EPISTOLA AOS EFESIOS

75

EPISTOLA AOS EFESIOS

1 Endereço e saudação — 1Paulo, apóstolo de Cristo Jesus, pela vontade de Deus, aos santos e fiéis em Cristo Jesus: 2graça e paz a vós da parte de Deus, nosso Pai, e do Senhor Jesus Cristo.

I. O mistério da salvação e da Igreja

O plano divino da salvação — 3Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que nos abençoou com toda a sorte de bênçãos espirituais, nos céus, em Cristo.4Nele ele nos escolheu antes da fundação do mundo, para sermos santos e irrepreensíveis diante dele no amor.5Ele nos predestinou para sermos seus filhos adotivos por Jesus Cristo, conforme o beneplácito da sua vontade, 6para louvor e glória da sua graça, com a qual ele nos agraciou no Amado. 7E é pelo sangue deste que temos a redenção, a remissão dos pecados, segundo a riqueza da sua graça, 8que ele derramou profusamente sobre nós, infundindo-nos toda sabedoria e prudência, 9dando-nos a conhecer o mistério da sua vontade,conforme decisão prévia que lhe aprouve tomar 10para levar o tempo à sua plenitude: a de em Cristo encabeçar todas as coisas, as que estão nos céus e as que estão na terra. 11Nele, predestinados pelo propósito daquele que tudo opera segundo o conselho da sua vontade, fomos feitos sua herança, 12a fim de servirmos para o seu louvor e glória, nós, os que antes esperávamos em Cristo. 13Nele também vós, tendo ouvido a Palavra da verdade — o evangelho da vossa salvação — e nela tendo crido, fostes selados pelo Espírito da promessa, o Espírito Santo, 14que é o penhor da nossa herança, para a redenção do povo que ele adquiriu para o seu louvor e glória.

Triunfo e supremacia de Cristo15Por isso também eu, tendo ouvido a respeito da vossa fé no Senhor Jesus e do vosso amor para com todos os santos, 16não cesso de dar graças a Deus a vosso respeito e de fazer menção de vós nas minhas orações, 17para que o Deus de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai da glória, vos dê um espírito de sabedoria e de revelação, para poderdes realmente conhecê-lo. 18Que ele ilumine os olhos dos vossos corações, para saberdes qual é a esperança que o seu chamado encerra, qual é a riqueza da glória da sua herança entre os santos 19e qual é a extraordinária grandeza do seu poder para nós, os que cremos, conforme a ação do seu poder eficaz, 20que ele fez operar em Cristo, ressuscitando-o de entre os mortos e fazendo-o assentar à sua direita nos céus, 21muito acima de qualquer Principado e Autoridade e Poder e Soberania” e de todo nome que se pode nomear não só neste século, mas também no vindouro. 22 Tudo ele pôs debaixo dos seus pés, e o pôs, acima de tudo, como Cabeça da Igreja, 23que é o seu Corpo: a plenitude daquele que plenifica tudo em tudo.

2 Salvação gratuita em Cristo1Vós estáveis mortos em vossos delitos e pecados. 2Neles vivíeis outrora, conforme a índole deste mundo, conforme o Príncipe do poder do ar, o espírito que agora opera nos filhos da desobediência. 3Com eles, nós também andávamos outrora nos desejos de nossa carne, satisfazendo as vontades da carne e os seus impulsos, e éramos por natureza como os demais, filhos da ira. 4Mas Deus, que é rico em misericórdia, pelo grande amor com que nos amou, 5quando estávamos mortos em nossos delitos, nos vivificou juntamente com Cristo — pela graça fostes salvos! — 6e com ele nos ressuscitou e nos fez assentar nos céus, em Cristo Jesus, 7a fim de mostrar nos tempos vindouros a extraordinária riqueza da sua graça, pela sua bondade para conosco, em Cristo Jesus. 8Pela graça fostes salvos, por meio da fé, e isso não vem de vós, é o dom de Deus: 9não vem das obras, para que ninguém se encha de orgulho. 10Pois somos criaturas dele, criados em Cristo Jesus para as boas obras que Deus já antes tinha preparado para que nelas andássemos.

