pedras que está diante da subida de Adomim, então descia à Pedra de Boen, filho de Rúben. 18Passava a seguir em Quetef, na encosta de Bet-Arabá em direção ao norte, e descia em direção à Arabá; 19depois da fronteira passava na encosta de Bet-Hegla ao norte, e o ponto terminal a fronteira era a baía do mar do Sal, ao norte, na extremidade meridional do Jordão. Essa era a fronteira sul. 20O Jordão formava a fronteira do lado do oriente. Essa foi a herança dos filhos de Benjamim segundo o contorno de sua fronteira, e de acordo com seus clãs.

Cidades de Benjamim21 As cidades da tribo dos filhos de Benjamim, segundo seus clãs, eram Jericó, Bet-Hegla, Amec-Casis, 22Bet-Arabá, Samaraim, Betel, 23Avim Fara, Efra, 24Cafar-Emona, Ofni, Gaba: doze cidades e suas aldeias. 25Gabaon, Ramá, Berot, 26Masfa, Cafira, Mosa, 27Recém, Jarafel, Tarala, 28Sela-Elef, o jebuseu — que é Jerusalém — Gabaá e Cariat: quatorze cidades com suas aldeias. Essa foi a herança dos filhos de Benjamim segundo seus clãs.

19 A tribo de Simeão1A segunda sorte saiu para Simeão, para a  tribo dos filhos de Simeão, segundo seus clãs: a sua herança foi no meio da herança dos filhos de Judá. 2Receberam por herança, Bersabéia, Saba, Molada, 3Haser-Sual, Bela, Asem, 4Eltolad, Betul, Horma, 5Siceleg, Bet-Marcabot, Haser-Susa, 6Bet-Lebaot e Saroen: treze cidades e suas  aldeias; 7Ain, Remon, Atar, Asã: quatro cidades e suas aldeias, 8com to das as aldeias situadas ao redor dessas cidades até Baalat-Beer e Ramá do Negueb. Essa foi a herança da tribo dos filhos de Simeão segundo suas famílias. 9A herança dos filhos de Simeão foi tomada da sorte dos filhos de Judá, porque a parte dos filhos de Judá era muito grande para eles; os filhos de Simeão receberam, portanto, sua herança no meio da herança dos filhos de Judá.

A tribo de Zabulon10A terceira sorte coube aos filhos de Zabulon, segundo seus clãs: o território de sua herança se estendia até Sadud; 11sua fronteira subia ao ocidente em direção a Merala, tocava Debaset e chegava à torrente que está diante de Jecnaam. 12A fronteira voltava de Sadud em direção ao oriente, onde nasce o sol, até à fronteira de Ceselet-Tabor, avançava em direção a Daberet e subia a Jáfia. 13Dali passava em direção ao oriente, no levante, em direção a Gat-Héfer e Etacasim, chegava a Remon e voltava em direção a Noa. 14A fronteira norte se voltava em direção de Hanaton, e seu ponto terminal era no vale de Jectael; 15com Catet, Naalol, Semeron, Jerala e Belém: doze cidades com suas aldeias. 16Essa foi a herança dos filhos de Zabulon, segundo seus clãs: essas cidades com suas aldeias.

A tribo de Issacar17A quarta sorte saiu para Issacar, para os filhos de Issacar, segundo seus clãs. 18O seu território estendia-se em direção de Jezrael e compreendia Casalot, Suném, 19Hafaraim, Seon, Anaarat, 20Daberat, Cesion, Abes, 21Ramet, En-Ganim, En-Hada e Bet-Fases. 22A fronteira tocava o Tabor, Seesima e Bet-Sames, e o ponto terminal da fronteira era o Jordão: dezesseis cidades com suas aldeias. 23Essa foi a herança dos filhos de Issacar, segundo seus clãs: as cidades e suas aldeias.

A tribo de Aser24A quinta sorte saiu para a tribo dos filhos de Aser, segundo seus clãs. 25O seu território compreendia: Halcat, Cali, Beten, Acsaf, 26Elmelec, Amaad e Messal; tocava o Carmelo a oeste e a corrente do Labanat. 27Do lado do nascer do sol, ia até Bet-Dagon, tocava Zabulon, o vale de Jeftael ao norte, Bet-Emec e Neiel, chegando a Cabul à esquerda, 28com Abdon, Roob, Hamon e Caná até Sidônia-a-Grande. Depois a fronteira ia em direção a Ramá e até à cidade da fortaleza de Tiro; 29a fronteira ia em seguida a Hosa e seu ponto terminal era, no mar, Maaleb e Aczib, 30com Aco, Afec e Roob: vinte e duas cidades com suas aldeias. 31Essa foi a herança da tribo dos filhos de Aser, segundo seus clãs: essas cidades e suas aldeias.

