JONAS

12

JONAS

1 Jonas rebelde à sua missão1A palavra de Iahweh foi dirigida a Jonas, filho de Amati: 2“Levanta-te, vai a Nínive, a grande cidade, e anuncia contra ela que a sua maldade chegou até mim”. 3E Jonas levantou-se para fugir para Társis, para longe da face de Iahweh. Ele desceu a Jope e encontrou um navio que ia para Társis, pagou a passagem e embarcou para ir com eles para Társis, para longe da face de Iahweh. 4Mas Iahweh lançou sobre o mar um vento violento, e houve no mar uma grande tempestade, e o navio estava a ponto de naufragar. 5Os marinheiros tiveram medo e começaram a gritar cada qual para o seu deus.4 Lançaram ao mar a carga para aliviar o navio. Jonas, porém, havia descido para o fundo do navio, tinha se deitado e dormia profundamente. 6O comandante do navio aproximou-se dele e lhe disse: “Como podes dormir? Levanta-te, invoca o teu Deus! Talvez Deus se lembre de nós e não pereceremos”. 7E eles diziam uns aos outros: “Vinde, lancemos sortes para saber por causa de quem nos acontece esta desgraça”. Eles lançaram as sortes e a sorte caiu sobre Jonas.8E lhe disseram então: “Conta-nos qual é a tua missão, donde vens, qual a tua terra, a que povo pertences”. 9Ele lhes disse: “Sou hebreu e venero a Iahweh, o Deus do céu, que fez o mar e a terra”: 10Então os homens foram tomados por um grande temor e lhe disseram: “Que é isto que fizeste?” Pois os homens sabiam que ele fugia para longe da face de Iahweh, porque lhes tinha contado. 11Eles lhe disseram: “Que te faremos para que o mar se acalme em torno de nós?” Pois o mar se tornava cada vez mais tempestuoso. 12Ele lhes disse: “Tomai-me e lançai-me ao mar e o mar se acalmará em torno de vós, porque eu sei que é por minha causa que esta grande tempestade se levantou contra vós”. 13Então os homens remaram para atingir a terra, mas não puderam, pois o mar se tornava cada vez mais tempestuoso contra eles. 14Eles invocaram então a Iahweh e disseram: “Ah! Iahweh, não queremos perecer por causa da vida deste homem! Mas não coloques sobre nós o sangue inocente, pois tu agiste como quiseste”. 15E tomaram Jonas e o lançaram ao mar e o mar cessou o seu furor. 16Os homens foram então tomados por um grande temor para com Iahweh, ofereceram um sacrifício a Iahweh e fizeram votos.

2 Jonas salvo1E Iahweh determinou que surgisse um peixe grande para engolir Jonas. Jonas permaneceu nas entranhas do peixe três dias e três noites. 2Então orou Jonas a Iahweh, seu Deus, das entranhas do peixe. 3Ele disse: De minha angústia clamei a Iahweh, e ele me respondeu; do seio do Xeol pedi ajuda, e tu ouviste a minha voz. 4Lançaste-me nas profundezas, no seio dos mares, e a torrente me cercou, todas as tuas ondas e as tuas vagas passaram sobre mim. 5E eu dizia: Fui expulso de diante de teus olhos. Como poderei contemplar novamente o teu santo Templo? 6As águas me envolveram até o pescoço, o abismo cercou-me, e a alga enrolou-se em volta de minha cabeça. 7Eu desci até às raízes das montanhas, à terra cujos ferrolhos estavam atrás de mim para sempre. Mas tu fizeste subir da fossa a minha vida, Iahweh, meu Deus. 8Quando minha alma desfalecia em mim, eu me lembrei de Iahweh, e minha prece chegou a ti, até o teu santo Templo. 9Aqueles que veneram vaidades mentirosas abandonam o seu amor. 10Quanto a mim, com cantos de ação de graças, oferecer-te-ei sacrifícios e cumprirei os votos que tiver feito: a Iahweh pertence a salvação! 11Então Iahweh falou ao peixe, e este vomitou Jonas sobre a terra firme.

3 Conversão de Nínive e perdão divino1A palavra de Iahweh foi dirigida a Jonas uma segunda vez: 2“Levanta-te, vai a Nínive, a grande cidade, e anuncia-lhe a mensagem que eu te disser”. 3Jonas levantou-se e foi a Nínive, conforme a palavra de Iahweh. Nínive era uma cidade muito grande, de três dias de marcha. 4Jonas entrou na cidade e a percorreu durante um dia. Pregou então, dizendo: “Ainda quarenta dias, e Nínive será destruída”. 5Os homens de Nínive creram em Deus, convocaram um jejum e vestiram-se de panos de saco, desde o maior até o menor.6A notícia chegou ao rei de Nínive. Ele levantou-se do seu trono, tirou o seu manto, cingiu-se com um pano de saco e assentou-se sobre a cinza.” 7Em seguida, fez proclamar em Nínive como decreto do rei e de seus grandes: “Homens e animais, gado graúdo e miúdo, não provarão nada! Eles não pastarão e não beberão água. 8Cobrir-se-ão de panos de saco, invocarão a Deus com vigor e se converterá cada qual de seu caminho perverso e da violência que está em suas mãos. 9Quem sabe? Talvez Deus volte atrás, arrependa-se e revogue o ardor de sua ira, de modo que não pereçamos!” 10E Deus viu as suas obras: que eles se converteram de seu caminho perverso, e Deus arrependeu-se do mal que ameaçara fazer-lhes e não fez.

4 Desgosto do profeta e resposta divina 1Mas isso trouxe a Jonas um grande desgosto e ele ficou irado. 2Orou então a Iahweh dizendo: “Ah! Iahweh, não era justamente isso que eu dizia quando estava ainda em minha terra? Por isso fugi apressadamente para Társis; pois eu sabia que tu és um Deus de piedade e de ternura, lento para a ira, e rico em amor e que se arrepende do mal. 3Mas agora, Iahweh, toma, eu te peço, a minha vida, pois é melhor para mim a morte do que a vida”. 4Iahweh disse: “Tens, por acaso, motivo para te irar?” 5Jonas saiu da cidade e instalou-se a leste da cidade. Lá construiu uma tenda e assentou-se à sua sombra para ver o que aconteceria na cidade. 6Iahweh Deus fez crescer uma mamoneira sobre Jonas, para dar sombra à sua cabeça e libertá-lo do seu mal. Jonas alegrou-se grandemente por causa da mamoneira. 7No outro dia, ao surgir da aurora, Deus mandou um verme que picou a mamoneira a qual secou. 8Quando o sol se levantou, Deus mandou um vento oriental ardente; o sol bateu na cabeça de Jonas e ele desfalecia. Então pediu a morte e disse: “É melhor para mim morrer do que viver”. 9Deus disse a Jonas: “Está certo que te aborreças por causa da mamoneira?” Ele disse: “Está certo que eu me aborreça até a morte”. 10Iahweh disse: “Tu tens pena da mamoneira, que não te custou trabalho e que não fizeste crescer, que em uma noite existiu e em uma noite pereceu. 11E eu não terei pena de Nínive, a grande cidade, onde há mais de cento e vinte mil homens, que não distinguem entre direita e esquerda, assim como muitos animais!”

ABDIAS
MIQUÉIAS