A reconciliação dos judeus e dos gentios entre si e com Deus11Por isso vós, que antes éreis gentios na carne e éreis chamados “incircuncisos” pelos que se chamam “circuncidados”… em virtude de uma operação manual na sua carne, 12lembrai-vos de que naquele tempo estáveis sem Cristo, excluídos da cidadania em Israel e estranhos às alianças da Promessa, sem esperança e sem Deus no mundo!13Mas agora, em Cristo Jesus, vós, que outrora estáveis longe, fostes trazidos para perto, pelo sangue de Cristo. 14Ele é a nossa paz: de ambos os povos fez um só, tendo derrubado o muro de separação e suprimido em sua carne a inimizade — 15a Lei dos mandamentos expressa em preceitos —, a fim de criar em si mesmo um só Homem Novo, estabelecendo a paz, 16e de reconciliar a ambos com Deus em um só Corpo, por meio da cruz, na qual ele matou a inimizade. 17Assim, ele veio e anunciou paz a vós que estáveis longe e paz aos que estavam perto, 18pois, por meio dele, nós, judeus e gentios, num só Espírito, temos acesso junto ao Pai. 19Portanto, já não sois estrangeiros e adventícios, mas concidadãos dos santos e membros da família de Deus. 20Estais edificados sobre o fundamento dos apóstolos e dos profetas, do qual é Cristo Jesus a pedra angular. 21Nele bem articulado, todo o edifício se ergue em santuário sagrado, no Senhor, 22e vós, também, nele sois co-edificados para serdes uma habitação de Deus, no Espírito.

3 Paulo, ministro do mistério de Cristo1Por essa razão, eu, Paulo, o prisioneiro de Cristo por amor de vós, os gentios… 2Certamente sabeis da dispensação da graça de Deus que me foi dada a vosso respeito. 3Por uma revelação me foi dado a conhecer o mistério, co­mo atrás vos expus sumariamente: 4Iendo-me, podeis compreender a per­cepção que eu tenho do mistério de Cristo. 5Às gerações e aos homens do passado ele não foi dado a conhecer, como foi agora revelado aos seus santos apóstolos e profetas, no Espírito: 6os gentios são co-herdeiros, membros do mesmo Corpo e co-participantes da Promessa em Cristo Jesus, por meio do evangelho. 7Desse evangelho eu me tornei ministro, pelo dom da graça de Deus que me foi concedida pela operação do seu poder. 8A mim, o menor de todos os santos, me foi dada esta graça de anunciar aos gentios a insondável riqueza de Cristo 9e de pôr em luz a dispensação do mistério oculto desde os séculos em Deus, criador de todas as coisas, 10para dar agora a conhecer” aos Principados e às Autoridades nas regiões celestes, por meio da Igreja, a multiforme sabedoria de Deus, 11segundo o desígnio preestabelecido desde a eternidade e realizado em Cristo Jesus nosso Senhor, 12por quem ousamos chegar-nos a Deus confiantemente, pela fé. 13Por isso eu vos peço que não vos deixeis abater por causa das minhas tribulações por vós, o que para vós deve ser motivo de glória.

A oração de Paulo14Por essa razão eu dobro os joelhos diante do Pai — 15de quem toma o nome toda família no céu e na terra —, 16para pedir-lhe que ele conceda, segundo a riqueza da sua glória, que vós sejais fortalecidos em poder pelo seu Espírito no homem interior, 17que Cristo habite pela fé em vossos corações e que sejais arraigados e fundados no amor. 18Assim tereis condições para compreender com todos os santos qual é a largura e o comprimento e a altura e a profundidade, 19e conhecer o amor de Cristo que excede a todo conhecimento, para que sejais plenificados com toda a plenitude de Deus. 20Àquele, cujo poder, agindo em nós, é capaz de fazer muito além, infinitamente além de tudo o que nós podemos pedir ou conceber, 21a ele seja a glória na Igreja e em Cristo Jesus, por todas as gerações dos séculos dos séculos! Amém.

II. Parêntese

4 Apelo à unidade1Exorto-vos, pois, eu, o prisioneiro no Senhor, a andardes de modo digno da vocação a que fostes chamados: 2com toda humildade e mansidão, com longanimidade, suportando-vos uns aos outros com amor, 3procurando conservar a unidade do Espírito pelo vínculo da paz. 4Há um só Corpo e um só Espírito, assim como é uma só a esperança da vocação a que fostes chamados; 5há um só Senhor, uma só fé, um só batismo; 6há um só Deus e Pai de todos, que é sobre todos, por meio de todos e em todos. 7Mas a cada um de nós foi dada a graça pela medida do dom de Cristo, 8por isso é que se diz: Tendo subido às alturas, levou cativo o cativeiro, concedeu dons aos homens.