A tribo de Neftali32Para os filhos de Neftali saiu a sexta sorte, para os filhos de Neftali segundo seus clãs. 33A sua fronteira ia de Helef e do Carvalho de Saananim, com Adami-Neceb e Jebnael, até Lecum, e o seu ponto terminal era o Jordão. 34Ao ocidente a fronteira passava em Aznot-Tabaor, chegava a Hucoca e tocava Zabulon ao sul, Aser a oeste e o Jordão a leste. 35As cidades fortificadas eram: Assedim, Ser, Emat, Recat, Quineret, 36Edema, Rama, Hasor, 37Cedes, Edrai, En-Hasor, 38Jeron, Magdalel, Horém, Bet-Anat, e Bet-Sames: dezenove cidades e suas aldeias. 39Essa foi a herança dos filhos de Neftali segundo seus clãs: as cidades e suas aldeias.

A tribo de Dã40A sétima sorte saiu para a tribo dos filhos de Dã, segundo seus clãs. 41O território de sua herança compreendia: Saraá, Estaol, Ir-Sames, 42Salebim, Aialon, Silata, 43Elon, Tamna, Acaron, 44Eltece, Gebeton, Baalat, 45Azor, Benê-Barac e Gat-Remon; 46e, em direção ao mar, Jarcon com o território que está diante de Jope. 47Perdeu-se, contudo, o território dos filhos de Dã, e assim os filhos de Dã subiram para combater Lesem, que capturaram e passaram ao fio da espada. Tomando posse dela, aí se estabeleceram e deram a Lesem o nome de Dã, do nome de seu antepassado Dã. 48Essa foi a herança da tribo dos filhos de Dã, segundo seus clãs: essas cidades e suas aldeias. 49Havendo terminado a repartição da terra segundo as suas fronteiras, os filhos de Israel deram a Josué, filho de Nun, uma herança no meio deles; 50segundo a ordem de Iahweh, deram-lhe a cidade que ele pedira, Tamnat-Saraá, na montanha de Efraim; ele reconstruiu a cidade e nela se estabeleceu. 51Essas são as partes da herança que o sacerdote Eleazar, Josué, filho de Nun, e os chefes de família repartiram por sorte entre as tribos dos filhos de Israel em Silo, na presença de Iahweh, à entrada da Tenda da Reunião. Assim concluiu-se a partilha da terra.

4. CIDADES PRIVILEGIADAS

20 As cidades de refúgio1Iahweh disse a Josué: 2“Fala aos filhos de Israel e dize-lhes: Designai as cidades de refúgio de que vos falei por intermédio de Moisés, 3onde poderá refugiar-se o homicida que matar alguém por inadvertência (involuntariamente), e que vos servirão de refúgio contra o vingador do sangue. 4(É, portanto, para uma destas cidades que o homicida deverá fugir. Ele se deterá à entrada da porta da cidade e exporá o seu caso aos anciãos da cidade. Estes o receberão na sua cidade e lhe designarão um lugar onde habitará entre eles. 5Se o vingador do sangue o perseguir, não entregarão o homicida nas suas mãos, pois feriu o seu próximo involuntariamente, e não tinha antes ódio contra ele. 6Deverá permanecer nessa cidade) até que compareça em juízo diante da comunidade (até à morte do sumo sacerdote em exercício nesse tempo. Somente então poderá o homicida voltar à sua cidade e à sua casa, na cidade de onde fugiu.)” 7Consagraram, pois, Cedes na Galiléia, na montanha de Neftali, Siquém na montanha de Efraim e Cariat-Arbe — que é Hebron — na montanha de Judá. 8Do outro lado do Jordão de Jericó, ao oriente, designaram no deserto, no planalto, Bosor da tribo de Rúben, Ramot em Galaad, da tribo de Gad, e Golã em Basã, da tribo de Manassés. 9Essas foram as cidades designadas para todos os filhos de Israel e para os estrangeiros que habitam entre eles, para que nelas possa refugiar-se todo aquele que haja matado alguém por inadvertência, e assim escape das mãos do vingador do sangue, até que compareça diante da comunidade.

21 As cidades dos levitas1Então os chefes de família dos levitas vieram ter com o sacerdote Eleazar, com Josué, filho de Nun, e com os chefes de família das tribos dos filhos de Israel, 2quando ainda se achava em Silo, na terra de Canaã, e disseram-lhes: “Iahweh, por intermédio de Moisés, ordenou que se nos dessem cidades para nelas habitarmos e as suas pastagens para os nossos rebanhos.” 3Os filhos de Israel deram, então, aos levitas, de sua herança, segundo a ordem de Iahweh, as seguintes cidades com suas pastagens. 4Saiu a sorte para os clãs dos caatitas: os filhos do sacerdote Aarão, dentre os levitas, tiveram por sorte treze cidades das tribos de Judá, de Simeão e de Benjamim; 5os outros filhos de Caat, segundo seus clãs, tiveram por sorte dez cidades das tribos de Efraim, de Dã e da meia tribo de Manassés. 6Aos filhos de Gérson, segundo seus clãs, couberam por sorte treze cidades das tribos de Issacar, de Aser, de Neftali e da meia tribo de Manassés em Basã. 7Os filhos de Merari, segundo seus clãs, tiveram por sorte doze cidades das tribos de Rúben, de Gad e de Zabulon. 8Os filhos de Israel deram, por sorteio, essas cidades com suas pastagens aos levitas, conforme Iahweh havia ordenado por intermédio de Moisés.

Parte dos caatitas9Deram da tribo dos filhos de Judá e da tribo dos filhos de Simeão as cidades que foram nominalmente designadas. 10Esta foi em primeiro lugar, a parte dos filhos de Aarão, que pertenciam ao clã dos caatitas, dos filhos de Levi, pois a primeira sorte foi para eles. 11Deram lhes Cariat-Arbe, a cidade do pai de Enac — que é Hebron —, na montanha de Judá, com as pastagens ao redor. 12As campinas dessa cidade, porém, deram-nas em propriedade a Caleb, filho de Jefoné. 13Aos filhos do sacerdote Aarão deram Hebron, cidade de refúgio para o homicida, com suas pastagens, bem como Lebna e suas pastagens, 14Jeter e suas pastagens, Esterno e suas pastagens, 15Holon e suas pastagens, Dabir e suas pastagens, 16Asã e suas pastagens, Jeta e suas pastagens, e Bet-Sames e suas pastagens; nove cidades tomadas dessas duas tribos. 17Da tribo de Benjamim, Gabaon e suas pastagens; Gaba e suas pastagens, 18Anatot e suas pastagens, e Aimon e suas pastagens: quatro cidades. 19Total das cidades dos sacerdotes filhos de Aarão: treze cidades e suas pastagens. 20Quanto aos clãs dos filhos de Caat, os levitas remanescentes entre os filhos de Caat, as cidades que lhes couberam por sorte foram tomadas da tribo de Efraim. 21Deram-lhes Siquém, cidade de refúgio para o homicida, com suas pastagens, na montanha de Efraim, bem como Gazer e suas pastagens, 22Cibsaim e suas pastagens, e Bet-Horon e suas pastagens: quatro cidades. 23Da tribo de Dã, Eltece e suas pastagens, Gebaton e suas pastagens, 24Aialon e suas pastagens, e Gat-Remon e suas pastagens: quatro cidades. 25Da meia tribo de Manassés, Tanac e suas pastagens, e Jibleam e suas pastagens: duas cidades. 26Total: dez cidades com suas pastagens para os clãs remanescentes dos filhos de Caat.