9Que significa “subiu”, senão que ele também desceu? às profundezas da terra? 10O que desceu é também o que subiu acima de todos os céus, a fim de plenificar todas as coisas. 11E ele é que “concedeu” a uns ser apóstolos, a outros profetas, a outros evangelistas, a outros pastores e mestres, 12para aperfeiçoar os santos em vista do ministério, para a edificação do Corpo de Cristo, 13até que alcancemos todos nós a unidade da fé e do pleno conhecimento do Filho de Deus, o estado de Homem Perfeito, a medida da estatura da plenitude de Cristo. 14Assim, não seremos mais crianças, joguetes das ondas, agitados por todo vento de doutrina, presos pela artimanha dos homens e da sua astúcia que nos induz ao erro. 15Mas, seguindo a verdade em amor, cresceremos em tudo em direção àquele que é a Cabeça, Cristo, 16cujo Corpo, em sua inteireza, bem ajustado e unido por meio de toda junta e ligadura, com a operação harmoniosa de cada uma das suas partes, realiza o seu crescimento para a sua própria edificação no amor.

A vida nova em Cristo17Isto, portanto, digo e no Senhor testifico. Não andeis mais como andam os demais gentios, na futilidade dos seus pensa- mentos, 18com entendimento entenebrecido, alienados da vida de Deus pela sua ignorância e pela dureza dos seus corações. 19Tendo-se tornado insensíveis, entregaram-se à dissolução para praticarem avidamente toda sorte de impureza. 20Vós, porém, não aprendestes assim a Cristo, 21se realmente o ouvistes e, como é a verdade em Jesus, nele fostes ensinados 22a remover o vosso modo de vida anterior — o homem velho, que se corrompe ao sabor das concupiscências enganosas — 23e a renovar-vos pela transformação espiritual da vossa mente, 24e revestir-vos do Homem Novo, criado segundo Deus, na justiça e santidade da verdade.25Por isso abandonai a mentira e falai a verdade cada um ao seu próximo, porque somos membros uns dos outros.26Irai-vos, mas não pequeis: não se ponha o sol sobre a vossa ira, 27nem deis lugar ao diabo. 28O que furtava não mais furte, mas trabalhe com as suas próprias mãos, realizando o que é bom, para que tenha o que partilhar com o que tiver necessidade. 29Não saia dos vossos lábios nenhuma palavra inconveniente, mas, na hora oportuna, a que for boa para edificação, que comunique graça aos que a ouvirem. 30E não entristeçais o Espírito Santo de Deus, pelo qual fostes selados para o dia da redenção. 31Toda amargura e exaltação e cólera, e toda palavra pesada e injuriosa, assim como toda malícia, sejam afastadas de entre vós. 32Sede bondosos e compassivos uns com os outros, perdoando-vos mutuamente, como Deus em Cristo vos perdoou.

5 1Tomai-vos, pois, imitadores de Deus, como filhos amados, 2e andai em amor, assim como Cristo também nos amou e se entregou por nós a Deus, como oferta e sacrifício de odor suave. 3Fornicação e qualquer impureza ou avareza nem sequer se nomeiem entre vós, como convém a santos. 4Nem ditos indecentes, picantes ou maliciosos, que não convém, mas antes ações de graças. 5Pois é bom que saibais que nenhum fornicário ou impuro ou avarento — que é um idólatra — tem herança no Reino de Cristo e de Deus. 6Ninguém vos engane com palavras vãs, porque por essas coisas vem a ira de Deus sobre os desobedientes. 7Não vos torneis, pois, co-participantes das suas ações. 8Outrora éreis treva, mas agora sois luz no Senhor: andai como filhos da luz, 9pois o fruto da luz consiste em toda bondade e justiça e verdade. 10Procurai discernir o que é agradável ao Senhor 11e não sejais participantes das obras infrutuosas das trevas, antes denunciai-as, 12pois o que eles fazem em oculto até o dizê-lo é vergonhoso. 13Mas tudo o que é condenável é manifesto pela luz, 14pois é luz tudo o que é manifesto. É por isso que se diz: Ó tu, que dormes, desperta e levanta-te de entre os mortos, que Cristo te iluminará. 15Vede, pois, cuidadosamente como andais: não como tolos, mas como sábios, 16remindo o tempo, porque os dias são maus. 17Por isso não sejais insensatos, mas procurai conhecer a vontade do Senhor. 18E não vos embriagueis com vinho, que é uma porta para a devassidão, mas buscai a plenitude do Espírito. 19Falai uns aos outros com salmos e hinos e cânticos espirituais, cantando e louvando ao Senhor em vosso coração, 20sempre e por tudo dando graças a Deus, o Pai, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo.

Moral doméstica21Submetei-vos uns aos outros no temor de Cristo. 22As mulheres estejam sujeitas aos seus maridos, como ao Senhor, 23porque o homem é cabeça da mulher, como Cristo é cabeça da Igreja e o salvador do Corpo. 24Como a Igreja está sujeita a Cristo, estejam as mulheres em tudo sujeitas aos seus maridos. 25E vós, maridos, amai as vossas mulheres, como Cristo amou a Igreja e se entregou por ela, 26a fim de purificá-la com o banho da água e santificá-la pela Palavra, 27para apresentar a si mesmo a Igreja, gloriosa, sem mancha nem ruga, ou coisa semelhante, mas santa e irrepreensível. 28Assim também os maridos devem amar as suas próprias mulheres, como a seus próprios corpos. Quem ama a sua mulher ama-se a si mesmo, 29pois ninguém jamais quis mal à sua própria carne, antes alimenta-a e dela cuida, como também faz Cristo com a Igreja, 30porque somos membros do seu Corpo. 31Por isso deixará o homem o seu pai e a sua mãe e se ligará à sua mulher, e serão ambos uma só carne. 32É grande este mistério: refiro- me à relação entre Cristo e a sua Igreja. 33Em resumo, cada um de vós ame a sua mulher como a si mesmo e a mulher respeite o seu marido.

6 1Filhos, obedecei aos vossos pais, no Senhor, pois isso é justo. 2Honra a teu pai e a tua mãe — é o primeiro mandamento com promessa — 3para seres feliz e teres uma longa vida sobre a terra. 4E vós, pais, não deis a vossos filhos motivo de revolta contra vós, mas criai-os na disciplina e correção do Senhor.5Servos, obedecei, com temor e tremor, em simplicidade de coração, a vossos senhores nesta vida, como a Cristo, 6servindo-os, não quando vigiados, para agradar a homens, mas como servos de Cristo, que põem a alma em atender à vontade de Deus. 7Tende boa vontade em servi-los, como ao Senhor e não como a homens, 8sabendo que todo aquele que fizer o bem receberá o bem do Senhor, seja ele servo ou livre. 9E vós, senhores, fazei o mesmo para com eles, sem ameaças, sabendo que o Senhor deles e vosso está nos céus e que ele não faz acepção de pessoas.

O combate espiritual10Finalmente, fortalecei-vos no Senhor e na força do seu poder. 11Revesti-vos da armadura de Deus, para poderdes resistir às insídias do diabo. 12Pois o nosso combate não é contra o sangue nem contra a carne, mas contra os Principados, contra as Autoridades, contra os Dominadores deste mundo de trevas, contra os Espíritos do Mal, que povoam as regiões celestiais. 13Por isso deveis vestir a armadura de Deus, para poderdes resistir no dia mau e sair firmes de todo o combate. 14Portanto, ponde-vos de pé e cingi os vossos rins com a verdade e revesti-vos da couraça da justiça 15e calçai os vossos pés com a preparação do evangelho da paz, 16empunhando sempre o escudo da fé, com o qual podereis extinguir os dardos inflamados do Maligno. 17E tomai o capacete da salvação e a espada do Espírito, que é a Palavra de Deus. 18Com orações e súplicas de toda a sorte, orai em todo tempo, no Espírito, e para isso vigiai com toda perseverança e súplica por todos os santos. 19Orai também por mim, para que, quando eu abrir os meus lábios, me seja dada a palavra para anunciar com ousadia o mistério do evangelho, 20do qual sou o embaixador em cadeias: que eu fale ousadamente, como importa que eu fale.

Notícias pessoais e saudação final21Para saberdes o que se passa comigo e o que é que eu estou fazendo, envio a vós Tíquico, irmão amado e fiel ministro no Senhor. 22Ele vos dirá tudo o que se passa entre nós e leva a minha exortação aos vossos corações. 23Aos irmãos paz, amor e fé da parte de Deus, o Pai, e do Senhor Jesus Cristo. 24A graça esteja com todos os que amam a nosso Senhor Jesus Cristo com amor perene!

EPISTOLA AOS GÁLATAS
EPISTOLA AOS FILIPENSES