Parte dos filhos de Gérson27 Aos filhos de Gérson, dos clãs dos levitas, deu-se, da meia tribo de Manassés, Golã, em Basã, cidade de refúgio para o homicida, e Astarot, com suas pastagens: duas cidades. 28Da tribo de Issacar, Cesion e suas pastagens, Daberat e suas pastagens, 29Jarmut e suas pastagens, e En-Ganim e suas pastagens: quatro cidades. 30Da tribo de Aser, Masai e suas pastagens, Abdon e suas pastagens, 31Helcat e suas pastagens, e Roob e suas pastagens: quatro cidades. 32Da tribo de Neftali, Cedes na Galiléia, cidade de refúgio para o homicida, com suas pastagens, Hamot-Dor e suas pastagens, e Cartã e suas pastagens: três cidades. 33Total das cidades dos gersonitas, segundo seus clãs: treze cidades e suas pastagens.  Parte dos filhos de Merari34O clã dos filhos de Merari, os levitas restantes, receberam por sorte, da tribo de Zabulon, Jecnaam e suas pastagens, Carta e suas pastagens, 35Remon e suas pastagens, e Naalol e suas pastagens: quatro cidades. 36Do outro lado do Jordão de Jericó, da tribo de Rúben, Bosor no deserto, no planalto, cidade de refúgio para o homicida, com suas pastagens, Jasa e suas pastagens, 37Cedimot e suas pastagens, e Mefaat e suas pastagens: quatro cidades. 38Da tribo de Gad, Ramot em Galaad, cidade de refúgio para o homicida, com suas pastagens, Maanaim e suas pastagens, 39Hesebon e suas pastagens, e Jazer e suas pastagens: quatro cidades. 40Total das cidades atribuídas por sorte aos filhos de Merari segundo seus clãs da parte restante dos clãs levíticos: doze cidades. 41O número total das cidades dos levitas no meio da possessão dos filhos de Israel era de quarenta e oito cidades com suas pastagens. 42Essas cidades compreendiam a cidade e suas pastagens ao redor. Assim era para todas as cidades.

Conclusão da partilha43Assim, pois, deu Iahweh aos filhos de Israel toda a terra que havia jurado dar a seus pais. Tomaram posse dela e nela se estabeleceram. 44Iahweh deu-lhes tranqüilidade em todas as suas fronteiras, de acordo com tudo o que jurara a seus pais e, de todos os seus inimigos, nenhum resistiu diante deles. Todos os seus inimigos, Iahweh os entregou nas suas mãos. 45De todas as promessas que Iahweh fizera à casa de Israel, nenhuma falhou: tudo se cumpriu.

III. Fim da carreira de Josué

1. VOLTA DAS TRIBOS ORIENTAIS. A QUESTÃO DO SEU ALTAR

22 Retorno do contingente transjordânico 1Josué convocou os rubenitas, os gaditas e a meia tribo de Manassés 2e lhes disse: “Tendes observado tudo o que Moisés, servo de Iahweh, vos ordenou, e tendes me obedecido em tudo o que vos ordenei. 3Não abandonastes os vossos irmãos, durante este longo tempo, até o dia de hoje, cumprindo a observância do mandamento de Iahweh vosso Deus. 4Agora, pois, Iahweh vosso Deus concedeu aos vossos irmãos o repouso que lhes havia prometido. Voltai, pois, às vossas tendas, à terra da vossa possessão, que Moisés, servo de Iahweh, vos deu, além do Jordão. 5Tende cuidado, somente, de pôr em prática com diligência o mandamento e a Lei que Moisés, servo de Iahweh, vos estabeleceu: amar Iahweh vosso Deus, seguir sempre os seus caminhos, observar os seus mandamentos, apegando-vos a ele e servindo-o de todo vosso coração e de toda vossa alma.” 6Josué os abençoou e os despediu; e eles voltaram às suas tendas. 7Moisés havia dado a uma metade da tribo de Manassés um território em Basã; à segunda metade, Josué deu outra possessão no meio dos seus irmãos, na margem ocidental do Jordão. Quando os despediu de volta às suas tendas, Josué os abençoou 8e lhes disse: “Voltais às vossas tendas com grandes riquezas, muitos rebanhos, prata, ouro, bronze, ferro e grande quantidade de roupa; reparti, pois, com os vossos irmãos os despojos dos vossos inimigos.”

Ereção de um altar junto ao Jordão9Os filhos de Rúben e os filhos de Gad voltaram com a meia tribo de Manassés e deixaram os filhos de Israel em Silo, na terra de Canaã, para irem à terra de Galaad onde estavam estabelecidos, segundo a ordem de Iahweh, transmitida por Moisés. 10Assim que chegaram aos círculos de pedras do Jordão, que estão na terra de Canaã, os filhos de Rúben, os filhos de Gad e a meia tribo de Manassés construíram ali um altar nas margens do Jordão, um altar de grande proporção. 11Isso chegou ao conhecimento dos filhos de Israel. Dizia-se: Eis que os filhos de Rúben, os filhos de Gad e a meia tribo de Manassés construíram esse altar, do lado da terra de Canaã, junto aos círculos de pedras do Jordão, no lado dos filhos de Israel. 12Diante desta notícia, toda a comunidade dos filhos de Israel se reuniu em Silo, para marchar contra eles, a fim de fazer-lhes guerra.

Censuras dirigidas às tribos orientais13Enviaram, pois, os filhos de Israel aos filhos de Rúben, aos filhos de Gad e à meia tribo de Manassés, na terra de Galaad, o sacerdote Finéias, filho de Eleazar, 14e com ele dez chefes, um chefe por família para cada tribo de Israel, cada um deles sendo cabeça da sua família entre as famílias de Israel. 15Quando chegaram aos filhos de Rúben, aos filhos de Gad e à meia tribo de Manassés, na terra de Galaad, disseram-lhes: 16“Assim fala toda a comunidade de Iahweh: Que significa essa infidelidade que cometestes contra o Deus de Israel, voltando as costas hoje a Iahweh e erigindo-vos um altar, o que é hoje uma rebelião contra Iahweh? 17Por acaso não nos basta o crime de Fegor, do qual ainda não nos purificamos até o presente, a despeito da calamidade que caiu sobre toda a comunidade de Iahweh? 18Hoje voltais as costas a Iahweh e, visto que hoje vos revoltais contra Iahweh, amanhã sua ira se inflamará contra toda a comunidade de Israel. 19A terra onde estais estabelecidos é impura? Passai para a terra de Iahweh, onde está a sua Habitação, e estabelecei-vos entre nós. Mas não vos revolteis contra Iahweh e não nos façais participantes da vossa rebelião, construindo um altar diferente do altar de Iahweh nosso Deus. 20Quando Acã, filho de Zaré, foi infiel no caso do anátema, não atingiu a Ira toda a comunidade de Israel, embora fosse ele um só indivíduo? Não devia ele morrer por seu crime?”

Justificação das tribos do além-Jordão21Os filhos de Rúben, os filhos de Gad e a meia tribo de Manassés, tomando a palavra, responderam aos chefes das famílias de Israel: 22“O Deus dos deuses, Iahweh, o Deus dos deuses, Iahweh, bem o sabe, e Israel deve sabê-lo: se houve de nossa parte rebelião ou infidelidade para com Iahweh, que ele deixe de nos salvar neste dia, 23e se erigimos um altar para nos apartarmos de Iahweh e para nele oferecer holocausto e oblação, ou para nele fazer sacrifícios de comunhão, que Iahweh disso nos peça contas! 24Na verdade, foi por um certo receio que agimos dessa maneira: amanhã, os vossos filhos poderiam dizer aos nossos: ‘Que relação há entre vós e Iahweh, o Deus de Israel? 25Não pôs Iahweh entre nós e vós, filhos de Rúben e filhos de Gad, uma fronteira que é o rio Jordão? Vós não tendes parte alguma com Iahweh.’ Assim os vossos filhos seriam a causa de os nossos filhos deixarem de temer a Iahweh. 26Por isso dissemos: Erijamos este altar, que não se destina a holocaustos nem a outros sacrifícios, 27mas para servir de testemunho entre nós e vós e entre os nossos descendentes depois de nós, como um testemunho de que prestamos culto a Iahweh com os nossos holocaustos, nossas vítimas e nossos sacrifícios de comunhão, na sua presença. Portanto, os vossos filhos não poderão dizer amanhã aos nossos: ‘Vós não tendes parte alguma com Iahweh.’ 28Então pensamos: Se acontecer, contudo, que venham dizer isso a nós mesmos ou aos nossos filhos, amanhã, responderemos: ‘Vede o modelo do altar de Iahweh que os nossos pais fizeram, não para holocaustos ou quaisquer outros sacrifícios, mas como testemunho entre nós e vós.’ 29Longe de nós rebelarmo-nos contra Iahweh e deixarmos de segui- lo, erigindo um altar para holocaustos, oblações ou sacrifícios diferente do altar de Iahweh nosso Deus, levantado perante a sua Habitação.”

Restabelecimento do acordo30Quando o sacerdote Finéias, os chefes da comunidade e os chefes das famílias de Israel que o acompanhavam ouviram as palavras pronunciadas pelos filhos de Gad, de Rúben e de Manas sés, ficaram satisfeitos. 31Disse então o sacerdote Finéias, filho de Eleazar, aos filhos de Rúben, de Gad e de Manassés: “Sabemos hoje que Iahweh está em nosso meio, pois que não cometestes tal infidelidade contra Iahweh; assim, pois, preservastes os filhos de Israel do castigo de Iahweh.” 32O sacerdote Finéias, filho de Eleazar, e os chefes, tendo deixado os filhos de Rúben e os filhos de Gad, voltaram da terra de Galaad para a terra de Canaã, para junto dos filhos de Israel, aos quais relataram a resposta. 33O relato agradou aos filhos de Israel; os filhos de Israel renderam graças a Deus e não mais falaram em subir contra eles para lhes fazer guerra e devastar a terra habitada pelos filhos de Rúben e pelos filhos de Gad. 34Os filhos de Rúben e os filhos de Gad denominaram o altar…, “pois,” disseram, “será um testemunho entre nós de que Iahweh é Deus.”

2. ÚLTIMO DISCURSO DE JOSUÉ

23 Josué recapitula a sua obra1Decorrido longo tempo depois que Iahweh havia dado repouso a Israel, no meio de todos os inimigos que o rodeavam — Josué se tornara velho e avançado em idade —, 2Josué convocou todo Israel, seus anciãos, seus chefes, seus juízes e seus oficiais, e lhes disse: “Estou velho e avançado em idade; 3e vós vistes tudo o que Iahweh vosso Deus fez, por vossa causa, a todas estas nações; foi Iahweh vosso Deus que combateu por vós. 4Vede, eu distribuí por sorte para vós, como possessão para as vossas tribos, estas nações que ainda restam e todas as populações que exterminei desde o Jordão até ao Grande Mar ao ocidente. 5Iahweh vosso Deus, ele mesmo, as expulsará de diante de vós, eles as desalojará diante de vós, e vós tomareis posse da sua terra, como vos disse Iahweh vosso Deus.

Como se comportar no meio das populações estrangeiras6“Esforçai- vos, pois, muitíssimo, para guardar e cumprir tudo o que está escrito no livro da Lei de Moisés, sem vos desviardes nem à direita nem à esquerda, 7sem vos misturardes com estas populações que ainda restam no meio de vós. Não pronunciareis o nome dos seus deuses, não os invocareis nos vossos juramentos, não os servireis e não vos prosternareis diante deles. 8Ao contrário, vós vos apegareis a Iahweh vosso Deus, como o fizestes até o dia de hoje. 9Iahweh expulsou de diante de vós nações grandes e fortes, e ninguém pôde resistir diante de vós até o presente. 10Um só dentre vós pôde perseguir mil, pois Iahweh vosso Deus combatia, ele mesmo, por vós, como vos dissera. 11Tomai bastante cuidado com a vossa vida, para amardes Iahweh vosso Deus. 12Porém, se acontecer vos desviardes e vos ligardes ao restante destas nações que ficaram ainda no meio de vós, se contrairdes casamento com elas, e com elas vos misturardes e elas convosco, 13sabei, então, com certeza, que Iahweh vosso Deus deixará de expulsar de diante de vós estas nações: serão para vós rede e laço, espinho nas vossas ilhargas e cardo nos vossos olhos, até que desapareçais desta boa terra que vos deu Iahweh vosso Deus. 14Eis que hoje eu vou pelo caminho de toda a terra. Reconhecei de todo o vosso coração e de toda a vossa alma que, de todas as promessas que Iahweh, vosso Deus, fez em vosso favor, nenhuma ficou sem cumprimento: tudo se realizou em vosso favor e nenhuma delas falhou. 15Assim como toda promessa feita por Iahweh vosso Deus em vosso favor se realizou para vós, de igual modo Iahweh realizará contra vós todas as suas ameaças, até vos eliminar desta boa terra que Iahweh vosso Deus, vos deu. 16Se transgredirdes a Aliança que Iahweh vosso Deus vos impôs, e se servirdes a outros deuses e vos prostrardes diante deles, então a ira de Iahweh se inflamará contra vós e bem depressa desaparecereis da boa terra que ele vos deu.” amorreus que habitavam além do Jordão. Eles vos fizeram guerra e eu os entreguei nas vossas mãos e assim tomastes posse da sua terra, pois os destruí diante de vós. 9Levantou-se então Balac, filho de Sefor, rei de Moab, para fazer guerra a Israel, e mandou chamar Balaão, filho de Beor, para vos amaldiçoar. 10Eu, porém, não quis ouvir Balaão; ele teve de vos abençoar e eu vos salvei da sua mão. 11Em seguida, passastes o Jordão para chegar a Jericó, mas os habitantes de Jericó vos fizeram guerra, os amorreus, os ferezeus, os cananeus, os heteus, os gergeseus, os heveus e os jebuseus, e eu os entreguei nas vossas mãos. 12Enviei vespas diante de vós, que expulsaram da vossa presença os dois reis amorreus, o que não deves nem à tua espada, nem ao teu arco. 13Dei-vos uma terra que não exigiu de vós nenhum trabalho, cidades que não construístes e nas quais habitais, vinhas e olivais que não plantastes e dos quais comeis.

Israel escolhe Iahweh14“Agora, pois, temei a Iahweh e servi-o com integridade e com sinceridade; lançai fora os deuses aos quais serviram os vossos pais do outro lado do Rio e no Egito, e servi a Iahweh. 15Porém, se não vos parece bem servir a Iahweh, escolhei hoje a quem quereis servir: se aos deuses aos quais serviram vossos pais do outro lado do Rio, ou aos deuses dos amorreus em cuja terra agora habitais. Quanto a mim e à minha casa, serviremos a Iahweh.” 16Então o povo respondeu: “Longe de nós abandonarmos Iahweh para servirmos a outros deuses! 17Iahweh nosso Deus é aquele que nos fez subir, a nós e a nossos pais, da terra do Egito, da casa da escravidão, que fez estes grandes sinais diante dos nossos olhos e nos guardou por todo o caminho que percorremos e por entre todos os povos através dos quais passamos. 18E Iahweh expulsou de diante de nós todos os povos, bem como os amorreus que habitavam a terra. Portanto, nós também serviremos a Iahweh, pois ele é nosso Deus.” 19Disse então Josué ao povo: “Não podeis servir a Iahweh, pois ele é um Deus santo, um Deus ciumento, que não suportará as vossas transgressões, nem os vossos pecados. 20Se abandonardes Iahweh para servirdes a deuses estrangeiros, ele novamente vos fará mal e vos consumirá depois de vos haver feito o bem.” 21O povo, porém, respondeu a Josué: “Não! É a Iahweh que serviremos.” 22Disse então Josué ao povo: “Sois testemunhas contra vós mesmos de que escolhestes a Iahweh, para o servir.” Responderam então: “Somos testemunhas.” 23“Lançai fora, pois, os deuses estrangeiros que estão no meio de vós e inclinai o vosso coração para Iahweh, Deus de Israel.” 24O povo disse a Josué: “A Iahweh nosso Deus serviremos e à sua voz obedeceremos.”

A aliança de Siquém 25Naquele dia, Josué fez uma aliança pelo povo; fixou-lhe um estatuto e um direito em Siquém. 26Josué escreveu essas palavras no livro da Lei de Deus. Tomou em seguida uma grande pedra e a erigiu ali, debaixo do carvalho que está no santuário de Iahweh. 27Josué disse, então, a todo o povo: “Eis que esta pedra será um testemunho contra nós, porque ela ouviu todas as palavras que Iahweh nos dirigiu; será um testemunho contra vós, para vos impedir de renegardes vosso Deus.” 28Em seguida Josué despediu o povo, e cada um voltou à sua herança.

4. APÊNDICES

Morte de Josué29Depois desses acontecimentos, morreu Josué, filho de Nun, servo de Iahweh, com a idade de cento e dez anos. 30Sepultaram-no no território que recebeu por herança, em Tamnat-Sare, que está situado na montanha de Efraim, ao norte do monte Gaás.31Israel serviu a Iahweh durante toda a vida de Josué e durante toda a vida dos anciãos que sobreviveram a Josué e que haviam conhecido todos os feitos que Iahweh havia realizado em favor de Israel.

Os ossos de José. Morte de Eleazar32Os ossos de José, que os filhos de Israel trouxeram do Egito, foram sepultados em Siquém, na parte do campo que Jacó havia comprado dos filhos de Hemor, pai de Siquém, por cem peças de prata e que veio a ser propriedade dos filhos de José. 33Morreu depois Eleazar, filho de Aarão, e sepultaram-no em Gabaá, cidade de seu filho Finéias, que lhe foi dada na montanha de Efraim.

DEUTERONÔMIO
JUIZES
Ajude a Melhorar Ainda Mais o site, Avalie: